Porto Velho (RO) segunda-feira, 10 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Hipotiroidismo e anemia são destaques em curso para médicos


Oitavo módulo do Curso de Educação Médica Continuada, realizado pelo Cremero para cerca de 50 médicos, realizado no final de semana, enfocou a detecção e a prevenção do hipotiroidismo e da anemia. Os males, segundo os médicos especialistas em endocrinologia e hematologia Jean Jorge de Souza e Jorge Augusto Godoy, da Ufam (Universidade Federal do Amazonas), despontam entre as doenças mais comuns na região amazônica. “O hábito alimentar do amazônida contribui muito para o desenvolvimento das doenças”, explica Jorge Augusto.
Pesquisador da área e um profundo conhecedor do assunto o endocrinologista Jean Jorge explica que o hipotiroidismo, além de outros órgãos, pode afetar dos ossos ao cérebro. “Hoje há uma freqüência maior de diagnóstico da doença. Nas crianças, por exemplo, a baixa estatura é uma das principais características do hipotiroidismo”. A doença, segundo o especialista, pode ser originada principalmente pelo iodo. “A exposição ao iodo pode levar ao hipotiroidimo. O próprio organismo causa a doença. O sistema imunológico ataca a tiróide e ocasiona o mal”. Jean Jorge explica que a ‘Tiróide de Hamshimoto’ (linfocítica crônica) é a mais comum. “O teste do pezinho facilita a detecção da doença nas crianças”, observa Jean Jorge.
Anemia
Na tarde de sábado, o hematologista e hemoterapeuta Jorge Augusto de Godói fez um alerta sobre a anemia e especificou as principais causas e as medidas para combater a doença. Segundo ele, a perda de ferro através de hemorragias é a principal causa do mal. “As mulheres são maioria entre as vítimas da doença devido seu estado natural de menstruação. Nas crianças a maior causa da doença é a dieta carente de ferro e a espoliação por parasitas ou sangramento”.
Além de sulfato ferroso, o hematologista indica fígado de boi para complementar a reposição do ferro perdido. “Alguns especialistas sugerem a vitamina ‘C’ para ajudar a absorção do ferro. Contudo deve-se ter um cuidado com isso, pois a excesso de vitamina pode causar intoxicação vitamínica”.
O especialista fez um alerta também quanto a doação de sangue. “Se a doação de sangue tiver causando mal ao doador então a ação deve ser suspensa. A doação de sangue deve ser inócua ao doador. Mulheres grávidas e lactantes devem ter um acompanhamento especial”, alertou o médico.
Módulo
O curso de Educação Médica Continuada é realizado no auditório do próprio Cremero, na avenida dos Imigrantes, bairro Costa e Silva. Como esse foi o penúltimo módulo os profissionais que participam do curso já começam a se movimentar para, em novembro, apresentarem ao Cremero um artigo científico sobre algum tema das nove palestras ministradas desde março.
A coordenadora do curso, médica Inês Motta, explica que o aproveitamento dos médicos será mensurado pela qualidade dos trabalhos apresentados. “Os artigos servirão como prestação de contas ao CFM”, obeservou Inês Motta.
Fonte: Ascom

Mais Sobre Saúde

Moradores vacinados durante força tarefa

Moradores vacinados durante força tarefa

A campanha de vacinação realizada no Residencial Orgulho do Madeira imunizou 619 pessoas durante quatro dias de atividades. Ao todo, 27 profissionai

Deputado Anderson quer retorno imediato de cirurgias de urgência, suspensas desde o início da pandemia

Deputado Anderson quer retorno imediato de cirurgias de urgência, suspensas desde o início da pandemia

O deputado estadual Anderson Pereira (PROS) encaminhou ao poder executivo, com cópia para a Secretaria Estadual de Saúde (Sesau), requerimento solic

CFM encaminha para Conselhos Regionais de Medicina esclarecimentos da Anvisa sobre obrigatoriedade de receita médica para determinados medicamentos

CFM encaminha para Conselhos Regionais de Medicina esclarecimentos da Anvisa sobre obrigatoriedade de receita médica para determinados medicamentos

Tendo em vista a Resolução da Diretoria Colegiada (RDC) 405/2020 da Agência de Vigilância Sanitária (Anvisa), publicada no Diário Oficial da União (

UPAS Sul e Leste, de Porto Velho, atenderam mais de 35 mil pacientes nos últimos 3 meses

UPAS Sul e Leste, de Porto Velho, atenderam mais de 35 mil pacientes nos últimos 3 meses

As Unidades de Pronto Atendimento (UPAS) de Porto Velho, localizadas nas Zonas Sul e Leste, atingiram a marca de 35.004 atendimentos no último trime