Porto Velho (RO) terça-feira, 11 de dezembro de 2018
×
Gente de Opinião

Viviane Paes

Porto Velho, uma centenária em esquecimento... Por Viviane Paes


104 anos não são 10, não são 50, nem 80, mas será que daqui a 30 anos, os portovelhenses nas novas gerações relembrarão a História e Estórias dela?! Na verdade será que os estudantes do ensino fundamental hoje sabem?!

Detesto ser sempre a portadora de más notícias... Descobri que meu filho, de 13 anos, estudante da rede particular de ensino a vida toda, não sabe nada da história da cidade onde nasceu! Fiquei chocada, chateada e depois triste!

Como assim?! Na minha época, como diz meus filhos, estudávamos história geral do Brasil e a regional. Goiana que sou, cuja família migrou para Rondônia quando eu tinha 10 anos, aprendi tudo sobre a criação do Estado, as divisões territoriais e desmembramentos, a construção da Estrada de Ferro Madeira-Mamoré, a diversidade de povos envolvidos, as heranças culturais...

E no final da década de 80 tive o privilégio de andar em uma das locomotivas da ferrovia que levava centenas de pessoas, todos os finais de semana, da estação até a Cachoeira de Santo Antônio. Era como entrar no túnel do tempo!

Sentir o cheiro do mato, ouvir o apito da locomotiva e ver ainda pelo trajeto peças da ferrovia épica!

Vamos dizer como rondoniana que virei, sei mais sobre Porto Velho do que de Goiânia, onde nasci! E graças a esse conhecimento tive a oportunidade de colaborar com o resgate da história em dois momentos: o primeiro ao contribuir com a pesquisa para elaboração do livro “O Hospital da Candelária”, do Dr. Aparício Carvalho, juntamente com o amigo jornalista Da Silva, em 99. Conseguimos reconstruir parte do legado do que foi um dos primeiros hospitais da região, responsável pelo tratamento das centenas de trabalhadores da ferrovia e dos moradores do então povoado de Porto Velho.

A segunda foi em 2006 quando coordenei o projeto da Eletrobrás/Eletronorte Rondônia, “Memória da Energia Elétrica de Rondônia”, com a participação de vários historiadores do Estado. Cada um escreveu sobre o tema que era especialista e quando possível relatavam a questão da energia elétrica! 

Na capital existia, no período, um acervo riquíssimo da nossa história. Infelizmente parte dele foi perdido na enchente de 2014! Aproveitamos muito do material fotográfico para reconstruir o histórico da energia elétrica em Porto Velho e nos demais municípios rondonienses!

Não tenho certeza se as escolas da rede pública de ensino ministram aulas sobre a história regional como antigamente. Tinha que ser obrigatório, sim!

Em Altamira (PA), onde vivi por cinco anos a trabalho, meu filho teve aulas da cultura regional! É necessário demais sabermos!

Eu sempre aproveito para contar ou ler sobre a história de Rondônia para meu filho ou entrego livros para ele ler! Sei que é uma luta bem complicada nos tempos de jogos, redes sociais, literatura e séries internacionais, mas não é impossível!

Quero sinceramente que possamos comemorar os 150 anos de Porto Velho com jovens adultos, adolescentes e crianças que saibam contar a nossa história verbalmente!

A história de Porto Velho é maravilhosa!

Parabéns para essa dama linda, cosmopolita em 1903; a que ficou conhecida mundialmente como a floresta iluminada, com suas fábricas de gelos; seu povo miscigenado, multicultural e racial.

A Porto Velho das Três Marias, da Vila Candelária, do bairro Caiari; do mercados Central e do Km-1 e seu café da manhã tradicional, da Rua da Divisória, de um prédio só de cinco andares...

 A Porto Velho dos banhos, das praças antigas hoje esquecidas; dos cines Resky e Lacerda; das matinês da Metrópoles; das bancas de revistas; das Bibliotecas Francisco Meirelles e Pontes Pintos.

A Porto Velho do Parque dos Tanques, da Expovel; da 7 de Setembro com vida e movimento; Rua Barão do Rio Branco com seus comerciantes antigos, entre eles seu Miguel Arcanjo e os “primos” do Líbano...

A Porto Velho das tradicionais primeiras comunhão na Catedral; das comemorações dos padroeiros; das benzedeiras; da tradicional Igreja Batista do centro...

A Porto Velho do tacacá na Praça Jonathas Pedrosa, dos casais apaixonados; das crianças que corriam entre adultos...

A Porto Velho dos jornais Alto Madeira, Estadão do Norte e rádios Caiari e Parecis...

A Porto Velho de ontem, hoje – em modernização com seus viadutos e prédios comerciais e residenciais; condomínios, novos bairros e Bairro Novo...

... A Porto Velho de todos, esta dama que não pode ser jamais esquecida!

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Viviane Paes

O descaso público contribui com a evasão escolar, chato lembrar - Por Viviane Paes

O descaso público contribui com a evasão escolar, chato lembrar - Por Viviane Paes

Ontem um vídeo divulgado nas redes sociais, veiculado pelo site Rondoniaovivo, despertou minha atenção, e acreditem não era mais um de sátira política

RO é bronze no furto de energia elétrica - Por Viviane Paes

RO é bronze no furto de energia elétrica - Por Viviane Paes

A região Norte está “arrasando” no ranking anual da Aneel – Agência Nacional de Energia Elétrica!  A medalha de ouro vai para o Amazonas, 35,99%; Pará

Modernidade para a Transmissão nossa de cada dia - Por Viviane Paes

Modernidade para a Transmissão nossa de cada dia - Por Viviane Paes

Em dois de julho de 1994, o Diário da Amazônia trazia na capa uma manchete animadora para os moradores dos municípios de Cacoal, Ji-Paraná e Pimenta B