Porto Velho (RO) quinta-feira, 24 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Prefeitura de Porto Velho entra na campanha do Ministério da Saúde contra o cigarro


A prefeitura de Porto Velho realiza no próximo dia 06 de outubro, a primeira reunião com as pessoas que serão atendidas pelo Programa Antitabagismo, que será executado pelo município em parceria com o Ministério da Saúde. O encontro será na sede do Centro de Atenção Psicossocial Álcool e outras Drogas (CAPs-AD), que será o responsável pela coordenação do programa na capital.

Para chegar ao número exato da clientela, o CAPs– AD, está fazendo um levantamento entre os cadastrados no órgão, para identificar quantos fumantes estão sendo atendidos pela instituição. “Vamos primeiro trabalhar com essa clientela, porque é a que hoje temos em mão, mas o programa não será restrito a esses clientes, ele será amplo e aberto a toda comunidade”, informou a coordenadora do programa, a enfermeira Suziane Vasconcelos.

Ela explicou que será feito o levantamento pelo cadastro do CAPs-AD, para se chegar ao público-alvo pela facilidade e agilidade em se verificar os dados. “A pessoa quando faz o cadastramento, na entrevista ela informa se é fumante ou não. Tomamos essa providência porque os nossos clientes têm perfil diferenciados. Há casos em que a pessoa é usuária de bebida alcoólica e não fuma, outros só consomem drogas. Como esse é um programa específico para fumantes, temos que fazer essa separação”, explicou.

Chamado

Convites também estão sendo preparados pela coordenação do programa para ser enviado às unidades de saúde no município, a fim de que uma maior quantidade de pessoas sejam convidadas à participar do encontro que acontecerá no próximo dia 06. Na reunião, serão passadas todas as informações referentes à campanha antitabagismo da prefeitura de Porto Velho e também as formas de tratamento.

De acordo com a coordenadora, essas são informações importantes para a adesão dos fumantes ao programa. “Existem dúvidas principalmente, com relação ao tratamento, se é feito a base de remédio ou não. Um fator que depende muito do cliente, ou seja, cada caso é um caso, que precisa ser acompanhado separadamente”, adiantou.

O técnico em enfermagem, Elberth Nascimento, também da coordenação do programa, lembrou que a campanha será voltada tanto ao público adulto como também aos jovens. “Na maioria das vezes é na fase da adolescência que se tem o primeiro contato com o cigarro e até outras drogas. E o programa tem essa preocupação, dar uma atenção especial a esse público para que o mal seja combatido pela raiz. Por isso, também estamos abertos a estender esta campanha até as escolas. É só a direção do estabelecimento de ensino procurar a coordenação do programa aqui no CAPS-AD, para agendar uma palestra ou qualquer outra atividade”, disse.

Consequências

Suziane Vasconcelos lembrou que o fumo é responsável por várias doenças graves que acometem os fumantes. O vício é também responsável por 30% das mortes por câncer e 90% das mortes por câncer de pulmão, além de ocasionar outros tipos de câncer como de boca, laringe, faringe, esôfago, pâncreas, rim, bexiga e colo de útero.

Outro agravante é que 25% das mortes causadas pelo uso do cigarro provocam doenças coronarianas, como angina e infarto do miocárdio e 25% das mortes por doenças cerebrovasculares, entre elas o derrame cerebral. Nas doenças pulmonares obstrutivas crônicas, como bronquite e enfisema, 85% das mortes são causadas pelo fumo.Os fumantes também têm 10 vezes mais chances de ter câncer de pulmão; 50% a mais de sofrerem de um infarto que os não fumantes e cinco vezes mais de sofrer de bronquite crônica e enfisema pulmonar. E dependendo do grau de enfisema pulmonar, mesmo que o indivíduo suspenda o uso do cigarro se torna irreversível o processo.

Fonte: Joel Elias
 

Mais Sobre Saúde