Porto Velho (RO) quinta-feira, 24 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Semusa realiza mutirão para controle da dengue



A Secretaria Municipal de Saúde (Semusa) começou ontem, terça-feira (15), uma atividade interinstitucional de controle da Dengue, na quadra de esporte do bairro Nacional, a partir das 9 horas. O trabalho envolve Ministério Público, 17ª Brigada e Semusa, que buscam conter o risco de infestação na Capital, tendo em vista o registro de epidemias nos Estados vizinhos. “Estamos em alerta quanto o risco, e a união dos entes públicos é a melhor forma de mobilizar e notificar a sociedade sobre a situação” – disse a diretora do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental da Semusa, Rute Bessa.

O secretário Municipal de Saúde Williames Pimentel falou que nas visitas domiciliares, feitas pelos agentes de endemias e durante os mutirões, uma das estratégias para coibir a proliferação de criadouros, será a notificação do morador onde for constatada a existência de criadouros.

Para tanto, foi elaborado pelos entes públicos um documento onde consta a advertência e o preenchimento de um formulário acusando o problema detectado, assim o morador se torna também responsável pela solução do problema. A ação ganha respaldo com a lei municipal 1.888, de junho de 2010, que dispõe sobre a ação preventiva e de fiscalização no município na prevenção e no combate a dengue. “A Semusa vai notificar o morador quanto a situação de risco e retornar ao local para saber se houve solução do problema, caso não haja, o Ministério Publico será acionado e o residente será convidado para participar de ações educativas voltadas para o combate e controle da endemia” – explicou Pimentel.

Estudos realizados em Porto Velho, apresentados pela Semusa, demonstram que há situação de iminente perigo à saúde pública em razão da constatação de índice de infestação do mosquito da dengue superior a 1% nos imóveis do município. A preocupação dos entes públicos leva em consideração que várias ações realizadas de sensibilização social, educação, limpeza de imóveis, entre outros, não têm surtido o efeito esperado, e que 90% dos focos do mosquito da dengue localizam-se nos imóveis residenciais, especialmente onde acumulam água, tais como pneus, caixas d´água e lixo.

Fonte: Aurimar Lima
 

Mais Sobre Saúde