Porto Velho (RO) sexta-feira, 18 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Malária castiga crianças na região amazônica


  
 
Apesar de os números de casos terem diminuído consideravelmente, a malária ainda é a doença que mais atinge crianças e adolescentes na região amazônica, e, conseqüentemente, a que mais preocupa médicos, pais e os governos.

O alerta, dado pelo médico pediatra Alexandre Saraiva, permeou alguns dos debates realizados sobre a doença, no último final de semana, durante o Curso de Educação Médica Continuada, promovido, em seu segundo ano consecutivo, pelo Conselho Regional de Medicina de Rondônia (Cremero), com apoio do Conselho Federal de Medicina (CFM) e da Universidade Federal do Amazonas (UFAM).

Além da malária, Alexandre Saraiva orientou um grupo de médicos pediatras, da capital e do interior do Estado, sobre a identificação e tratamento da meningite e da dengue. Com o tema pediatria, durante dois dias, o curso tratou de temas específicos à área. Hematúria, proteinúria, doença reumática, trauma crânio encefálico e casos clínicos foram os outros temas da palestra.

Alexandre Saraiva lembrou que, apesar de a malária estar sendo combatida e ter cura, a doença ainda assusta pelo alto número de incidência. O tratamento incorreto e a falta de acompanhamento médico adequado, segundo ele, podem resultar em óbito.

Para diminuir o número de mortes por malária, o médico afirma que, além do trabalho de combate ao mosquito, é importante que todos os postos de saúde estejam bem equipados e tenham médicos suficientes para acompanhar os casos. "As condições de trabalho para o médico é fundamental. Às vezes o mosquito da malária está alojado dentro do próprio posto de saúde", adverte Alexandre Saraiva.

Fonte: Cremero/Carlos Araújo – MTb 162-RO
 


Mais Sobre Saúde

SENAI garante manutenção de respiradores da rede pública do Estado

SENAI garante manutenção de respiradores da rede pública do Estado

A rede pública de Rondônia recebeu essa semana, seis respiradores pulmonares que passaram por manutenção do Serviço Nacional de Aprendizagem Industr