Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Prefeitura alerta e orienta sobre o A (H1N1) em grande evento



A população deve ficar alerta para os sintomas da gripe e se necessário procurar um posto de Saúde.

 
A realização de um grande evento religioso internacional na capital trouxe a preocupação de que Porto Velho poderia ser exposta a uma epidemia do vírus A (H1N1), mais conhecido como a gripe suína. Segundo os organizadores do 12º Intereclesial das Comunidades Eclesiais, cerca de sete mil pessoas devem participar das atividades programadas para esta semana, entre os dias 21 a 25. 

Preocupados com o risco, os organizadores se reuniram com os representantes das secretarias municipal e estadual de Saúde para se interarem das medidas a serem tomadas, caso seja necessário. O arcebispo de Porto Velho, Moacir Grechi que também participou da reunião, foi informado sobre as precauções e, se necessário, sobre as medidas a serem adotadas no caso de qualquer caso suspeito do vírus. 

Com os sintomas da gripe, a pessoa deve procurar imediatamente uma das unidades de saúde do município, onde poderá ser atendido e medicado e caso necessário, encaminhado ao hospital estadual Cemetron, que é referência na capital para o tratamento do vírus A (H1N1). 

Pela secretaria municipal de Saúde, participaram da reunião com os coordenadores do evento, o secretário adjunto de Saúde, Luis Eduardo Maiorquim e outros técnicos da Semusa que orientaram os organizadores a repassarem as informações aos participantes logo no começo do evento. “A rede municipal de saúde que inclui as policlínicas e postos de saúde estão preparados para atender a pessoa que suspeitar do vírus, medicar em um primeiro momento e encaminhar para o Cemetron que é onde o doente vai fazer exames mais específicos e receber o tratamento adequado” alertou o secretário Pimentel. 


Principais sintomas do H1N1
 

É uma doença respiratória aguda (gripe), causada pelo vírus A (H1N1). Este novo subtipo do vírus da influenza é transmitido de pessoa a pessoa principalmente por meio da tosse ou espirro e de contato com secreções respiratórias de pessoas infectadas. Se a pessoa viajou para algum país que já teve algum caso de Influenza A (H1N1) e ao retornar ao Brasil apresentar febre, tosse e dor de garganta nos últimos sete dias, deve procurar assistência médica na unidade de saúde mais próxima. Há tratamento para a influenza em todo o País, através do sistema único de Saúde (SUS). Prefeitura alerta e orienta sobre o A (H1N1) em grande evento - Gente de Opinião


Procedimentos 

Ainda segundo o Plano de Enfrentamento do Ministério da Saúde, todos os passageiros procedentes de viagem internacional que desembarcam no Brasil devem preencher, obrigatoriamente uma declaração que será retida pela Anvisa para ser utilizada pelas autoridades brasileiras. Também ficou estabelecido que as tripulações das aeronaves orientem os passageiros de vôos internacionais e domésticos sobre sinais e sintomas do novo vírus Influenza A (H1N1). 


Vacina
 

Até o momento, não existe vacina contra esse novo vírus e o Brasil que já registrou a morte de 11 pessoas por causa da gripe, conta com uma rede de vigilância para monitorar a circulação dos vírus respiratórios, além de um plano de preparação para o enfrentamento de uma possível pandemia de influenza. Todas as secretarias estaduais e municipais de saúde foram acionadas para intensificar o processo de monitoramento e detecção oportuna de casos suspeitos da doença. As medidas estão previstas no plano de preparação para enfrentamento da pandemia, do Ministério da Saúde que coloca na Internet todas as informações e precauções sobre o vírus, através do site disponível em www.saude.gov.br .

Fonte: Ascom

Mais Sobre Saúde