Porto Velho (RO) terça-feira, 20 de agosto de 2019
×
Gente de Opinião

Saúde

Emagrecimento e bariátrica: mudança que precisa de incentivo da família

A participação ativa da rede de apoio do paciente é essencial antes e depois da cirurgia


Emagrecimento e bariátrica: mudança que precisa de incentivo da família - Gente de Opinião

Decidir passar por uma cirurgia bariátrica é algo que requer, além da vontade do próprio paciente, o apoio da família. "O incentivo deve começar antes da cirurgia em si, para a pessoa sentir a segurança de que a adaptação no pós-operatório será tranquila e que as mudanças em sua alimentação e em seu estilo de vida serão abraçadas por quem a rodeia", afirma a psicóloga Jaqueline Mingacci, da equipe do cirurgião bariátrico Thales Delmondes Galvão.

Nesse sentido, é importante que toda a rede de apoio entenda, já na época que antecede a operação, o que está prestes a acontecer. Jaqueline explica: "Há familiares que, sem perceber, sabotam os desejos de quem está disposto a passar pela redução de estômago. Isso normalmente é motivado pelo medo, porque eles não sabem muito bem como será e ficam com receio de que esse filho, esse irmão sofra ou passe mal."

A solução para eliminar a insegurança é a informação: a família pode e deve ir com o paciente às consultas de esclarecimento com o cirurgião e aos encontros com a equipe multidisciplinar que acompanha o caso, composta por psicólogos e nutricionistas (entre outros especialistas), para perceber que o procedimento não é nenhum bicho de sete cabeças.

Respeito às restrições do pós-operatório

Feita a bariátrica, começa um período de reeducação alimentar e adaptação à nova realidade: os dias seguintes à cirurgia são acompanhados de uma dieta líquida, e depois disso hábitos como praticar atividades físicas, mastigar lentamente e evitar frituras, molhos gordurosos e açúcar acompanharão o paciente por toda a vida. É essencial que a rede de apoio também acate essas restrições.

"A família deve ter em mente que não é legal comer um hambúrguer na frente dessa pessoa no início, que em um churrasco não se deve insistir para que ela coma 'só mais um pouquinho', que é preciso respeitar os horários de academia. Sem esse auxílio, o risco de perder os bons resultados aumenta muito", diz Jaqueline.

Há, ainda, a necessidade de amparo por parte da família para as eventuais dificuldades físicas que o recém-operado enfrente. O cirurgião bariátrico Thales Delmondes Galvão conta que algumas vezes "devido à perda de peso mais acentuada no início do tratamento, a pessoa pode ter um pouco de fraqueza ou tontura. É sempre bom ter a companhia de um parente ou amigo para fazer as caminhadas, que no início devem ser mais frequentes, durante 15 a 20 minutos".

Um ombro amigo, o cuidado para que os medicamentos sejam tomados nos horários corretos, o controle dos sintomas e até a iniciativa para agendar uma consulta médica são atitudes dos familiares que fazem toda a diferença para o sucesso pós-operatório.

Por fim, a psicóloga Jaqueline destaca a importância de uma compreensão mais ampla por parte do círculo próximo ao paciente: "Quando alguém procura pela cirurgia de redução de estômago, é porque está com comorbidades e quer melhorar a saúde, o bem-estar. Apoiá-la é incentivar uma nova vida".


Dr. Thales Delmondes Galvão é membro titular da SBCBM (Sociedade Brasileira de Cirurgia Bariátrica e Metabólica), membro da IFSO (International Federation for the Surgery of Obesity and Metabolic Disorders) e especialista em laparoscopia pela Sobracil (Sociedade Brasileira de Cirurgia Laparoscópica)

Mais Sobre Saúde

Encontro de Direito Médico supera expectativas, avalia coordenador

Encontro de Direito Médico supera expectativas, avalia coordenador

O advogado Cândido Ocampo abriu o Encontro lembrando que ninguém faz nada sozinho e agradeceu às instituições parceiras, patrocinadoras e palestrant

Crianças que aguardavam por cirurgias são operadas em força-tarefa do Hospital Infantil Cosme e Damião

Crianças que aguardavam por cirurgias são operadas em força-tarefa do Hospital Infantil Cosme e Damião

Cerca de  600 crianças, que estão aguardando por uma cirurgia eletiva através do Sistema Único de Saúde (SUS), estão passando por uma triagem feit

Sebrae trouxe especialista para reclassificar riscos sanitários

Sebrae trouxe especialista para reclassificar riscos sanitários

O Encontro Estadual de Vigilância Sanitária do Estado de Rondônia foi realizado pela Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) em parceria c

O VIII Encontro de Direito Médico de Rondônia, que acontece nesta sexta, será aberto à sociedade.

O VIII Encontro de Direito Médico de Rondônia, que acontece nesta sexta, será aberto à sociedade.

Temas como aspectos éticos na publicidade médica, os desdobramentos jurídicos da relação médico-paciente, segurança em cirurgia plástica, judicializ