Porto Velho (RO) sábado, 28 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Sergio Pires

Os ataques violentos e criminosos da LCP em Rondônia + Morte dos PMS: teremos algum dia a verdadeira justiça? + Partidos contestam, mas números são verdadeiros


Os ataques violentos e criminosos da LCP em Rondônia + Morte dos PMS: teremos algum dia a verdadeira justiça? + Partidos contestam, mas números são verdadeiros - Gente de Opinião

NÃO É O VELHO OESTE DO SÉCULO 19. OS ATAQUES VIOLENTOS E CRIMINOSOS DA LCP SÃO DE AGORA, EM RONDÔNIA

Em pleno século 21, as cenas podem parecer como se fossem de um filme daqueles do Velho Oeste, onde o poder das armas e a violência dominavam quase tudo. Um bando, fortemente armado, cerca e ataca uma propriedade, uma fazenda em Monte Negro, no interior de Rondônia, próximo a Ariquemes. Todas as árvores são cortadas, cercas e currais destruídos com motosserras, os proprietários ameaçados de morte. E isso não aconteceu na conquista do oeste americano, em meados dos anos 1800. Nada disso. A ocorrência foi registrada em fevereiro de 2018, ou seja, há pouco mais de dois anos. Tempos depois, uma família é colocada sob a mira de armas pesadas. Um dos membros é surrado, torturado, ferido, tratado como se não fosse um ser humano. O crime dele? Ter lutado uma vida inteira para ter sua propriedade. Alguém foi preso? Nada disso. A lei se arrasta, para beneficiar bandidos.  Sebastião Conti, um proprietário rural, que passou mais de 20 anos da sua vida se dedicando à sua fazenda, plantando árvores nobres para mantê-las na floresta, por exemplo, teve suas terras invadidas uma dezena de vezes. Cada vez que pedia reintegração de posse, havia uma enorme demora da Justiça em decidir o assunto. Quando havia a decisão favorável a Conti, ele tinha que providenciar transporte para que a polícia fosse executar o mandado. Antes de chegar na fazenda, os invasores saíam correndo, como se nunca tivessem estado lá, embora tenham deixado muita destruição, praticada durante anos. Dois dias depois da reintegração, os bandidos voltavam. Conti tinha então que recomeçar todo um processo, longo e caríssimo, para ter de volta o que é seu. Morreu de desgosto, pela injustiça que sempre foi vítima. Os criminosos, que destruíram tudo, inclusive as árvores nobres, como mogno (eles não são acusados de destruidores da floresta!), só agora, mais de duas décadas e meia depois, foram condenados a indenizar a família do falecido líder rural.

Essas são apenas algumas histórias de crimes que membros da Liga dos Camponeses Pobres (LCP), cometeram em Rondônia. E os vem cometendo há anos e anos, sem ser considerada uma organização terrorista e, como se seus membros fossem apenas coitados brasileiros, que precisam de terra para plantar e sobreviver. Então, quando se ouve discursos em defesa dos sem terra, é sempre bom saber separar o joio do trigo. Há sim, aqueles que precisam e têm direito, dentro da lei, de serem beneficiados por terras para viverem e produzirem. Mas há um imenso grupo de criminosos que continua agindo em seus acampamentos e invasões, como se nossa lei não existisse para eles. Até quando essa absurda, inacreditável e nojenta injustiça continuará sendo cometida, impunemente, contra os brasileiros de bem?

 

MORTE DOS PMS: TEREMOS ALGUM DIA A VERDADEIRA JUSTIÇA?

