Porto Velho (RO) terça-feira, 19 de janeiro de 2021
×
Gente de Opinião

Política

SEDUC confirma privilégio do governo aos comissionados


SEDUC confirma privilégio do governo aos cargos comissionados e a discriminação aos trabalhadores em educação
Ao tentar explicar o inexplicável, ou seja, a discriminação, por parte do governo, aos trabalhadores em educação, o secretário de Estado da Educação, Edinaldo Luustoza acabou por confirmar que os diretores de escolas e os ocupantes de cargos comissionados da educação foram privilegiados com reajustes que chegam a 116%, e que os professores e os funcionários de escolas não merecem valorização.
De acordo com o texto divulgado pela assessoria da SEDUC, o secretário teria dito que “não se trata de reajuste salarial. Para ele, no entanto, trata-se apenas de uma correção para atender os educadores que trabalham hoje à frente das direções de escolas (exercendo cargos comissionados).” Mais adiante, o texto exibe a contradição existente na SEDUC, também atribuindo ao secretário a seguinte frase: “Não há nenhuma discriminação em garantir aumento para os servidores que exercem cargos de direção nas escolas, seja ele servidor do quadro efetivo ou mesmo os comissionados”.
O raciocínio do secretário não é seguido pelos demais servidores estaduais, principalmente os da educação, nem pela sociedade de Rondônia. “Ora, como o secretário tem coragem de dizer que não há discriminação? Ele apenas mudou o nome da regalia oferecida aos apadrinhados políticos, de aumento salarial para correção”, disse indignada uma professora que preferiu não se identificar temendo sofrer perseguições. “Como o secretário afirma que não há discriminação, se só os cargos comissionados tiveram aumento?”, completou.
Para os trabalhadores em educação que procuraram o SINTERO nesta quarta-feira, mais hilária, ainda, é outra afirmação atribuída ao secretário por sua assessoria na qual diz que: “Não estamos aumentando o salário dos cargos de confiança, mas apenas valorizando os detentores de cargos em comissão que trabalham diretamente à frente das escolas da rede pública de ensino”. Para a direção do SINTERO não há diferença entre “aumentar o salário dos cargos de confiança” e “valorizar os detentores de cargos em comissão”.
A presidente do SINTERO, Claudir Mata, disse que foi exatamente isso que revoltou os trabalhadores em educação. A categoria está desde o início do ano tentando negociar com o governo a reposição das perdas salariais, que só na administração Cassol chega a 12%. O governo vem divulgando que os cofres públicos não comportam qualquer reajuste, mas descriminou os trabalhadores em educação e privilegiou os apadrinhados políticos com reajuste de 73% para secretários de Estado e de até 116% para diretores de escolas.

Fonte: Adércio Dias

Mais Sobre Política

Presidente Laerte Gomes cria Fundo Especial do Poder Legislativo de Complementação ao Fundo Financeiro do Iperon

Presidente Laerte Gomes cria Fundo Especial do Poder Legislativo de Complementação ao Fundo Financeiro do Iperon

Comandada pelo presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, Laerte Gomes (PSDB) as duas sessões extraordinárias realizadas na manhã desta segun

Ismael Crispin apoia verba indenizatória para profissionais que atuam no tratamento da Covid-19

Ismael Crispin apoia verba indenizatória para profissionais que atuam no tratamento da Covid-19

Nesta segunda-feira (18), em sessão extraordinária na Assembleia Legislativa, o deputado Ismael Crispin (PSB) votou favorável ao projeto de autoria do

Sancionada lei do deputado Alex Silva que inclui o evento “Marcha para Jesus” no calendário cultural oficial do estado de Rondônia

Sancionada lei do deputado Alex Silva que inclui o evento “Marcha para Jesus” no calendário cultural oficial do estado de Rondônia

Na última terça-feira (12) foi sancionada pelo Governo de Rondônia e publicada no Diário Oficial, a Lei Nº 4.939, de autoria do Deputado Estadual Al

Cirone Deiró defende plano emergencial para o enfrentamento da Covid-19

Cirone Deiró defende plano emergencial para o enfrentamento da Covid-19

Em reunião com o secretário de saúde do estado, Fernando Máximo e o chefe da casa civil, Júnior Gonçalves, o deputado Cirone Deiró cobrou a execução d