Domingo, 14 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Saúde

Três prefeitos e um deputado estão entre os presos da Operação Alcaides


Agência O Globo RECIFE - O terceiro prefeito detido pela Operação Alcaides, deflagrada na madrugada desta terça-feira, para investigar fraudes em licitações e desvio de verbas em prefeituras do agreste do estado, chegouno fim da tarde à superintendência da Polícia Federal (PF) de Pernambuco, no Cais do Apolo, no Recife. Otaviano Martins é prefeito de Manari. Os irmãos de Otaviano, Numeriano Martins, prefeito de Águas Belas, e o deputado estadual Claudiano Martins também foram detidos. Além deles, Manuel Ferreira dos Santos, prefeito de Tupanatinga, e funcionários públicos estão entre os presos. A delegada Adriana de Araújo Correia, da coordenadoria-geral de Polícia Fazendária de Brasília, é quem está comandando a operação. Também foram levados para a sede da PF documentos e computadores apreendidos. A ação acontece nas cidades de Itaíba, Águas Belas, Manari, Tupanatinga, Lagoa dos Gatos, Agrestina, Cupira e Panelas, mas também houve prisões em Garanhuns e Palmares. Cerca de 200 agentes federais de Pernambuco e de estados vizinhos trabalham para cumprir os mandados de busca e apreensão e os 21 mandados de prisão expedidos pelo Tribunal Regional Federal da 5ª Região. A investigação da atuação da quadrilha começou em 2005 e, segundo levantamento da Controladoria Geral da União, o prejuízo aos cofres públicos chega a R$ 10 milhões. Em janeiro deste ano, técnicos da CGU fizeram auditorias nas contas das prefeituras investigadas. Segundo o que foi apurado pela PF, os prefeitos envolvidos assinavam contratos e convênios para repasse de verbas da União e fraudavam a licitação utilizando empresas inexistentes ou que tinham ligações umas com as outras, o que, por si só, já constitui crime - uma vez que empresas concorrentes de uma mesma licitação não devem ter relações entre si. As empresas vencedoras da licitação não prestavam o serviço ou não entregavam o material comprado, mas apresentavam notas fiscais falsas às prefeituras para que os governos municipais pudessem elaborar prestações de contas fraudulentas. Com essas prestações, a verba era liberada pela União e o dinheiro era sacado pelos próprios prefeitos, tesoureiros, secretários de Finanças ou terceiros que não tinham ligações com as empresa supostamente contratadas. Alcaide é uma palavra do português antigo que quer dizer antigo governador de castelo, província ou comarca, com jurisdição civil e militar; atualmente, autoridade da administração espanhola com funções que correspondem às de prefeito, segundo o dicionário Houaiss.

Gente de OpiniãoDomingo, 14 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Nova fiscalização do TCE detecta problemas na saúde de Porto Velho

Nova fiscalização do TCE detecta problemas na saúde de Porto Velho

Uma nova fiscalização surpresa foi realizada pelo Tribunal de Contas (TCE-RO), na madrugada desta sexta-feira (12/7). Os auditores retornaram às uni

Assembleia Legislativa de Rondônia aprova R$ 230 milhões para a Saúde

Assembleia Legislativa de Rondônia aprova R$ 230 milhões para a Saúde

A Assembleia Legislativa de Rondônia (Alero) aprovou o Projeto de Lei 555/2024, que destina R$ 230 milhões para a Saúde do estado. O recurso será ut

Governo de Rondônia realiza reforma em ala do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro

Governo de Rondônia realiza reforma em ala do Hospital de Base Dr. Ary Pinheiro

Com o objetivo de oferecer um ambiente de qualidade, conforto e que impulsione a melhora na saúde dos pacientes, o governo de Rondônia realizou a re

Gente de Opinião Domingo, 14 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)