Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política

Obras do gasoduto começam em setembro


Está programado para o dia 4 de setembro o início das obras do gasoduto Coari-Porto Velho, trabalho previsto para terminar em 12 de janeiro de 2009. Quem garante é a Agência Nacional de Energia Elétrica – Aneel, cujo diretor-geral, Jerson Kelman, encaminhou ofício ao deputado Miguel de Souza, presidente da Comissão da Amazônia da Câmara dos Deputados informando sobre o cronograma das obras divulgado pelo consórcio TNG Participações, detentor da autorização para execução do projeto.

Miguel de Souza considera que o documento da Aneel chega em momento propício, pois permite acabar com as especulações que insistem em instalar no estado um clima de frustração em relação ao empreendimento. O único entrave hoje existente está relacionado, segundo o parlamentar, à necessidade de repactuação de preços, pois já se passaram quatro anos desde o início das negociações do projeto.

- Nesse período, os preços do aço dispararam, o mesmo acontecendo em relação aos preços do gás natural. Com isso, as empresas participantes do consórcio TNG consideraram economicamente inviável o empreendimento. Mas tudo isso é algo que pode ser equacionado na mesa de negociações. O que efetivamente importa é que o cronograma de obras já está definido e a TNG está dentro dos prazos. Pode ser que ainda ocorra o retardamento de alguns dias para o início das obras, o que é perfeitamente natural, mas certamente o trabalho vai começar no próximo mês – disse o deputado.

A onda de boatos sobre o eventual naufrágio do empreendimento surgiu a partir do anúncio de construção do linhão até Jauru, no norte do Mato Grosso, obra que poderia inviabilizar o gasoduto, cujo maior objetivo é exatamente o fornecimento de gás para a geração de energia pela Termonorte. Miguel de Souza explicou que ao cidadão comum não importa de onde venha a energia – se do sistema nacional, através do linhão, ou da Termonorte, já que as tarifas cobradas não sofrem qualquer alteração. Acontece, porém, que com, o linhão o estado deixa de arrecadar algo em torno de R$ 150 milhões em impostos, pois a energia deixaria de ser produzida aqui mesmo.
 
Tal preocupação deixa agora de existir, já que falta apenas a assinatura de contrato com a Eletrobrás para a venda da energia produzida a partir do gás natural. O documento da Aneel salienta que todo o trabalho será acompanhado e fiscalizado pela Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis – ANP.

Fonte: (C. H. Angelo)

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

Dra. Taíssa solicita à Seduc a inclusão de prontuário médico em escolas estaduais

Dra. Taíssa solicita à Seduc a inclusão de prontuário médico em escolas estaduais

A deputada estadual Dra Taíssa Sousa (Podemos) solicitou à Secretaria de Estado da Educação (Seduc), em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde

Deputado Alex Redano destina R$ 300 mil para recuperação de estradas vicinais em Nova União

Deputado Alex Redano destina R$ 300 mil para recuperação de estradas vicinais em Nova União

O município de Nova União será beneficiado com uma emenda parlamentar do deputado estadual Alex Redano (Republicanos). Foi disponibilizado um recurs

Veja a análise do cenário político para as eleições de 2024 em Porto Velho, confira os nomes

Veja a análise do cenário político para as eleições de 2024 em Porto Velho, confira os nomes

À medida que as eleições municipais se aproximam em Porto Velho, a atenção se volta para os pré-candidatos que buscam se destacar nos diversos aspec

MPF emite parecer pela manutenção do mandato do Governador Marco Rocha

MPF emite parecer pela manutenção do mandato do Governador Marco Rocha

O MPF com atuação no TSE emitiu parecer em dois recursos propostos em face da decisão do TRE que julgou improcedente as ações que visavam cassar o m

Gente de Opinião Segunda-feira, 15 de abril de 2024 | Porto Velho (RO)