Porto Velho (RO) terça-feira, 29 de setembro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Cólera na América Central alerta Vigilância Sanitária Municipal


 Cólera na América Central alerta Vigilância Sanitária Municipal - Gente de Opinião

A disseminação de uma epidemia de cólera no Haiti e a confirmação do surgimento de focos da doença em outros países das Américas, deixou em alerta a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), com um possível surto da doença no Brasil, principalmente no Norte do país, devido a proximidade dos estados da Amazônia, com os países onde já existe casos confirmados da doença.

De acordo com a Organização Pan Americana de Saúde (Opas), o número de mortos em decorrência da epidemia de cólera no Haiti foi de 4.030 pessoas até o final de janeiro. Mas desde a eclosão da doença em outubro do ano passado, 209.034 haitianos foram infectados, dos quais 117.930 tiveram de ser hospitalizados.

Precaução

O assunto foi o tema principal discutido em uma reunião realizada na última quarta feira, 08, no departamento municipal de Vigilância Sanitária. Participaram do encontro, técnicos da representação da ANVISA em Rondônia e da Agência Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa). O diretor da Vigilância Sanitária municipal, Ronald Gabriel, adiantou que a reunião foi para se definir algumas estratégias, para evitar a entrada da doença na capital do Estado.

“Hoje a doença está sob controle em Porto Velho, mas é preciso que sejam tomadas algumas precauções para não sermos surpreendidos com a constatação de novos casos. E, para isso, é fundamental a participação da população, tomando as devidas precauções para evitar a contaminação.

Entre as ações previstas, está o monitoramento da entrada de pessoas na cidade pelo Aeroporto Internacional Governador Jorge Teixeira, e nos portos, que ficará sob a responsabilidade dos técnicos da Anvisa/RO, e também o desembarque de passageiros na rodoviária, que será monitorado pela prefeitura, por meio da Vigilância Sanitária municipal.

Para Ronald Gabriel, fiscalizar esses locais é necessário por causa da entrada de pessoas vindas de outros países, principalmente os vizinhos, em busca de emprego na cidade, por conta das obras do complexo hidrelétrico do rio Madeira, com a construção das usinas de Santo Antônio e Jirau.

“É importante salientar que durante as inspeções de rotina da Vigilância Sanitária, os técnicos estarão atentos quanto a notificação de pacientes com sinais e sintomas de diarréia aguda, inclusive, participando do processo de investigação do paciente com a finalidade de confirmar ou descartar o caso”, afirmou o diretor.

Cuidados

No sentido de alertar a população sobre o risco de voltar a registrar casos de cólera na cidade, o Departamento de Vigilância Sanitária está emitindo Nota, orientando sobre alguns cuidados que devem ser tomados. São recomendações simples, mas que para Ronald Gabriel, contribuem em muito como: utilizar água e gelo apenas de procedência conhecida, e caso tenham dúvidas, clorar a água com hipoclorito de sódio a 2,5% (duas gotas de hipoclorito para cada litro de água); escolher alimentos seguros, verificando prazo de validade, acondicionamento e suas condições físicas (aparência, consistência e cheiro). “Orientamos também, reaquecer bem alimentos que tenham sido congelados ou refrigerados antes de consumir; comer alimentos bem cozidos e ainda quentes; armazenar adequadamente os alimentos cozidos que serão consumidos mais tarde; evitar comer comidas cozidas e deixadas em temperatura ambiente por várias horas; manter os alimentos fora do alcance de insetos, roedores e outros animais, e também lavar as mãos com freqüência antes das refeições”, adiantou.

Fonte:  Joel Elias
Foto: Medeiros e Divulgação

 

Mais Sobre Saúde