Porto Velho (RO) segunda-feira, 3 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Curso internacional sobre Vírus Emergentes na Amazônia


As atividades envolverão instituições de renome mundial, como e o Instituto Pasteur a Fiocruz. O curso será ministrado, em Porto Velho , no Laboratório Central (Lacen) e no Instituto de Pesquisa em Patologias Tropicais (Ipepatro). A administração estadual, ainda está investindo aproximadamente 40 mil reais na adequação da unidade. O evento também é coordenado pelo Cepem, sob orientação do professor Luis Hildebrando Pereira da Silva.
“É uma honra para Rondônia realizar um curso de nível internacional, quando receberemos especialistas renomados. Isso é de grande importância, pois nosso foco está voltado para o futuro do Estado. Com a construção das hidrelétricas do Rio Madeira poderão ocorrer aumento de doenças viróticas conhecidas ou não. Precisamos nos precaver de forma efetiva, com profissionais capazes de orientar e conduzir medidas de contenção”, afirmou Milton Moreira, secretário de Estado da Saúde.
Institutos internacionais - Os conferencistas serão pesquisadores e professores dos Institutos Pasteur de Paris, Lyon e Cayenne, pesquisadores do Center of Disease Control de Atlanta, USA e de instituições cientificas da Argentina e Uruguai. Pesquisadores brasileiros da Fiocruz, do Instituto Evandro Chagas, do Instituto Ludwig e de universidades de São Paulo, Rio de Janeiro, Pará e Goiás também participam como conferencistas, tutores de grupo e auxiliares de ensino.
Segundo dados do Instituto Evandro Chagas, dos 400 arbovirus estimados na Amazônia, apenas a metade foi identificada. “A região norte possui grandes áreas de florestas sem nenhuma ocupação humana e que podem abrigar doenças viróticas, letais ao homem”, completou Milton Moreira.
Preferência para especialistas da região amazônica
O curso internacional de viroses emergentes oferecerá 24 vagas para especialistas em virologia ou microbiologia de 14 instituições brasileiras e 10 de outros paises da América do Sul. Os participantes terão que ter experiência de trabalho laboratorial, em universidades ou centros de pesquisas. O curso será ministrado em inglês. Haverá preferência para representantes da região amazônica. Para a realização do curso, o governo de Rondônia conta com a parceria de instituições de pesquisa do Brasil e do exterior.
A programação envolve conferências, seminários, apresentação de trabalhos. Acontecem ainda atividades práticas em laboratório de isolamento e caracterização de vírus por técnicas sorológicas e moleculares. O curso será ministrado em regime de dedicação exclusiva. O curso abordará: ecossistemas, vírus e vetores, arbovirus, raiva canina e de morcego, Aids: situação atual de vacinas e tratamento, hepatites infecciosas e ecologia viral.
Para a realização do curso, o Estado está implantando no Lacen novos sistemas de exames como: cultivo celular e isolamento do vírus da Dengue, genotipagem de Hepatite C pela metodologia de PCR - biologia molecular e diagnóstico da raiva animal com o cultivo e realização do PCR, para o conhecimento das cepas circulantes no Estado.
O investimento estadual no Lacem possibilitará também a implantação de exames para a pesquisa da leishmaniose tegumentar e vetores transmissores. O laboratório central permanecerá como suporte em biologia molecular para pesquisa de outros agravos, de importância epidemiológica para o Estado.
Fonte: A/I SESAU - Decom

Mais Sobre Saúde

CREMERO se reúne com Grupo Pensar Rondônia, Promotoria de Justiça e Deputados Estaduais de Cacoal

CREMERO se reúne com Grupo Pensar Rondônia, Promotoria de Justiça e Deputados Estaduais de Cacoal

Dando sequência aos trabalhos propostos pela fiscalização dos hospitais em Cacoal, em outra pauta na tarde desta quinta-feira (30), a Diretoria do Con

Servidores e familiares têm atendimento específico para Covid-19 na Policlínica Oswaldo Cruz, em Porto Velho

Servidores e familiares têm atendimento específico para Covid-19 na Policlínica Oswaldo Cruz, em Porto Velho

O servidor público Charles da Cunha é gerente de enfermagem na Policlina Oswaldo Cruz (POC), em Porto Velho, e há algumas semanas testou positivo para

Vacinação contra o Sarampo em Porto Velho é prorrogada até 31 de agosto

Vacinação contra o Sarampo em Porto Velho é prorrogada até 31 de agosto

Pessoas com idade entre 20 a 49 anos devem procurar as unidades de saúde em Porto Velho para serem vacinados contra o sarampo. Segundo o Ministério