Porto Velho (RO) domingo, 27 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Parceria possibilita a realização de cirurgias ortopédicas em crianças



Visando atender 39 crianças que necessitam de cirurgias ortopédicas de alta complexidade, o governo de Rondônia está dando continuidade à parceria com o Instituto Nacional de Traumatologia (INTO). Durante esta semana as crianças passarão por consultas prévias com especialistas. As cirurgias acontecem entre os dias 05 e 11 de abril. Sem o atendimento ortopédico especializado, os pacientes teriam que ser deslocados para outros Estados através do programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD). Todas as cirurgias serão realizadas no Hospital de Base (HB), em Porto Velho.

“A efetivação dessas parcerias é uma determinação da administração Ivo Cassol. Com o INTO realizamos diversos tipos de cirurgias ortopédicas. Em menos de dois anos, esta é a quinta vez que os especialistas do instituto atuam em Rondônia. Desde o início da parceria já atendemos 287 pacientes entre crianças e adultos. A nossa meta é ampliar, cada vez mais, esse trabalho”, afirmou Milton Moreira, secretário de Estado da Saúde.

Unidades de Terapia Intensiva – Segundo o diretor geral do Hospital de Base, Amado Rahhal, a equipe de médicos e auxiliares do INTO trabalhará em conjunto com os profissionais do HB. “O instituto trará uma equipe multidisciplinar formada por ortopedistas e fisioterapeutas. Eles também terão todo o apoio técnico dos profissionais do nosso hospital. Já estamos reservando os leitos necessários e Unidades de Terapia Intensiva (UTIs)”.

Especialistas atendem pessoas de todo o Estado - O trabalho desenvolvido pela administração estadual, em parceria com o INTO, atende pessoas de todas as regiões de Rondônia. Todos receberão aqui o tratamento que antes era realizado no Rio de Janeiro. A parceria beneficia diretamente os pacientes que teriam que ser atendidos via TFD.

Em Jaru, mora a família da menina Raynara Vitória de Souza, de cinco anos, que nasceu com deformidade nas pernas, pés e na barriga. Sua mãe, Maria José Aguiar da Cunha, diz que a filha nasceu em Belo Horizonte, “onde ela já esteve posteriormente, por duas vezes, em busca de atendimento”. Os médicos consultados informaram que Raynara precisaria crescer um pouco mais para passar por uma cirurgia. “Agora, espero que a equipe de especialistas possa resolver aqui mesmo o problema da minha filha, evitando que ela tenha que se deslocar para outros Estados”.

Já levei meu filho 27 vezes para Curitiba - A dona de casa Simone Pereira Bastos é mãe do garoto Jordan Bastos Celante, de oito anos, que nasceu com Síndrome de Larsen, uma enfermidade que atrofia os nervos. Ela mora na área rural de Nova Mamoré e conta que desde que o filho nasceu busca atendimento especializado. “Já levei meu filho 27 vezes para Curitiba, onde o Jordan passou por seis cirurgias. Graças a Deus, agora ele vai passar pela avaliação da equipe de especialistas para continuar o tratamento aqui em Rondônia”, completou.

O bebê Richard Souza Santos, de nove meses, nasceu com má formação genética nos pés e mãos. A mãe, Érica Maria de Souza Damasceno, residente em Ji-Paraná, conta que, “a equipe do governo do Estado ligou, no último sábado, para meu marido informando sobre o atendimento. Ele será avaliado para saber se passará por uma cirurgia aqui mesmo em Porto Velho. Isso é muito importante, para nós e principalmente para meu filho”.

Fonte: Decom

Mais Sobre Saúde