Porto Velho (RO) sexta-feira, 27 de novembro de 2020
×
Gente de Opinião

Samuel Saraiva

Samuel Saraiva sugere à Apple o aplicativo HELP


 
 

Montezuma Cruz
Amazônias

 

Samuel Saraiva, brasileiro de Rondônia, humanista, idealizador de projetos, filiado ao National Press Club, de Washington DC, e à Associação Nacional de Jornalistas Hispânicos nos Estados Unidos, sugeriu esta semana em carta aberta à Apple, a criação de um aplicativo gratuito global que se denominaria HELP.Samuel Saraiva sugere à Apple o aplicativo HELP - Gente de Opinião

Para todos os idiomas da Apple, esse serviço de utilidade pública possibilitaria um banco que beneficiaria pessoas necessitadas de algum tipo de ajuda e aquelas que, de alguma forma podem, desejam e gostariam de conhecer histórias com a qual se sensibilizassem e pudessem exercer a fraternidade.

Segundo Saraiva, o aplicativo seria “um bem revigoraria a fraternidade tão ausente ou dispersa nesses tempos conturbados da Humanidade”.

“Todos carregam no palácio do discernimento interior e poderiam encontrar no aplicativo HELP não apenas uma forma de clamar por solidariedade, mas encontrar também disponíveis milhares de situações que para alguns serviria de canal para registro e descompressão, ou atendimentos a situações emergenciais”, assinala Saraiva em sua carta

Saraiva menciona conceitos de caridade na Wikipédia, Bíblia Sagrada, citando as palavras bom coração, altruísmo, compaixão, afeto, beneficência e ajuda.

(...) Simultaneamente ouvindo o eco de minhas indagações a respeito dos porquês (razões), creio que, por capricho inexplicável do universo, nem sempre dispomos dos meios compatíveis com a percepção de problemas e sofrimentos alheios e que possam ajudar na plena razão existencial. Penso que o poder terrenal em todas as formas que dispomos nivela a responsabilidade de retribuição aplicada na satisfação gerada por nos sentirmos privilegiados ao tornarmos melhor a existência, conforme a defesa da fé propalada”, assinala no documento.        

“A caridade ser compreendida  como um sentimento ou ação altruísta de ajuda a alguém, sem busca de qualquer recompensa material. Sua prática é notável indicador de elevação moral e uma das práticas que mais caracterizam a essência boa do ser humano. Em alguns casos é denominada ajuda humanitária e sob essa ótica teológica há de se considerar o valor e o alcance de uma proposta como a que ora apresento, fundamentada sob sólidos sentimentos que enraízam a cultura dos povos e sua religiosidade humana desta civilização e a que precederam em milênios”.

Para o autor da sugestão, esse dispositivo interativo constituiria “valiosa contribuição para um mundo melhor”. Segundo Saraiva, ele viabilizaria de forma direta e simples, em caráter permanente, a prestação de auxílio, à disposição de agências de governo e entidades sociais ou religiosas de diferentes credos”.

Gente de OpiniãoAjuda humanitária

“Esse banco de banco de dados abriria ao mundo a realidade pessoal que clama aflita por solidariedade: - Desde uma comovente história de alguém externando o clamor legítimo do desejo de sair da mendicância das ruas; um pedido de ajuda para evitar ação terrorista; um pedido de ajuda para impedir o tráfico humano; um pedido de ajuda para evitar ação criminosa; pedido de ajuda para adquirir um instrumento musical e dar asas a uma vocação entre um leque amplo de atendimento, nos moldes de um serviço emergencial 91, uma Red Cruz, e outros que demandam recursos extraordinários para seu funcionamento”.

Reconhece que o aplicativo seria objeto de críticas pela natureza imperfeita de todo projeto, sobretudo em sua fase de desenvolvimento, no entanto, afirma: “Na relação custo-benefício, ele permite evidenciar diversos fatores que atestariam sua validade e praticabilidade”.

“O HELP seria um formulário que ofereceria indicação de serviços material, financeiro, espiritual, profissional de todos os segmentos, entre os quais, assistências jurídica, médica, psicológica, transporte, hospedagem, incluindo o plano educacional, financeiro, ou de qualquer natureza não constante das opções, mas que poderia ser descrito pelo postado da situação”, ele diz.

“Ambos lados, beneficiários e beneficiados, fariam um cadastro para o login seguro com seu IP, informação para contato e uma organização não governamental (ONG) faria algum tipo de monitoramento com utilização dos procedimentos de segurança disponíveis na forma da lei de privacidade”, acrescenta.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Samuel Saraiva

Extrema burrice propagar fake news

Extrema burrice propagar fake news

As redes sociais se tornaram uma impressionante ferramenta de desinformação, utilizada criminosamente por ignorantes, doutrinadores, oportunistas, fan

As belezas do Rock Creek Regional Park (Lake Needwood)

As belezas do Rock Creek Regional Park (Lake Needwood)

Rock Creek Regional Park (Lake Needwood) é um dos muitos parques disponíveis para os residentes do Condado de Montgomery County, localizado na Great á

Dropes da história: privatização do Banco do Brasil

Dropes da história: privatização do Banco do Brasil

Washington DC 13/08/2020 - Em 1991 (um anos antes de imigrar para os Estados Unidos) na condição de assessor parlamentar do então Deputado Federal Alb