Porto Velho (RO) segunda-feira, 19 de novembro de 2018
×
Gente de Opinião

Política

Projeto Madeira: ITAMARATY REJEITA COMISSÃO BINACIONAL


O jornal "Valor Econômico", na edição desta terça-feira publica matéria informando que o Ministério das Relações Exteriores deve recusar o pedido da Bolívia para a criação de uma comissão binacional para discutir o "complexo Madeira" com o país vizinho.

De acordo com o jornal, nos próximos dias o Itamaraty deverá enviar oficialmente uma carta-resposta ao chanceler boliviano David Choquehuanca que manifestou formalmente "preocupação"com os possíveis impactos fluviais a partir da construção das usinas de Santo Antônio e Jirau, em Rondônia.

A notícia informa ainda que "o Brasil assumirá compromisso de total transparência na análise ambiental das hidrelétricas". A informação repete dados da nota técnica publicada na Imprensa local e nacional no último final de semana em que é explicado que reservatório de Jirau começará a cerca de 40 quilômetros da foz do rio Abunã, fronteira com a Bolívia, ressaltando que o complexo está em território brasileiro e não há prova, por enquanto, de que ameace o lado boliviano.

Diplomatas e funcionários dos ministérios do Meio Ambiente e de Minas e Energia – prossegue a notícia – se reuniram nesta segunda-feira, por quase duas horas, com técnicos da Odebrecht e de Furnas, o consórcio responsável pela elaboração dos estudos ambientais e de viabilidade das hidrelétricas. As duas empresas garantiram que não haverá interferência ambiental do outro lado da fronteira. O Itamaraty lembra que o processo de licenciamento está sob cuidados do Ibama e manterá La Paz informada.

O jornal informa ainda que o Ibama deverá finalizar  o licenciamento prévio das usinas – etapa que atesta a viabilidade ou não do empreendimento – entre o final de janeiro e fevereiro de 2007. Os funcionários dos ministérios de Minas e Energia, por sua vez, comunicaram a intenção de licitar o complexo Madeira em duas fases: no primeiro trimestre de 2007 irá a leilão a usina de Santo Antônio. Jirau deverá ser licitada só no segundo semestre.

HISTÓRICO

O "Valor Econômico" detalha que em dezembro de 2004, a chancelaria boliviana havia feito o primeiro pedido de formação de comissão bilateral para estudar os projetos relativos ao Madeira. Na época, estudava-se também a construção de mais duas usinas: uma binacional, na fronteira entre os dois países, e outra do lado boliviano – Cachuela Esperanza, com 600 megawatts de capacidade. Havia ainda um projeto de duas eclusas nas usinas de Santo Antônio e Jirau, o que permitiria à Bolívia uma saída para o Atlântico pelo rio Amazonas.

Esses projetos paralelos – informa o jornal – não foram levados adiante, porém, e os estudos se concentraram nas duas hidrelétricas de Rondônia. O Estudo de Impacto Ambiental (EIA-RIMA) do complexo prevê ajustes para evitar impacto no país vizinho. Por exemplo, a cota do reservatório será variável, para que o excesso de água acumulada nas represas durante o período de cheia não eleve o nível dos rios do outro lado da fronteira. Mesmo assim, ONGs da Bolívia pediram intervenção do governo de Evo Morales.

Finalizando, a matéria conclui informando que "fontes do Itamaraty garantiram que a carta de Choquehuanca, a ser enviada nos próximos dias, reforçará a garantia de acesso, para os bolivianos, a qualquer informação recebida pelo Ibama. Se o órgão ambiental prever qualquer impacto sobre a Bolívia, o assunto poderá ser rediscutido e até criada uma comissão bilateral.

Fonte: Jornal Valor Econômico

Mais Sobre Política

Francisco Hidalgo Farina é eleito presidente da FACER

Francisco Hidalgo Farina é eleito presidente da FACER

O empresário Francisco Hidalgo Farina foi eleito na tarde desta sexta-feira (16) presidente da Federação das Associações Comerciais e Empresariais d

Emendas de Follador garantem R$ 358 mil a Instituto de Identificação

O deputado Adelino Follador (DEM) anunciou nesta quarta-feira (14) em Porto Velho, durante reunião com autoridades do Instituto de Identificação da

Técnicos poderão ser aproveitados no futuro governo do coronel Marcos Rocha

Técnicos poderão ser aproveitados no futuro governo do coronel Marcos Rocha

Essa possibilidade não foi descartada pelo governador eleito

Eleita nova Diretoria do Sindafisco para o biênio de 2019/2020

Eleita nova Diretoria do Sindafisco para o biênio de 2019/2020

Pela primeira vez o processo foi realizado on-line, garantindo assim total segurança e agilidade, tanto no processo eleitoral.