Porto Velho (RO) sábado, 19 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

OAB: Nota Pública


A Ordem dos Advogados do Brasil - Seccional Rondônia condena e repudia o
lamentável episódio que atentou contra a vida do advogado Zílio César Politano,
na cidade de Cacoal, no último dia 19, segunda-feira passada.

Essas repetidas ações contra os advogados violam a cidadania e os princípios
elementares do estado democrático de direito.

Confiante na Justiça e nos organismos de Segurança Pública, a OAB exige a
imediata elucidação de todos os fatos que envolvem mais este triste ato violento
contra a advocacia rondoniense, e, reconhece a eficaz e pronta ação da Polícia.


Hélio Vieira da Costa
      Presidente


Fonte: OAB-RO

Mais Sobre Política

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Após a vereadora Cristiane Lopes (PP) ir até o Ministério Público Estadual (MP/RO), para relatar os problemas das obras de pavimentação dos bairros Fl

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mais de 1700 parlamentares e parceiros da ONU e da sociedade civil de todo o mundo estão reunidos em Belgrado, na Sérvia, onde acontece a 141ª Assembl

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

A Comissão de Educação e Cultura (CEC), da Assembleia Legislativa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (16), para deliberar projetos e voltou a di

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

A volta do protagonismo brasileiro na produção de cacau depende de mais investimentos em pesquisa e de ações como o fortalecimento da Comissão Executi