Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Farmácias Populares de PVH terão medicamentos gratuitos



A partir do dia 14 de fevereiro, segunda-feira, as duas Farmácias Populares de Porto Velho oferecerão medicamentos gratuitos para controle da hipertensão e diabetes. Esta distribuição está de acordo com o anúncio feito na terça-feira, 08, pela Presidente Dilma Roussef e o Ministro da Saúde, Alexandre Padilha. Além da gratuidade dos medicamentos para estas duas patologias, também foi anunciado pelo Governo Federal ações para melhorias de acesso e os mecanismos para o aperfeiçoamento do controle e da eficiência, e também do impacto do Programa Farmácia Popular do Brasil - Aqui tem Farmácia Popular. 

As Farmácias Populares de Porto Velho estão localizadas na Rua Dom Pedro II esquina com a Rua Joaquim Nabuco e na Avenida José Amador dos Reis, no bairro Tancredo Neves, ambas estão dentro do programa, Saúde Não Tem Preço. Os medicamentos gratuitos também podem ser encontrados nas farmácias particulares desde que participantes do programa do Governo Federal, “Aqui tem Farmácia Popular”. 

A gerente técnica da Farmácia Popular, farmacêutica Fabiane Serafin, explicou que “o paciente para receber o medicamento, precisa de uma receita médica, particular ou da rede pública de saúde, um documento com foto e o CPF. No ato da entrega do medicamento, será feito um cadastro com o paciente através do número do CPF. A medicação entregue não será paga, mas será emitida uma nota fiscal em duas vias, com zeros no campo do valor. Uma via fica assinada na farmácia e a outra é entregue à pessoa que buscou o medicamento. Durante trinta dias, outro medicamento do mesmo já recebido, não poderá ser entregue novamente, somente após esta data”, detalhou.

Nas farmácias particulares os medicamentos já estão disponíveis desde a publicação da Portaria nº.184 do Ministério da Saúde. Nas Farmácias Populares, entra em vigor a gratuidade a partir do dia 14, segunda-feira. 

Prevenção

De acordo com informações do Ministério da Saúde, segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde (OMS), 60% das mortes que ocorrem em todo o mundo são causadas por doenças crônicas, principalmente as doenças cardiovasculares (18 milhões) e diabetes (1,1 milhão). Do total de mortes, 80% estão concentradas em países de média e baixa renda. A Pesquisa Nacional por Amostragem de Domicílios (PNAD), apontou que no ano de 2008, 14% da população brasileira preferiram ter um diagnóstico médico de hipertensão arterial e 3,6% diabetes. No ano de 2009, ocorreram 308.466 óbitos por doenças cardiovasculares e 47.718 óbitos por diabetes na população brasileira, o que representa 34% do total de óbitos ocorridos no Brasil.

No que se refere aos aspectos relacionados à assistência farmacêutica, foi constatado que com a expansão do acesso aos medicamentos essenciais para o tratamento destas doenças, aproximando a capacidade do programa em atender o incremento da demanda que virá do fortalecimento do sistema de saúde e da atenção básica, vai permitir à sociedade diagnósticos e tratamentos mais precoces, além das ações essenciais de prevenção e de promoção. Para maiores informações - Disque saúde 0800 61 1997.

Fonte: Fabrícius Bariani

 

Mais Sobre Saúde