Porto Velho (RO) quinta-feira, 17 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Política

Situação em Rondônia mostra necessidade de reforma política


Agência O Globo BRASÍLIA - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Roberto Busato, classificou a situação de Rondônia - onde a Polícia Federal deflagrou uma série de prisões por meio da Operação Dominó - como um descalabro da vida pública brasileira. Para Busato, trata-se de mais um exemplo da necessidade urgente de uma reforma política no Brasil. - É o exemplo maior da impunidade e da corrupção generalizada deste país. Parece que o clima de corrupção que se instalou em Brasília acabou se espraiando e lá em Rondônia encontrou campo fértil - disse Busato. Durante a operação da PF, foram presos o presidente do Tribunal de Justiça de Rondônia, desembargador Sebastião Teixeira Chaves, deputados estaduais, um juiz e um procurador do Ministério Público, sob a acusação de desvio de cerca de R$ 70 milhões em recursos públicos. A operação foi desencadeada para desarticular uma organização criminosa que agia na Assembléia Legislativa de Rondônia. O grupo também é acusado de exercer influência sobre agentes do Poder Judiciário, do Ministério Público, do Tribunal de Contas e do Poder Executivo. - Nunca vi e perguntei aos mais antigos da OAB, que afirmaram também nunca terem visto, um presidente de TJ ser preso em flagrante, o presidente da Assembléia ser preso, o candidato a vice-governador preso, membros do Ministério Público presos, membros do Tribunal de Contas presos - afirmou o presidente da OAB.

Mais Sobre Política

Presidente Alex Redano participa de encontro do setor de eventos com o chefe da Casa Civil do Governo

Presidente Alex Redano participa de encontro do setor de eventos com o chefe da Casa Civil do Governo

Um dos setores mais afetados com a pandemia do coronavírus é o setor de eventos e entretenimento. Há mais de um ano parado, o segmento enfrenta inúm

Cacoal: durante assembleia dos servidores da Câmara de Vereadores, presidente concede recomposição salarial de 8.36%

Cacoal: durante assembleia dos servidores da Câmara de Vereadores, presidente concede recomposição salarial de 8.36%

O presidente da Câmara, João Paulo Pichek (Republicanos), disse que desde abril estava dialogando com o Sindicato dos servidores públicos de Cacoal