Porto Velho (RO) quinta-feira, 25 de fevereiro de 2021
×
Gente de Opinião

Viviane Paes

Faltou combustível, faltou energia elétrica no estado das Usinas do Rio Madeira... Como?! Por Viviane Paes


Calor de mais de 30 graus, carapanã fazendo festa, povo nas calçadas conversando sobre a falta de energia elétrica! Parece que teremos “remember” começando em municípios como Buritis!

Esse foi o cenário que eu meus pais encontramos na década de 80, quando chegamos de Goiânia a Porto Velho, como centenas de migrantes oriundos do terceiro ciclo econômico do recém-criado estado de Rondônia.

2018. Conflitos políticos, crise econômica no Brasil que possui 13,7 milhões de desempregados e uma geração crescente de Nem-Nem que não dá esperança de um bom futuro...

A alta de combustível provocou – finalmente, a revolta de um dos grupos mais prejudicados, os caminhoneiros. Os estados do Norte possuem uma riqueza única, a Floresta Amazônica, mas que também é seu calcanhar de Aquiles: o acesso fluvial, já que as estradas até hoje são um problema não resolvido...

Quem acordou cedo ou voltou do primeiro dia do Porto Folia recebeu a notícia alarmante da falta de combustível nos postos da capital e interior. Pior mesmo pra quem reside no relativamente novo município de Buritis que é um dos primeiros atingidos por esse problema nacional. Aí você lembra como pode faltar energia elétrica, na região que abriga as usinas do Complexo Rio Madeira: Jirau e Santo Antônio?!

Fácil explicar, difícil é aceitar! Farei resumo em tópicos porque o tema energia elétrica ainda é visto como complicado pela maior parte da população e infelizmente a comunicação do setor ainda não conseguiu derrubar essa barreira!

Matriz Energética brasileira


É um conjunto de fontes de energia ofertado no país para captar, distribuir e utilizar energia nos setores comerciais, industriais e residenciais.
No Brasil ela possui sua base na produção hidrelétrica. É mais mil usinas hidrelétricas no país, o que responde por cerca de metade da produção e consumo brasileiros.

Faltou combustível, faltou energia elétrica no estado das Usinas do Rio Madeira... Como?! Por Viviane Paes - Gente de Opinião

 Destaque para o fato: temos 45,3% de energia renovável, enquanto a média mundial é 13,3%, ou seja, deveríamos ser referência no setor elétrico mundial, e não aconteceu porque os interesses políticos, na verdade a politicagem, impera nesse setor há décadas! Mas isso daria outro artigo...

Matriz Energética em Rondônia

Até a construção das usinas do Rio Madeira a matriz energética de Rondônia era a seguinte:

- 216 MW de potência instalada da UHE Samuel, um marco histórico da região, criada para suprir as cidades rondonienses de Guajará-Mirim, Ariquemes, Ji-Paraná, Pimenta Bueno, Vilhena, Abunã e a capital, Porto Velho.

- Em 20 de novembro de 2002, a capital do Acre, Rio Branco, passou a ser abastecida também com a energia da UHE Samuel.
- Em maio de 2006, esse sistema foi ampliado, permitindo que a geração térmica do Acre fosse substituída pela hidráulica, proporcionando a substituição da geração a derivados de petróleo.

Após usinas do Rio Madeira

- Além de Samuel, a Eletrobras Eletronorte opera a Usina Termelétrica Rio Madeira, que produz 90 MW. Somada à geração dos produtores independentes de energia, a potência instalada da Eletrobras Eletronorte em Rondônia é de 403 MW.

