Porto Velho (RO) sexta-feira, 7 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Jovens começam a beber cada vez mais cedo e de forma abusiva


Pesquisa elaborada pela Universidade Federal de São Paulo (Unifesp) em parceria com a Secretaria Nacional Antidrogas (Senad) revela que a idade de início de consumo de álcool diminuiu nos últimos anos. Jovens que têm hoje entre 18 e 25 anos de idade começaram a beber aos 15, enquanto adolescentes de 14 a 17 começaram aos 13,9 anos. O 1º Levantamento Nacional sobre os Padrões do Consumo de Álcool na População Brasileira foi realizado entre novembro de 2005 e abril de 2006 com dados representativos de 100% da população brasileira. "É uma adolescência bastante tenra.

Provavelmente isso é uma tendência que vem acontecendo há muito tempo, de geração em geração", explica a psicóloga Ilana Pinsky, uma das responsáveis pela pesquisa. De acordo com o estudo, dois terços dos adolescentes são abstinentes. Mas 16% do total - ou metade dos que consomem álcool - já beberam pelo menos quatro doses em uma mesma ocasião, considerado o padrão de consumo de mais alto risco.

Entre esses, 30% fizeram isso duas vezes por mês ou mais no último ano. Apesar de ser proibido vender bebidas alcoólicas para pessoas menores de 18 anos, há pouca fiscalização e são raros os bares que pedem documento de identidade para os jovens. A facilidade de comprar, o preço baixo (o Brasil está entre os países em que a cerveja é mais barata) e a grande tolerância social à bebida são fatores que contribuem para o início precoce do consumo de álcool.

Outros riscos – A exposição a doenças sexualmente transmissíveis e a acidentes de carros são agravadas pelo consumo álcool. "Em grande quantidade o álcool desinibe, diminui a atenção e provoca a perda dos reflexos. O adolescente ainda não tem a compreensão perfeita da realidade, por isso está exposto a muito mais riscos que um adulto diante de uma intoxicação alcoólica", alerta a presidente da Associação Brasileira de Estudos de Álcool e Drogas (Abead), Analice Gigliotti.

Fonte: ANDI - Folha de S. Paulo (SP), Letícia de Castro.

Mais Sobre Saúde

CFM encaminha para Conselhos Regionais de Medicina esclarecimentos da Anvisa sobre obrigatoriedade de receita médica para determinados medicamentos

CFM encaminha para Conselhos Regionais de Medicina esclarecimentos da Anvisa sobre obrigatoriedade de receita médica para determinados medicamentos

Tendo em vista a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 405/2020 da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicada no Diário Oficial da União (

UPAS Sul e Leste, de Porto Velho, atenderam mais de 35 mil pacientes nos últimos 3 meses

UPAS Sul e Leste, de Porto Velho, atenderam mais de 35 mil pacientes nos últimos 3 meses

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) de Porto Velho, localizadas nas Zonas Sul e Leste, atingiram a marca de 35.004 atendimentos no último trime

Conselho Regional de Medicina de Rondônia a serviço dos profissionais médicos e sociedade

Conselho Regional de Medicina de Rondônia a serviço dos profissionais médicos e sociedade

Criado pela Lei nº 3.268/1957, o Conselho Regional de Medicina de Rondônia (CREMERO) é uma autarquia federal composto por 21 membros efetivos (e igu