Porto Velho (RO) domingo, 23 de fevereiro de 2020
×
Gente de Opinião

Saúde

Cirurgia Bariátrica: entenda as mudanças na libido após o procedimento

Cirurgião do aparelho digestivo Thales Delmondes Galvão explica de que formas o procedimento melhora a vida sexual e como lidar com as mudanças


Cirurgia Bariátrica: entenda as mudanças na libido após o procedimento - Gente de Opinião

 

Fazer uma cirurgia bariátrica causa impactos variados: a perda de peso decorrente do procedimento muda a aparência, eleva a autoestima e interfere na produção hormonal. Além disso, um efeito nem sempre lembrado é que pode haver uma alteração na libido e na vida sexual do paciente, seja mulher ou homem: e é para melhor.

 

Das doenças que podem interferir na sexualidade, a obesidade vem sendo considerada uma das causas crônicas entre a população. Por isso, com a perda de peso e a melhoria na qualidade de vida, os pacientes que passam pela cirurgia bariátrica tendem a sentir resultados positivos nas práticas sexuais.

 

“É muito comum a bariátrica resultar em uma melhora da libido, principalmente pela elevação da autoestima e pelo controle de comorbidades, quando existentes. Quando o paciente se sente mais seguro em relação ao seu próprio corpo, naturalmente a vontade de fazer sexo aumenta”, explica o cirurgião do aparelho digestivo, Thales Delmondes Galvão, especializado em cirurgia bariátrica.  

 

É importante ressaltar que muitas pessoas que passam pela intervenção adotam um novo estilo de vida, passando a praticar exercícios físicos e se alimentando de forma mais saudável, o que também estimula o aumento da libido. Os pacientes apresentam menos limitações relacionadas à saúde durante o sexo, o que contribui para o aumento do desejo sexual.

 

E se houver queda na libido?

 

Em primeiro lugar, de acordo com Thales, é imprescindível entender a origem da alteração. “É sempre interessante a mulher procurar um ginecologista e o homem, um urologista para investigar. Um psicólogo ou psiquiatra também é bem-vindo”, afirma.

 

Também é importante que essas pessoas passem por exames que possam identificar possíveis problemas hormonais. “A questão hormonal também não pode ser esquecida, pois o organismo sente quando os hormônios estão desregulados, o que leva a sintomas comuns em pessoas com obesidade, tais como exaustão ou falta de disposição. No caso da excitação física e da libido, há uma relação direta a testosterona e estrogênio em homens e mulheres, respectivamente”, explica.  

 

Segundo o especialista, que realizou mais de três mil procedimentos nos últimos dez anos, entre as mulheres é importante levar em consideração a mudança de anticoncepcional – normal depois de uma bariátrica –, uma vez que o uso ou não de método hormonal é diretamente ligado à questão da libido.

 

É preciso ficar atento também a questões paralelas, que não têm a ver com a cirurgia, como depressão ou problemas no trabalho, na família e nas finanças, já que a alteração pode ser decorrente de uma série de fatores presentes no cotidiano do paciente. “A libido é multifatorial, e tudo isso pode deixar a pessoa com sem ânimo para pensar em sexo”, diz.

 

Mais Sobre Saúde

Hospital de Amor Amazônia inaugura novo acelerador linear para radioterapia

Hospital de Amor Amazônia inaugura novo acelerador linear para radioterapia

O Hospital de Amor Amazônia inaugura nesta quinta (20), às 10 horas, em Porto Velho (RO), o seu segundo acelerador de partículas linear, equipamento d

UHE Jirau entrega postos de saúde, veículos e melhorias sanitárias para SESAI atender à terra indígena kaxarari

UHE Jirau entrega postos de saúde, veículos e melhorias sanitárias para SESAI atender à terra indígena kaxarari

A Usina Hidrelétrica (UHE) Jirau entregou para o Polo da Secretaria Especial de Saúde Indígena (SESAI), localizado no distrito de Extrema, três post

Municípios de Rondônia recebem pulverização para combater mosquito transmissor da dengue

Municípios de Rondônia recebem pulverização para combater mosquito transmissor da dengue

Com o período chuvoso o número de casos de dengue em Rondônia aumenta, e a preocupação da Agencia Estadual de Vigilância em Saúde (Agevisa) é redobrad

Cientistas britânicos começam a testar vacina contra o coronavírus  em ratos

Cientistas britânicos começam a testar vacina contra o coronavírus em ratos

Uma equipe de pesquisadores britânicos anunciou hoje (11) que está testando em ratos uma vacina contra o novo coronavírus e espera concluir a experi