Porto Velho (RO) quinta-feira, 17 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Política

NOTA À IMPRENSA


Complexo do rio Madeira: Sociedade civil exige transparência sobre a suposta criação de Comissão entre Brasil e Bolívia

Os Governos boliviano e brasileiro podem ter criado comissão bi-nacional para analisar os impactos sociais, ambientais e econômicos do projeto do complexo Madeira que prevê a construção das hidrelétricas de Santo Antônio e Jirau, e não dá explicações à sociedade civil.

A sociedade civil soube da suposta criação de uma Comissão bi-nacional por meio de reportagens na imprensa brasileira sobre o encontro do ministro das Relações Exteriores e Cultos da República da Bolívia, David Choquehuanca e outros oficiais bolivianos com o ministro Celso Amorim. Isso foi confirmado por Sr. Choquehuanca em um seminário em Washington.

A Rede Brasil sobre Instituições Financeiras Multilaterais e o GT Energia do Fórum Brasileiro de Ongs e Movimentos Sociais para o Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente (FBOMS), exigem informações sobre a existência e natureza desta comissão e acesso aos estatutos e ata estabelecendo-a.

As organizações ainda reforçam a importância de que decisões em torno de um projeto como este - que se aprovado afetará a vida de milhares de famílias de três países da bacia do Madeira e a ecologia e biodiversidade do principal tributário do rio Amazonas - devem ser tomadas com transparência, envolvendo sempre a sociedade civil.

Fonte: Daniela Lima

Mais Sobre Política

Presidente Alex Redano participa de encontro do setor de eventos com o chefe da Casa Civil do Governo

Presidente Alex Redano participa de encontro do setor de eventos com o chefe da Casa Civil do Governo

Um dos setores mais afetados com a pandemia do coronavírus é o setor de eventos e entretenimento. Há mais de um ano parado, o segmento enfrenta inúm

Cacoal: durante assembleia dos servidores da Câmara de Vereadores, presidente concede recomposição salarial de 8.36%

Cacoal: durante assembleia dos servidores da Câmara de Vereadores, presidente concede recomposição salarial de 8.36%

O presidente da Câmara, João Paulo Pichek (Republicanos), disse que desde abril estava dialogando com o Sindicato dos servidores públicos de Cacoal