- Desde novembro de 2013, a energia elétrica gerada pelas Usinas do Complexo do Madeira – Jirau e Santo Antônio – começou a  ser transmitida comercialmente por meio da Subestação Coletora que faz parte da Regional de Operação de Rondônia, que interliga as subestações da Coletora de Porto Velho e Araraquara 2 em São Paulo. Para atender a obra foram instaladas cinco mil torres em 81 municípios, partindo do estado de Rondônia e passando por Mato Grosso, Goiás, Minas Gerais e São Paulo. Fonte: http://www.eletronorte.gov.br/opencms/opencms/aEmpresa/regionais/rondonia/ 

Destaquei o trecho acima para explicar o motivo da falta de combustível afetar  a matriz energética de Rondônia, maior parte hidrelétrica, mas que tem um reforço da energia gerada por térmicas, no caso a Termonorte, pois a Usina Térmica Rio Madeira, conhecida por moradores antigos de Porto Velho como a Usina IV, localizada no bairro Nacional encontra-se DE AS TI VA DA! Isso mesmo! Falha de atualização das redes sociais da Eletronorte Eletrobrás, acontece, somos humanos!

Povo rondoniense, como brasileiro que somos, esquecemos fácil algumas situações. Vou recordar em tópicos também para não ficar chato demais a leitura: (resumo do texto do blogger de Orlando Francisco – especialista e do setor elétrico e funcionário da Eletrobras Eletronorte em Rondônia. https://orlandosouza.wordpress.com/2009/06/03/o-fim-do-ciclo-da-usina-trmica-rio-madeira-usina-iv-em-porto-velho-rondnia/)

- Julho/2009:  os Estados de Rondônia e Acre passam a fazer  parte do Sistema Interligado Nacional (SIN), através da interligação elétrica entre Vilhena(RO) e Jauru (MT).
Com esse fato relevante as usinas térmicas de Rondônia e do Acre passam a ter seríssimos problemas para suas manutenções, enquanto geradores de energia em regiões interligadas, pois os sistemas isolados sobrevivem do que recebem de subsídios da CCC http://www.aneel.gov.br/arquivos/PDF/ccc.pdf  para equilibrar os altos custos da geração a partir de combustíveis fósseis.

- A Eletronorte decidiu desligar as quatro (04) Turbinas a Gás geradoras da Usina Rio Madeira para diminuir prejuízos operacionais.

De 2010 a até 2015, a Térmica Rio Madeira foi alvo de uma estratégia política perigosa, a cooperação estratégica entre os governos da esquerda! O Brasil resolveu DOOAR isso mesmo, DOAR, a estrutura física da Usina Rio Madeira à Bolívia após uma reforminha básica de R$ 60 milhões!!! Antes da doação, o governo brasileiro precisava converter a usina para gás natural, combustível abundante na Bolívia... Coisa de los Hermanos!

Nesse caso preciso “matar a cobra e mostrar o pau”... Veja link abaixo, divulgado na mídia nacional.

https://economia.estadao.com.br/noticias/mercados,brasil-vai-reformar-usina-por-r-60-milhoes-e-doar-para-bolivia,1660205

E aí chegamos ao hoje, 24/05/2018, dia da padroeira de Porto Velho, Nossa Senhora!

Postos de combustíveis com filas enormes desde o início da semana, grandes aeroportos já anunciando que irá faltar combustível para abastecer aeronaves; os moradores de Buritis na “sofrência” de ter e não ter luz em suas residências... Pode piorar?! Pode e espero que não vá, mas...

E as tais usinas de Jirau e Santo Antônio. Bem, quando Rondônia passou a fazer parte do SIN – Sistema Interligado Nacional, começou a compartilhar os problemas energéticos dos grandes centros também!

As duas usinas geram energia elétrica para os grandes centros: Sudeste, Sul, Centro-Oeste e Nordeste então... É isso mesmo! Estamos vendo a energia passar por nossas cabeças e ir para o povo da cidade grande, que ainda nem consegue separar Rondônia de Roraima! Dura e real realidade!

Pronto! Falei até demais!

Os detalhes cabem às assessorias institucionais!

A Eletronorte decidiu desligar as quatro (04) Turbinas a Gás geradoras da Usina Rio Madeira para  - Gente de Opinião
A Eletronorte decidiu desligar as quatro (04) Turbinas a Gás geradoras da Usina Rio Madeira para