 

Todos os trâmites legais serão cumpridos, passo a passo. Cada entidade, instituição, grupo, terá espaço para ser ouvido, para dar sua opinião, para fazer seu discurso. Tudo certinho. Para quem não é vítima, a fórmula merece todos os aplausos. O que está se questionando é quando, na verdade, haverá ação para combater e prender os assassinos dos Policiais Militares, que certamente terão todo o tempo do mundo para desaparecerem para sempre, porque quando se começarem as buscas, eles poderão estar a mais ou menos uns cinco mil quilômetros da fazenda, local onde eles cometeram os terríveis assassinatos. Quem acha que a decisão tomada, de se buscar a justiça passo a passo, com toda a calma do mundo, como se os facínoras ficassem esperando pela polícia, certamente não faz parte da tropa da PM; das famílias das vítimas e de grande parte das população, que quer ver os criminosos pegos. Infelizmente, continuamos sob leis que protegem bandidos, assassinos frios, canalhas covardes. Desse jeito, teremos, algum dia, a verdadeira Justiça?

 

A NOVELA DA MÁQUINA – CAPÍTULO 2

Agora foi a vez do DER dar o troco! Primeiro, a Prefeitura registrou ocorrência, informando que uma máquina cedida pelo Estado, para asfalto de ruas da Capital tinha sido roubada. Depois, a explicação: foi o próprio DER quem a recolheu, para uso em obras estaduais. A Prefeitura protestou, alegando que o contrato não havia sido cumprido. O DER desmentiu a Prefeitura, dizendo que o acordo encerrou em julho e desde lá tem pedido seu equipamento de volta, sem sucesso. Como não era atendido, recolheu o que era seu. A Prefeitura nega. A situação, então, está desse jeito. A Prefeitura reclama, mas o DER conta com o vencimento do contrato, há mais de 60 dias, já encerrado. Claro que o pano de fundo é a eleição. O prefeito Hildon Chaves quer apontar a decisão do DER como política, já que o Governo apoia outro candidato (Breno Mendes) na disputa municipal, onde o próprio Hildon busca a reeleição. O governo nega, porque tem a questão legal ao seu lado. No meio disso tudo, adivinhem quem sai perdendo? Todos sabemos a resposta!

 

PARTIDOS CONTESTAM, MAS NÚMEROS SÃO VERDADEIROS

Deu o que falar a relação de candidatos por partido, publicados nesse espaço, para as eleições municipais de Rondônia. Os números divulgados são do próprio Tribunal Regional Eleitoral (TRE), portanto, não há como contestá-los. O que ocorreu foi uma má interpretação do texto. Nele não se falava quais partidos mais cresceram (Lindomar Garçon, do Republicanos, diz que foi o seu; o deputado Marcelo Cruz, do Patriotas, diz que, proporcionalmente, foi o seu!), mas apenas nos números absolutos, que colocam o MDB como a sigla com maior número de pretendentes, somando-se as cadeiras de Prefeito, Vice Prefeito e Vereadores. O ex senador Expedito Júnior, por exemplo, falou sobre outra questão nessa disputa municipal. Afirmou que, juntos, PSDB, seu partido, mais o DEM de Marcos Rogério e o PSD de Expedito Netto, juntos, terão o maior número de candidatos a Prefeito e Vice no Estado. Segundo o tucano, as três siglas já confirmaram que terão candidaturas, juntas, em 39 das 52 cidades rondonienses. Há possibilidade de um 40º nome, caso o DEM indique seu candidato à Prefeitura de Cacoal, o que ainda não esta definido. Portanto, a coluna não errou. Os números divulgados sobre o total de candidatos estão corretos.

 

PRESIDENTE DA ALE FECHA PARCERIAS COM CANDIDATOS

Todos buscam apoios na disputa de novembro. Um dos personagens mais procurados, pela liderança em várias regiões do Estado – não foi candidato porque não quis – o presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes, é um dos personagens mais procurados, para somar seu nome a candidatos em várias cidades. O parlamentar participa das eleições em várias cidades, apoiando candidatos. Laerte ainda não se definiu em sua cidade, Ji-Paraná, depois que houve o escândalo que envolveu o prefeito Marcito Pinto e só se pronunciará mais á frente, quando o quadro estiver mais claro. Já em Cacoal, ele apoia o deputado Adailton Fúria. Em Porto Velho, o candidato apoiado por Laerte é seu companheiro de tucanato, Hildon Chaves. Em Ariquemes, a parceria será com o candidato Lucas Follador e em Ouro Preto, com o ex prefeito e ex deputado Alex Testoni. Em Nova Brasilândia, o nome avalizado por Laerte é o do ex prefeito Silas Borges. Em São Francisco do Guaporé, a parceria será com o também deputado Ismael Crispim. Em vários outros municípios, Laerte fechou com vários candidatos, todos eles com ligações com os tucanos.

