Porto Velho (RO) quinta-feira, 13 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Economia

Transferência internacional de valores: como fazer


Transferência internacional de valores: como fazer - Gente de Opinião

Existem muitas maneiras para enviar dinheiro para o exterior. Conheça as mais seguras.

As relações internacionais estão cada vez mais frequentes e necessárias. Muitas pessoas saíram do país em busca de novas oportunidades em solo estrangeiro, mas continuam mantendo laços financeiros no Brasil. Outras mantêm negócios com parceiros internacionais, viajam muito ou fazem compras online frequentemente.

O que todas essas pessoas têm em comum é a necessidade de realizar transferências internacionais de dinheiro. Por ser uma realidade relativamente nova, nem todos sabem como realizar esse procedimento de forma segura e eficiente.

Pensando nisso, eis um passo a passo para ajudar quem precisa fazer esse tipo de transação bancária e está perdido ou mesmo para apresentar alternativas mais vantajosas para quem já usa a operação com frequência.

Escolher a plataforma

Sim. Existem muitas maneiras de transferir dinheiro para o exterior e o primeiro passo para é escolher aquela que melhor se encaixa as necessidades de quem precisa enviar ou receber dinheiro vindo de outro país.

E para que essa escolha seja feita de forma consciente é preciso saber quais impostos são cobrados, qual a taxa aplicada pela empresa para o envio, qual o câmbio usado para a conversão das moedas (turismo ou comercial), qual a taxa do Imposto sobre Operação Financeira (IOF), qual o Valor Efetivo Total (VET) da transação e qual o prazo para que o dinheiro caia na conta do beneficiário.

Todos esses itens vão influenciar diretamente no custo total da operação e cada tipo de plataforma requer procedimentos diferentes.

Além das tradicionais agências bancárias, também é possível fazer transferência via ordem de pagamento, agências dos Correios e plataformas digitais, que prometem mais agilidade e menos burocracia.

Uma dica importante para quem escolhe empresas pouco conhecidas é checar junto ao Banco Central se aquela instituição está autorizada a realizar esse tipo de operação. Esse cuidado evita fraudes e muita dor de cabeça.

Transferir via agência bancária

Esse é o método mais conhecido para as transferências internacionais. Embora seja o mais caro, é bem simples de ser feito: basta que tanto quem envia quanto quem receba tenham contas em banco.

Para realizar o procedimento, a pessoa pode ir diretamente à agência bancária, solicitar o envio por telefone ou mesmo pela internet a depender do banco escolhido.

De toda maneira será necessário declarar o motivo da transferência e ter em mãos:

     Dados pessoais (nome completo e endereço) e o número do IBAN do beneficiário (código internacional para esse tipo de operação) ou o número da conta de quem vai receber a remessa.

     Código SWIFT, que permite a comunicação entre os bancos e deve ser fornecido pelo destinatário.

     Dependendo do valor enviado o banco pode solicitar a declaração do imposto de renda ou a comprovação do dinheiro.

Importante saber que as instituições devem enviar um comprovante informando as partes sobre a taxa de câmbio e os valores em moeda nacional e estrangeira para que a transação seja transparente.

Os bancos, normalmente, usam o câmbio turismo para fazer a conversão e ainda acrescentam uma margem de lucro.

Além disso, os bancos costumam cobrar tarifas de envio de acordo com tabela própria, além de IOF de 1,1% e da taxa SWIFT, o que deixa a operação bem cara, embora segura. O beneficiário também poderá desembolsar uma boa quantia para receber o dinheiro em alguns casos.

O prazo para que a remessa caia na conta de destino é de até dois dias úteis. Isso deve ser levado em conta na hora de escolher a melhor forma de envio porque se o dinheiro for para sanar problemas urgentes, esse será um ponto negativo.

Transferir via Correios

As agências de Correios disponibilizam um serviço conhecido como Vale Postal Eletrônico. Ele permite que o dinheiro seja enviado para pessoas físicas em outros países somente para fins de manutenção de residente ou estudante. EUA não fazem parte da lista de conveniados.

