Porto Velho (RO) quarta-feira, 23 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

Territórios Quilombolas de Rondônia têm novas regras para titulação



O governo federal estabeleceu novas regras para a demarcação de territórios remanescentes de quilombos, trabalho que é realizado pelo Instituto Nacional de colonização e Reforma Agrária (Incra) através do Programa Brasil Quilombola.

As mudanças fazem parte da Instrução Normativa (IN) nº 49, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (01), e são resultado dos estudos de um grupo de trabalho coordenado pela Advocacia Geral da União (AGU) junto a 30 órgãos de governo e de comunidades quilombolas.

O novo texto detalha os itens que deverão constar no Relatório Antropológico do Incra sobre a comunidade a ser reconhecida. Os relatórios deverão ter por eixo central a discussão dos processos de territorialização por que passou a comunidade, tendo em vista a historicidade, etnicidade e sustentabilidade.

Além disso, a instrução possibilita a desapropriação por interesse social da área pretendida pela comunidade, com indenização do proprietário. O texto também prevê a criação de câmara de conciliação na AGU para produzir o consenso entre os diferentes interesses governamentais - preservação ambiental, defesa, terras indígenas e outros - que por algum motivo entrem em conflito com a regularização de um território quilombola.

A proposta da nova IN é dar agilidade ao processo de regularização, instituindo prazos que antes não existiam e buscando soluções para os impasses que travavam a titulação das áreas.

 

Comunidades de Rondônia

Rondônia tem seis processos abertos no Incra para regularização de territórios quilombolas: Comunidade de Santo Antônio e Pedras Negras, em São Francisco do Guaporé, Comunidade de Jesus, em São Miguel do Guaporé, Comunidade Laranjeiras, em Pimenteiras D'Oeste e as comunidades Forte Príncipe da Beira e Santa Fé, em Costa Marques. Juntas, representam mais de 300 pessoas que vivem do extrativismo e de pequenos cultivos no vale do rio Guaporé. O processo de regularização são importantes para as comunidades terem seus territórios historicamente ocupados assegurados, valorizar e identificar os povos e seus costumes.

Fonte: Incra/Ascom -   Vanessa Ibrahim

Mais Sobre Política

Polícia Federal deflagrou a Operação Grand Bazaar, que  investiga fraude em fundos de pensão

Polícia Federal deflagrou a Operação Grand Bazaar, que investiga fraude em fundos de pensão

Por determinação do Supremo Tribunal Federal, a Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (21) a Operação Grand Bazaar, visando desarticular um “esquema cri

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Após a vereadora Cristiane Lopes (PP) ir até o Ministério Público Estadual (MP/RO), para relatar os problemas das obras de pavimentação dos bairros Fl

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mais de 1700 parlamentares e parceiros da ONU e da sociedade civil de todo o mundo estão reunidos em Belgrado, na Sérvia, onde acontece a 141ª Assembl

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

A Comissão de Educação e Cultura (CEC), da Assembleia Legislativa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (16), para deliberar projetos e voltou a di