 

CASO LEBRÃO: TRÂMITES LEGAIS COMEÇAM A SER CUMPRIDOS

Por falar em Assembleia, o caso do deputado José Lebrão, flagrado em vídeo em operação policial que expôs a ele, Lebrão, além de cinco prefeitos, e um ex deputado num escândalo que se tornou notícia nacional e envergonhou novamente o Estado, começa a andar dentro do parlamento. O assunto tem sido alvo de intensos comentários nas redes sociais, principalmente e ainda não caiu no esquecimento da população, que cobra providências. A partir de pedido de cassação do mandato do parlamentar, encaminhado por iniciativa popular, o presidente Laerte Gomes deu andamento ao assunto, dentro das prerrogativas que lhe cabe. Ele encaminhou o assunto para a Procuradoria Jurídica e depois o tema irá para as respectivas comissões, assim como para a Corregedoria. Agora, tudo seguirá um rito que é o mesmo da Câmara Federal, em casos semelhantes. O parlamentar acusado terá amplo direito de defesa e só depois de seguidos todos os trâmites legais, o assunto poderá ser encaminhado para a decisão do plenário. 

 

MINISTRO TARCÍSIO REPUDIA PUBLICAÇÃO DE FOTO

Mais um rolo envolvendo o nome do Coronel Chrisóstomo e uma figura de destaque do governo, que ele sempre destacou que é “o único verdadeiro representante” em Rondônia. Nessa semana, Chrisóstomo já levou um chega pra lá do secretário nacional de assuntos fundiários, Luiz Nahban Garcia, que o desautorizou a falar sobre a regularização fundiária em Rondônia. Agora, o caso envolve o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Freitas, que esteve no último final de semana na cidade. Nesta terça, o blog recebeu mensagem da assessoria do Ministro, falando em nome dele, obviamente, para dedurar uma Fake News que circula no Estado. É uma foto em que aparecem à direita o candidato a Prefeito de Ariquemes, Tiziu Jidalias, no centro o ministro Tarcísio e à esquerda da foto o deputado Chrisóstomo. A legenda diz “Tarcísio Freitas, ministro da Infraestrutura. Fechado com Tiziu!”. Segundo nota enviada à coluna, em nome do comandante da Infraestrutura, “essa propaganda é FAKE. O ministro Tarcísio Gomes de Freitas não apoia nenhum candidato e precisamos alertar a população que isso é uma mentira!”. A nota acrescenta que “o Senhor Ministro repudia esta publicação.” Portanto, mais um problema para o deputado do PSL resolver, com seus amigos de Brasília.

 

MORO: DO AMOR NACIONAL À DESISTÊNCIA DA POLÍTICA

Em poucos meses, tudo mudou, como muitas vezes a vida se transforma, inesperadamente. Foi o que aconteceu com o ex juiz e ex ministro Sérgio Moro. Até há meses atrás, era uma espécie de ídolo, amado no país inteiro e, sem dúvida, ao lado de Bolsonaro, o mais importante nome para disputar a Presidência da República, se não em 2022, ao menos  em 2026. Jovem ainda, Moro se notabilizou como magistrado, com suas sentenças históricas, mas, como político, não conseguiu praticamente nada. Saiu do governo atirando, denunciando o Presidente da República, coisas que, hoje, segundo pessoas próximas a ele, o ex ministro se arrepende. Ele, a essas alturas do campeonato, estaria abandonando as pretensões políticas. A tal ponto que sua família o está pressionando para mudar-se para o exterior, onde daria aulas em algumas das mais importantes faculdades e desligar-se completamente da vida brasileira, ao menos por algum tempo. Moro saiu como uma espécie de traidor, que cuspiu no prato de quem o colocou no poder e, ao que parece, está muito arrependido. Teria chegado à conclusão de que a política não é para ele. Uma pena que o Judiciário perdeu um dos seus mais respeitados membros.

