Porto Velho (RO) sexta-feira, 20 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

MS sugere instalação de Ouvidoria do SUS em Porto Velho


 
O secretario municipal de Saúde Williames Pimentel recebeu em seu gabinete, as técnicas do Ministério da Saúde (MS) Maria Francisca Abritta, coordenadora geral do Sistema Nacional de Ouvidoria, e Maria Varly Nascimento, do departamento de Ouvidoria Geral do SUS em Rondônia, para discutir a implantação de uma Ouvidoria na capital. No Brasil já foi implantado 26 ouvidorias estaduais e centenas municipais, sendo as capitais atendidas com prioridade pelo MS. Segundo a coordenadora a expansão é uma forma de melhorar o fluxo de acompanhamento feito pelo MS aos usuários do SUS.

Pimentel aproveitou a visita para explicar o trabalho de gestão que otimizou o fluxo de atendimento na rede municipal, que vai da atenção básica, com a expansão em mais de 65% do Programa Saúde da Família, até a baixa e média complexidade, com a qualificação de profissionais e instrumentalização das unidades de saúde, o que contribuiu com a redução do número de atendimentos que era feito no único Pronto Socorro do Estado. Segundo Varly Nascimento a ‘Ouvidoria’ é um termômetro, inclusive citando a melhoria do atendimento na rede, após a gestão do atual secretario municipal, que deu ênfase a organização do sistema utilizando a classificação de risco. “A capital melhorou depois da regulação do sistema e prova disso é o índice de queixas quanto o município, que foram reduzidas”, disse.

A melhora no índice de satisfação é atribuída a estratégia de gestão utilizada no fluxo de atendimento. A porta de entrada do usuário é o atendimento a domicílio com uma cobertura de 65% pelas equipes de estratégia da família, seguido da disponibilidade do serviço básico nas unidades de saúde; urgência e emergências nos Prontos Atendimentos, distribuídos em quatro zonas da cidade e pelo Samu, e ainda os serviços especializados em programas de prevenção e promoção da saúde.

Segundo Pimentel a implantação da Ouvidoria é uma das metas em sua gestão, pois a capital em célere expansão populacional precisa de um canal de comunicação entre o usuário e o poder público. A rede estadual em Porto Velho ainda funciona com o sistema implantado na década de 80 e uma capacidade pequena de absorção da alta complexidade, para tanto o município busca expandir ainda mais seus serviços e ouvir do usuário onde precisa melhorar.

Fonte: Aurimar Lima
 

 

Mais Sobre Política

Presidente Laerte Gomes e governador Marcos Rocha visitam obras do Anel Viário de Ji-Paraná

Presidente Laerte Gomes e governador Marcos Rocha visitam obras do Anel Viário de Ji-Paraná

O presidente da Assembleia Legislativa, Laerte Gomes (PSDB) e o governador Marcos Rocha (PSL) visitaram nesta quarta-feira (18) o canteiro de obras

Deputado Cirone Deiró disse que abertura de CPI para fiscalizar Energisa responde clamor da sociedade

Deputado Cirone Deiró disse que abertura de CPI para fiscalizar Energisa responde clamor da sociedade

“A Energisa submeteu os rondonienses a uma crise energética sem precedentes. Os prejuízos estão sendo contabilizados em todos os segmentos da econom

Deputado Ismael Crispin visita escolas e convida alunos para participar dos concursos de redação e da escolha da Bandeira da Assembleia Legislativa

Deputado Ismael Crispin visita escolas e convida alunos para participar dos concursos de redação e da escolha da Bandeira da Assembleia Legislativa

Com o principal objetivo de divulgar e convidar a comunidade estudantil a participar do concurso de Redação da Assembleia Legislativa e da escolha d

ENERGISA: Projeto cria o Aviso-Prévio de 60 dias e dobra o valor da multa para a empresa

ENERGISA: Projeto cria o Aviso-Prévio de 60 dias e dobra o valor da multa para a empresa

Foi apresentado na Assembleia Legislativa do Estado de Rondônia (17/09) um projeto de lei, idealizado pelo Servidor do TJ/RO, Brunno Oliveira, que ser