Porto Velho (RO) quarta-feira, 25 de maio de 2022
×
Gente de Opinião

Política

MPF processa cia aéreas por aumento abusivo de preços



O Ministério Público Federal (MPF) em Rondônia detectou aumento abusivo praticado pelas companhias aéreas que operam em Porto Velho, em relação ao preço das passagens para voos em dezembro e janeiro. O fato originou uma ação civil pública do MPF e do MP Estadual contra as empresas Gol, Tam, Avianca e Azul.

Em pesquisa feita nos sítios das companhias aéreas, simulando compra de passagens ida e volta de Porto Velho a Brasília, observou-se que nos meses de férias escolares as passagens chegam a custar até 900% a mais do que os preços praticados na baixa temporada.

Comparando os valores praticados em dezembro e janeiro com os referentes a fevereiro, constatou-se que a Avianca registrou aumento de preços entre 100% e 150%; a Azul teve valores variando entre 350% e 900%; a Tam aumentou seus preços entre 350% e 700%; e a Gol variou entre 150% e 400%.

Na ação, também se apresenta pesquisa de ocupação das aeronaves, considerando os assentos disponíveis. Segundo o procurador da República Raphael Bevilaqua, “percebe-se que não existe uma substancial diferença de disponibilidade de assentos nas aeronaves no período de dezembro e janeiro em comparação com fevereiro. Não há relação proporcional entre o pequeno aumento da demanda e a grande variação de preços. As 'regras de mercado' e a 'lei da procura e da demanda' não estão sendo respeitadas. O que há é o puro e simples arbítrio das empresas”.
 

Limite de reajuste

Na ação civil pública, aponta-se que as companhias aéreas estão praticando abuso de poder econômico, desrespeitando os direitos dos consumidores e onerando um serviço público essencial – o transporte aéreo.

Por estas razões, a ação pede que a Justiça Federal condene as empresas a cobrar, nos meses de alta temporada (dezembro de 2013 e janeiro e julho de 2014), o máximo de 50% a mais dos valores cobrados em baixa temporada, nos trechos ida e volta de Porto Velho a todas as capitais do país. O pedido é em caráter liminar, que tem efeitos imediatos a partir da decisão da Justiça Federal. Se condenadas, as companhias deverão reduzir os preços das passagens, sob pena de multa diária de cem mil reais.

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) também é ré na ação civil pública para que seja obrigada a cumprir seu papel de fiscalizar a atividade das companhias aéreas em relação ao aumento tarifário, aplicando as medidas e penalidades administrativas cabíveis.

Os autores da ação civil pública são os procuradores Raphael Bevilaqua, Daniel de Jesus Santos, Filipe Albernaz, Reginaldo Trindade, Gisele Bleggi, Wesley Miranda, e a promotora de Justiça Daniela Nicolai, do MP Estadual.

O número da ação para consulta processual no sítio da Justiça Federal é 0011.729.23.2013.4.01.4100.

Fonte: MPF/RO (www.prro.mpf.gov.br)
 

Mais Sobre Política

União Brasil Mulher reúne centenas de participantes em seu 1° evento em Rondônia

União Brasil Mulher reúne centenas de participantes em seu 1° evento em Rondônia

A palestra “A participação da Mulher na política” sacudiu o saguão do Golden Plaza Hotel na noite deste sábado (21/05). Mais de 500 mulheres saíram

Sessão Solene da Assembleia Legislativa homenageia personalidades de Cacoal e região

Sessão Solene da Assembleia Legislativa homenageia personalidades de Cacoal e região

A Assembleia Legislativa de Rondônia realizou na noite desta sexta-feira, 20, Sessão Solene no município de Cacoal, para entrega de entrega de Votos

Deputados participam da solenidade de abertura da 9ª Rondônia Rural Show

Deputados participam da solenidade de abertura da 9ª Rondônia Rural Show

Com a presença dos deputados Luizinho Goebel (PSC), Cirone Deiró (União Brasil), Adelino Follador (União Brasil), e Laerte Gomes (PSB), a Assembleia

Presidente Alex Redano entrega homenagens a personalidades civis e militares

Presidente Alex Redano entrega homenagens a personalidades civis e militares

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), comandou na tarde desta quarta-feira (18), no Plenário da Casa de Leis, Sessão S