Porto Velho (RO) quinta-feira, 24 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Agricultura

Embrapa Rondônia abre inscrições de clones e propriedades para a Rede de Avaliação de clones de café

As inscrições são online e vão até dia 4 de junho de 2021


Prazo para inscrições é até dia 4 de junho de 2021. - Gente de Opinião
Prazo para inscrições é até dia 4 de junho de 2021.

Por meio do projeto Rede Estadual de Avaliação de Clones de Cafés, que envolve a participação da pesquisa, de instituições governamentais do estado e de produtores, a Embrapa Rondônia abre inscrições de clones e propriedades para que as avaliações possam ser iniciadas. Serão avaliados 64 clones de café canéfora (robusta e conilon) que compõem os melhores materiais genéticos disponíveis atualmente nas principais regiões produtoras de café em Rondônia. As inscrições de clones podem ser feitas no endereço forms.gle/vuyx8TnMvZEcK9v1A e das propriedades está disponível em forms.gle/hYv4wVYaiNfVHUxB8, com prazo até o dia 4 de junho de 2021. Nestes dois formulários também podem ser encontrados detalhes sobre cada um dos tipos de inscrição. Mais informações no telefone (69) 98104-5960 ou no e-mail [email protected].

Ao final do trabalho, que deve durar quatro safras, será elaborada uma ficha técnica para cada clone avaliado, com as informações agronômicas e qualitativas, que serão disponibilizadas aos produtores que desenvolveram cada clone – detentores do material genético. De posse destas informações, o produtor poderá realizar o registro do material genético junto ao Registro Nacional de Cultivares – RNC, do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – Mapa. As cultivares poderão ser recomendadas para todo o estado, fortalecendo ainda mais a cafeicultura na região.

Segundo o pesquisador da Embrapa Rondônia, Alexsandro Teixeira, este projeto foi construído para valorizar os clones de café desenvolvidos pelos produtores de Rondônia e que tem transformado a cafeicultura do estado. “Sabendo desse impacto, pensamos em uma forma de oferecer a estes produtores subsídios e informações técnicas necessárias para que eles possam fazer o registro de seus próprios clones no Mapa. Para isso, unimos esforços entre diversas instituições e contamos com a parceria dos produtores para promover essa ação em prol da cafeicultura da Amazônia”, afirma Teixeira.

Quanto ao cadastro das propriedades, nesta etapa do processo, a Embrapa busca cafeicultores parceiros que queiram participar do projeto recebendo uma unidade experimental em sua propriedade. Ao todo, serão cinco unidades experimentais distribuídas nas principais regiões cafeeiras do estado de Rondônia.

Importante informar que os cafeicultores que fornecerem clones para a avaliação ficarão impedidos de instalarem ensaios experimentais nas suas propriedades, visando à idoneidade das avaliações. Já a quantidade de clones por produtor dependerá do número de interessados em participar da Rede de Avaliação.

Quanto ao andamento dos trabalhos nas áreas experimentais, cabe informar que toda a mão de obra para instalação, condução, manejo, tratos culturais e colheita da unidade experimental de café será de responsabilidade do produtor, que receberá insumos agrícolas e assistência técnica, previsto no orçamento do projeto, para execução dessas atividades. Com exceção das amostras coletadas para realização das análises agronômicas, todo o restante da colheita será de usufruto do produtor. 

A Embrapa será responsável por todo o gerenciamento da unidade experimental, orientando o produtor em todas as atividades técnicas e científicas necessárias – adubação, desbrota, irrigação, colheita, coleta de dados e amostras, entre outros. A Emater-RO ficará responsável pelo acompanhamento mensal dessas propriedades, com assistência técnica especializada e auxiliando nas avaliações.

Essas unidades experimentais também serão utilizadas para a realização de dias de campo, palestras técnicas e eventos ligados à cultura do café, além da formação acadêmica de técnicos e estudantes que estarão envolvidos com as avaliações, qualificando corpo técnico para atuar na cafeicultura da Amazônia. 

No projeto, serão analisadas pela Embrapa diversas características como produtividade e tamanho dos grãos, uniformidade de maturação dos frutos, arquitetura das plantas para mecanização da colheita, rendimento industrial, tombamento das hastes, qualidade de bebida, resistência à nematóides tolerância à pragas e doenças.

Principais contribuições para a cafeicultura

- Registro de uma ou mais cultivares clonais de café canéfora altamente produtivos e com ampla adaptabilidade. As cultivares poderão ser recomendadas para Rondônia, fortalecendo a cadeia do café na região.

- Identificação de clones altamente específicos em determinados locais, viabilizando o lançamento de cultivares específicas para aquela região.

- Reconhecimento do trabalho pioneiro dos cafeicultores e viveiristas, que selecionaram clones em suas próprias lavouras e agora terão a possibilidade de registrá-los no Ministério da Agricultura.

- Incremento na produtividade de café da Amazônia Ocidental, alavancando a cafeicultura na região e promovendo a integração de toda a cadeia produtiva do setor cafeeiro.

- Realização de treinamentos de técnicos e de cafeicultores nas cinco áreas experimentais de café instalados em Rondônia.

- Formação acadêmica de técnicos e estudantes que estarão envolvidos com as avaliações, qualificando esse corpo técnico para atuar na cafeicultura da Amazônia.

- Pioneirismo de Rondônia no melhoramento participativo do café, com uma proposta inovadora que envolve a participação de órgãos públicos e cafeicultores, todos com objetivo de fortalecer a cafeicultura da Região Norte e promover a agricultura sustentável na Amazônia.

Rede Estadual de Avaliação de Clones de Cafés

O projeto foi lançado em fevereiro de 2021, com a assinatura de convênio entre o Governo de Rondônia e a Embrapa. Para a execução do projeto, o Conselho de Desenvolvimento do Estado de Rondônia (Conder) aprovou a liberação recursos do Fundo de Desenvolvimento Industrial de Rondônia (Fider), por meio da Superintendência Estadual de Desenvolvimento Econômico e Infraestrutura – Sedi. Equipes da Embrapa Rondônia, Emater-RO, Secretaria de Estado da Agricultura de Rondônia – Seagri, produtores e viveiristas de café que se inscreverem estarão unidos nessa ação, que conta também com o apoio da Câmara Setorial do Café de Rondônia e Agência de Defesa Sanitária Agrosilvopastoril do Estado de Rondônia – Idaron.

Mais Sobre Agricultura

Projeto de apoio à cadeia produtiva do cacau tem início

Projeto de apoio à cadeia produtiva do cacau tem início

O Projeto Cacau Sustentável de Rondônia, que está iniciando suas ações na região central do Estado tem alguns pilares de atuação. Sebrae, Governo do

Embrapa apoia pesquisa para validação de café canéfora para o cerrado mato-grossense

Embrapa apoia pesquisa para validação de café canéfora para o cerrado mato-grossense

O bom desempenho em produção, produtividade e qualidade de bebida dos cafés da espécie Coffea canephora – variedades botânicas robusta e conilon – n

Inovação na cacauicultura em debate em live promovida pelo Sebrae

Inovação na cacauicultura em debate em live promovida pelo Sebrae

O Sebrae em Rondônia convidou especialistas para debaterem a Inovação aplicada à produção de cacau. O evento “Inovação e Mercado do Cacau” será realiz