 

NADA A COMEMORAR: MORTES VOLTARAM A CRESCER

Foi um domingo de zero mortes, a segunda com apenas quatro, mas a terça-feira mostrou, de novo, a cara destrutiva do coronavírus: nove rondonienses perderam a vida em 24 horas. Em três dias, foram 13 vidas que se foram. Quando se imagina que a situação está amenizando e que a doença assassina amainou, chegam números que não são alentadores. Claro que o total de mortes é menor do que a média das semanas anteriores e em comparação ao pico da doença, quando chegamos a ter até mais de 20 óbitos num só dia. Mas mesmo assim, mais nove pessoas que faleceram, obriga a todos a nos  preocuparmos ainda com os graves riscos da Covid 19. A verdade é que já tivemos nada menos do que 1.384 vidas que se foram, na triste relação registrada pelo Boletim 202, desta terça. Ou seja, há 202 dias estamos (ou 55,5  por cento do total de dias deste ano bissexto), estamos envolvidos nessa sina que parece não ter fim. O total de rondonienses atingidos pela doença bateu nos 67.014. Numa população de aproximadamente 1 milhão e 600 mil habitantes, quase meio por cento de cada habitante desta Rondônia foi afetado pelo vírus. Sorte tiveram os 59.416 que se recuperaram, representando quase 89 por cento de todos os casos. Porto Velho teve, até agora, 732 óbitos (quatro apenas em 24 horas, entre segunda e terça). O total de óbitos na Capital, representa quase 53 por cento dos 1.384 já registrados.

 

PERGUNTINHA

Se o os três fossem candidatos a Presidente em 2022, você votaria em Sérgio Moro, em Jair Bolsonaro ou e Lula?

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Sergio Pires

Estrada do Belmont está quase toda asfaltada + Allamanda faz nota contra fake news + Duro combate à invasores e ladrões de madeira

Estrada do Belmont está quase toda asfaltada + Allamanda faz nota contra fake news + Duro combate à invasores e ladrões de madeira

DEPOIS DE 30 ANOS, FINALMENTE A PROMESSA CUMPRIDA: ESTRADA DO BELMONT ESTÁ QUASE TODA ASFALTADA Foram pelo menos 30 anos. Talvez até um pouco mais.

Fecharam-se as urnas? + Pelo menos cinco nomes já sonham  + Fakes e ataques a Vinicius: justiça descobre a fonte

Fecharam-se as urnas? + Pelo menos cinco nomes já sonham + Fakes e ataques a Vinicius: justiça descobre a fonte

FECHARAM-SE AS URNAS? NADA DISSO, PORQUE NA SEMANA QUE VEM, COMEÇA UMA NOVA CAMPANHA DE DOIS ANOS Talvez não comece já na segunda, nem na terça. Mas

Hildon mantém grande vantagem sobre Cristiane + A vacina ainda não chegou e as multidões estão nas ruas

Hildon mantém grande vantagem sobre Cristiane + A vacina ainda não chegou e as multidões estão nas ruas

HILDON MANTÉM GRANDE VANTAGEM SOBRE CRISTIANE, MAS ENFRENTARÁ AINDA DOIS DEBATES: ANTES DA ELEIÇÃOOs debates podem mudar uma eleição? Já mudaram em d

As urnas eletrônicas não são totalmente seguras? + Um debate quente na SIC TV + Era só maldade! Bolsonaro confirmou Marcele

As urnas eletrônicas não são totalmente seguras? + Um debate quente na SIC TV + Era só maldade! Bolsonaro confirmou Marcele

ATÉ QUANDO VAMOS VIVER SOB A SUSPEITA DE QUE AS URNAS ELETRÔNICAS NÃO SÃO TOTALMENTE SEGURAS? Há mais de duas décadas, exatamente há 24 anos, na elei