Quarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política

ORIENTAÇÕES PRÁTICAS – ELEIÇÕES 2006


1. A igreja não indica candidatos e partidos. Devemos  promover grupos de "Fé e Política", ou outra forma de organização que nos ajude a assumir um papel ativo na conscientização e formação política;

2. Nossa igreja deve conscientizar cidadãos e cidadãs da sua responsabilidade de votar bem, tendo presente que seu voto tem valor, escolhendo com cuidado os candidatos a serem votados nos diversos níveis;

3. Podemos promover debates e reflexões sobre programas e candidatos, a fim de propiciar uma melhor avaliação dos mesmos; organizar também seminários e encontros para aprofundamento de temas sócio-políticos mais específicos da região, aglutinando com eficácia um número maior de pessoas; deve-se excluir reuniões partidárias em ambientes da Igreja;

4. É necessário estimular para que a escolha do candidato se faça a partir do seu programa, do seu respeito ao pluralismo cultural e religioso, do seu comportamento ético e de suas qualidades, tais quais, a honestidade, competência, liderança, transparência, vontade de servir ao bem comum, comprovada pela atuação anterior, do seu compromisso com a justiça e com a causa dos marginalizados;

5. Devemos apoiar os Comitês contra a corrupção eleitoral e para a aplicação da Lei nº 9.840, que proíbe a compra de votos e o uso da maquina administrativa; Esta lei é uma grande ajuda para sairmos do tradicional círculo vicioso da corrupção. Os Comitês locais devem estimular as comunidades a trabalhar de forma organizada e sempre avaliada. As 388 cassações (no Executivo e no Legislativo) já realizadas, a partir da Lei da moralidade eleitoral, mostram sua eficiência. Entrar em contato com a Comissão Justiça e Paz da Arquidiocese, para maiores informações.

6. Precisamos incentivar de modo especial a participação das mulheres na política e contribuir para que elas preencham o número de vagas que lhes são reservadas por lei;

7. Devemos valorizar os candidatos católicos eleitos, acompanhandos-os no exercício de seu mandato e procurando que eles se preocupem com o meio ambiente (desmatamento, uso da água, agronegócio, etc..) e com as populações tradicionais (ribeirinhos, agricultores familiares com produção diversificada, povos indígenas, quilombolas, etc..).

8. Exercer a vigilância com relação aos partidos que continuam indicando como seus candidatos pessoas comprovadamente inescrupulosas. Os eleitores devem ser orientados a não apoiar tais candidatos, e até recusar qualquer candidato de um partido que acoberte tais pessoas;

9. Atenção ao candidato: busca o poder em vista do bem comum ou por interesses particulares? Qual era a situação econômica de tal parlamentar antes de ser eleito e como está agora? Muitos prometem favores em troca de votos; abrem "Fundações de saúde" só para o tempo que precede as eleições. Votar em tais candidatos é tornar-se escravo deles.

10. A corrupção política existe porque é alimentada pela impunidade. Reflita sobre o caso de Rondônia, onde 23 dos 24 deputados estaduais foram acusados de desvio do dinheiro público: eles mesmos se julgaram, se absolveram e, para nossa humilhação, muitos deles estão se candidatando para mais uma eleição!

11. Recomenda-se  cuidado quanto aos partidos que incluem em suas listas líderes católicos, com a única função de somar votos para a sigla. Candidatos que se aproximam das lideranças de forma oportunista em função do ano eleitoral devem ser evitados. Os votos dados a tais candidatos contribuem para a eleição de políticos nem sempre merecedores de apoio.

12. Evite-se qualquer tipo de indicação de candidatos na Igreja: nas reuniões ou encontros, nas dependências das comunidades eclesiais com cartazes e/ou faixas, nas festas das comunidades. A comunidade eclesial não deve se transformar em plataforma política. Deve ainda evitar toda e qualquer ajuda que seja oferecida para fins eleitorais;

13. Lideranças que estejam diariamente comprometidas com candidatos  deverão se afastar do seu ministério no período pré-eleitoral, para não comprometer a sua missão na Igreja.

 

 

Gente de OpiniãoQuarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Deputado Marcelo Cruz valoriza importância do esporte em palestra para jovens no estande da Alero

Deputado Marcelo Cruz valoriza importância do esporte em palestra para jovens no estande da Alero

O presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia (Alero), deputado estadual Marcelo Cruz (PRTB), reafirmou na tarde desta quarta-feira (22) a impo

Mesa Redonda de segurança pública sobre Bullying e Cyberbullying no ambiente escolar é realizada pela Alero durante 11ª RRSI

Mesa Redonda de segurança pública sobre Bullying e Cyberbullying no ambiente escolar é realizada pela Alero durante 11ª RRSI

Na manhã da última terça-feira (21), a Assembleia Legislativa de Rondônia, por meio de sua Assessoria Militar, comandada pelo tenente-coronel da Pol

Deputada Cristiane Lopes Participa de Sessão Solene em Comemoração à Criação do Estado de Israel

Deputada Cristiane Lopes Participa de Sessão Solene em Comemoração à Criação do Estado de Israel

Na última terça-feira (21), a Câmara dos Deputados foi palco de uma emocionante Sessão Solene em comemoração à data da criação do Estado de Israel,

Deputada Dra. Taíssa fomenta agronegócio em Rondônia com mais R$ 2 milhões em emendas parlamentares

Deputada Dra. Taíssa fomenta agronegócio em Rondônia com mais R$ 2 milhões em emendas parlamentares

O estado de Rondônia apresenta-se em grande crescimento com o decorrer dos anos no setor do agronegócio. Visando contribuir com esse alavancamento, a

Gente de Opinião Quarta-feira, 22 de maio de 2024 | Porto Velho (RO)