Domingo, 16 de junho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política

Territórios Quilombolas de Rondônia têm novas regras para titulação



O governo federal estabeleceu novas regras para a demarcação de territórios remanescentes de quilombos, trabalho que é realizado pelo Instituto Nacional de colonização e Reforma Agrária (Incra) através do Programa Brasil Quilombola.

As mudanças fazem parte da Instrução Normativa (IN) nº 49, publicada no Diário Oficial da União desta quarta-feira (01), e são resultado dos estudos de um grupo de trabalho coordenado pela Advocacia Geral da União (AGU) junto a 30 órgãos de governo e de comunidades quilombolas.

O novo texto detalha os itens que deverão constar no Relatório Antropológico do Incra sobre a comunidade a ser reconhecida. Os relatórios deverão ter por eixo central a discussão dos processos de territorialização por que passou a comunidade, tendo em vista a historicidade, etnicidade e sustentabilidade.

Além disso, a instrução possibilita a desapropriação por interesse social da área pretendida pela comunidade, com indenização do proprietário. O texto também prevê a criação de câmara de conciliação na AGU para produzir o consenso entre os diferentes interesses governamentais - preservação ambiental, defesa, terras indígenas e outros - que por algum motivo entrem em conflito com a regularização de um território quilombola.

A proposta da nova IN é dar agilidade ao processo de regularização, instituindo prazos que antes não existiam e buscando soluções para os impasses que travavam a titulação das áreas.

 

Comunidades de Rondônia

Rondônia tem seis processos abertos no Incra para regularização de territórios quilombolas: Comunidade de Santo Antônio e Pedras Negras, em São Francisco do Guaporé, Comunidade de Jesus, em São Miguel do Guaporé, Comunidade Laranjeiras, em Pimenteiras D'Oeste e as comunidades Forte Príncipe da Beira e Santa Fé, em Costa Marques. Juntas, representam mais de 300 pessoas que vivem do extrativismo e de pequenos cultivos no vale do rio Guaporé. O processo de regularização são importantes para as comunidades terem seus territórios historicamente ocupados assegurados, valorizar e identificar os povos e seus costumes.

Fonte: Incra/Ascom -   Vanessa Ibrahim

Gente de OpiniãoDomingo, 16 de junho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Deputado Alex Redano anuncia recursos de R$ 16 milhões para asfalto em Ariquemes

Deputado Alex Redano anuncia recursos de R$ 16 milhões para asfalto em Ariquemes

O deputado estadual Alex Redano (Republicanos) anunciou nesta quinta-feira (13), a o destino de R$ 16 milhões para massa asfáltica em que serão exec

Deputada Ieda Chaves solicita policiamento ostensivo e novos totens de segurança no Morar Melhor

Deputada Ieda Chaves solicita policiamento ostensivo e novos totens de segurança no Morar Melhor

Preocupada com o bem-estar e segurança da população, a deputada estadual Ieda Chaves (União Brasil), solicitou do Governo de Rondônia, através dos R

Deputados aprovam revisão anual dos servidores da Assembleia Legislativa

Deputados aprovam revisão anual dos servidores da Assembleia Legislativa

A Assembleia Legislativa de Rondônia (Alero) aprovou o Projeto de Lei Complementar 77/2024, de autoria da Mesa Diretora, que concede revisão anual

Projeto que institui o Dia Estadual pelo Fim do Feminicídio é aprovado pela Assembleia

Projeto que institui o Dia Estadual pelo Fim do Feminicídio é aprovado pela Assembleia

A Assembleia Legislativa de Rondônia (Alero) aprovou o Projeto de Lei 111/2023, que institui no calendário estadual o dia 25 de março, como o Dia E

Gente de Opinião Domingo, 16 de junho de 2024 | Porto Velho (RO)