Para isso é necessário ir à agência dos Correios mais próxima levando o Cadastro da Pessoa Física (CPF) e um documento de identidade (RG, CNH, Carteira de Trabalho, etc.).

Será necessário ainda informar nome, endereço, CPF/CNPJ ou passaporte do destinatário e o motivo da transferência.

A conversão será feita no momento do atendimento seguindo uma tabela própria de cotação, que é maior do que o câmbio médio cobrado no mercado acrescido de uma margem de lucro. O valor será pago em reais.

O prazo exigido para que o dinheiro esteja disponível para o residente no exterior é de até cinco dias úteis. A remessa ficará à disposição do destinatário até o último dia útil do mês seguinte ao da data da postagem.

A única exceção é a Itália, onde a validade é de um mês no exterior. Quando expira, a remessa é devolvida ao emissor.

Para realizar o procedimento será cobrada uma taxa de envio mais um percentual de 1,5% do valor a ser enviado.

Não há cobrança de taxas de recebimento para as transferências internacionais realizadas por meio do Vale Postal Eletrônico Internacional. O saque deve ser feito em agências postais conveniadas após notificação dos Correios por meio de carta.

O limite para essa operação é de US$ 3 mil ou o correspondente em moeda estrangeira por remessa, sendo permitido o envio de até R$ 10 mil por dia.

Plataformas digitais

Alternativa em franco crescimento, as plataformas digitais para transferências internacionais de dinheiro representam uma revolução no mercado financeiro. Por meio delas é possível enviar e receber dinheiro de forma rápida e sem burocracia, pagando taxas bem mais atrativas.

Essas empresas utilizam o câmbio comercial para fazer a conversão e cobram IOF de 0,38%, bem mais vantajoso do que os 1,1% cobrados pelos bancos convencionais.

Além disso, as ferramentas digitais para a transferência de envio cobram uma taxa de 1,3% para cobrir custos da operação, mas são isentas de tarifas bancárias.

Fintechs como Transferwise, Remessa Online, Western Union, entre outras, oferecem uma maneira bem mais barata e segura para transferir dinheiro para outros países. Não é necessário circular com remessas de dinheiro por aí: tudo é feito com um clique, sem sair de casa.

Para utilizar essas ferramentas é preciso apenas se cadastrar, informando dados pessoais como nome completo, CPF e e-mail. Depois é só informar o motivo do envio e os dados do beneficiário, escolher as moedas de envio e destino, nome e dados bancários de quem vai receber a quantia.

O valor poderá ser pago via boleto bancário ou transferência para a conta da empresa.

Dependendo do valor a ser enviado, da moeda e da plataforma escolhida a quantia estará disponível da conta de destino em até dois dias úteis, podendo ser feito de forma imediata em alguns casos.

Mais Sobre Economia

Governador do Amapá confirma apoio total a evento on line do agronegócio

Governador do Amapá confirma apoio total a evento on line do agronegócio

Waldez Góes, governador do estado do Amapá, confirmou ontem (12) em reunião on line, a participação e apoio de seu estado no evento Agrolab Amazônia

Governo de Rondônia lança projeto de enfrentamento aos impactos financeiros causados pela pandemia

Governo de Rondônia lança projeto de enfrentamento aos impactos financeiros causados pela pandemia

A Superintendência Estadual de Desenvolvimento e Infraestrutura (Sedi) do Governo de Rondônia, lança o projeto “Microcrédito Produtivo Social para ret

Jornalista Priscila Brandão será uma das apresentadoras da Agrolab Amazônia

Jornalista Priscila Brandão será uma das apresentadoras da Agrolab Amazônia

A prestigiada jornalista Priscila Brandão, com grande experiência no jornalismo segmentado do agronegócio será uma das apresentadoras do evento Conect

Tem débitos no Simples? Veja como renegociá-los

Tem débitos no Simples? Veja como renegociá-los

Reforma Tributária e o PIS e o COFINS (2)          Em continuidade aos nossos questionamentos ao consultor José Ribeiro especialista em treinamento