Porto Velho (RO) sábado, 19 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

STF: sem algemas


Patrícia Duarte (Agência O Globo) A ministra Carmen Lúcia, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu hábeas corpus para que o desembargador Sebastião Chaves, presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, possa ser conduzido aos depoimentos sem algemas. Chaves foi preso na última sexta-feira, sob a acusação de fraude e corrupção.Segundo o STF, Carmen Lúcia argumentou que Chaves não resistiu à prisão. Ela destacou que o desembargador não representa perigo à ordem pública, nem à segurança dos policiais. A medida será estendida aos outros nove membros da Magistratura que estão detidos na Polícia Federal, em Brasília.O STF ainda está analisando um pedido de hábeas corpus de soltura.

Mais Sobre Política

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Após a vereadora Cristiane Lopes (PP) ir até o Ministério Público Estadual (MP/RO), para relatar os problemas das obras de pavimentação dos bairros Fl

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mais de 1700 parlamentares e parceiros da ONU e da sociedade civil de todo o mundo estão reunidos em Belgrado, na Sérvia, onde acontece a 141ª Assembl

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

A Comissão de Educação e Cultura (CEC), da Assembleia Legislativa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (16), para deliberar projetos e voltou a di

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

A volta do protagonismo brasileiro na produção de cacau depende de mais investimentos em pesquisa e de ações como o fortalecimento da Comissão Executi