Porto Velho (RO) sexta-feira, 25 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Profissionais de saúde participam de curso sobre prevenção



Técnicos e enfermeiros da rede municipal de Saúde, participarão de 21 a 25 de fevereiro, de um curso de qualificação em prevenção e tratamento de feridas e cuidados em úlceras crônicas. As aulas iniciaram nesta segunda-feira (21/02), no Centro de Formação Simone Araújo e serão realizadas em todo o período, de 08h às 12h e das 14h às 18h. A iniciativa é da secretaria municipal de Saúde (Semusa), numa parceria com os Conselhos Nacional e Regional de Enfermagem. O curso é ministrado pelos membros da Sociedade Brasileira de Enfermagem em Feridas e Estética (Sobenfee). A Semusa abriu vagas para enfermeiros de Itapuã do Oeste, Candeias do Jamari, Nova Mamoré e Guajará Mirim.
A doutora Roselee Pozzan, abriu a capacitação com o tema “Prevenção à Amputação de Diabéticos”. Segundo a médica, a prevalência de amputações em diabéticos é grande e isto pode ser prevenido. “Estes profissionais que atendem nas unidades de saúde da família, precisam estar preparados para atuarem de forma preventiva, para orientar o paciente diabético sobre a alimentação, os cuidados com os pés, até mesmo sobre a ida a manicure”, destacou.

Roselee apontou alguns dados do ministério da Saúde, que mostram que a atenção deve ser dobrada. De acordo com ela 80% dos casos de amputações são precedidos de úlceras; 15% dos diabéticos apresentam úlceras em algum momento de sua evolução e 50% das amputações poderiam ser prevenidas através de medidas simples. “Daí a necessidade de capacitação contínua. Cursos como este podem evitar que um atendimento ineficaz resulte numa amputação. Por isso é preciso capacitar e sensibilizar os profissionais de saúde para reconhecimento de pontos de risco e orientar o paciente para prevenção de lesões, fazer a intervenção precoce e identificar os casos que necessitam de encaminhamento.

Segundo o secretário municipal de Saúde, Williames Pimentel, estas feridas que rompem a integridade cutâneo-mucosa, requerem não apenas cuidados específicos de tratamento da lesão, mas também a identificação e intervenção nas possíveis e múltiplas dimensões desse agravo, incluindo medidas de prevenção e de reabilitação. “Com este trabalho, acreditamos estar contribuindo para uma atenção à saúde mais humana, fraterna, solidária e competente”.

Marilzete Telles, instrutora do curso explica que os pacientes a serem atendidos pelo serviço serão os usuários das Unidades de Saúde, incluindo tanto os encaminhados à sala de curativos, quanto os inscritos no Programa de Saúde da Família. “O objetivo dessas recomendações é direcionar o trabalho de todos os profissionais envolvidos no cuidado às feridas crônicas. E esperamos que estas recomendações possam ajudar os profissionais a desempenhar suas competências, buscando sempre trabalhar em equipe e voltados para um objetivo comum, que é o da assistência integral às pessoas com feridas”, disse.

As aulas serão teóricas e práticas. Nos dias 23, 24 e 25, haverá oficinas práticas.

Fonte: Meiry Santos

Mais Sobre Saúde