Porto Velho (RO) domingo, 15 de julho de 2018
×
Gente de Opinião

Política

Lideranças pedem revogação de decreto que militarizou Escola Claudio Manoel da Costa



Incomodados com a falta de diálogo do governo, antes de implantar o decreto que tornou a Escola Estadual Capitão Cláudio Manoel da Costa, na Zona Sul de Porto Velho, uma escola militarizada, professores, servidores e alunos foram até a Assembleia Legislativa em busca de apoio.

O pedido é que o decreto governamental que criou a militarização da escola seja revogado pelo governador Confúcio Moura (PMDB). Segundo eles, a medida foi imposta à comunidade estudantil, sem nenhuma discussão prévia, trazendo como efeito colateral o prejuízo aos alunos da Escola de Jovens e Adultos (EJA), que estudam à noite e com a militarização, serão afetados.

"Faltou dialogar com estudantes, professores, servidores e a comunidade, mostrando o projeto. Foi feito de 'goela abaixo' e pegou a todos de surpresa. Não somos contra as escolas militares. Se o governo quer uma escola militar na Zona Sul, que construa uma", desabafou o professor de História, José Aparecido de Oliveira, que leciona na Cláudio Manoel da Costa há dez anos.

O presidente da Assembleia Legislativa, Maurão de Carvalho (PMDB), o deputado Léo Moraes (PTB), que já se reuniu com a comunidade escolar, e os deputados Hermínio Coelho (PDT) e Lazinho da Fetagro (PT), se reuniram com os representantes da escola.

Maurão e Léo assumiram o compromisso de levar o pedido deles ao governador, ainda nesta semana, para que revogue o decreto. "Uma saída, caso não consigamos que o Executivo revogue o decreto, seria sustar seus efeitos, com a aprovação pelo Legislativo de um projeto de resolução", explicou Léo.

A estudante do 1º ano do ensino médio do EJA, Jaqueline Costa, disse que, caso seja militarizada, a Claudio Manoel deixará de atender aos cerca de 700 alunos do período noturno, que, como ela, cursam o EJA. "Eu e meu marido estudamos lá. Se perdemos essa chance não temos como concluir os estudos. A única opção seria vir ao Centro para estudar, o que não temos condições de fazer", explicou.

Fonte: Eranildo Costa Luna   

Mais Sobre Política

Garçon cobra escolas e creches para os Residenciais do Minha Casa Minha Vida

Garçon cobra escolas e creches para os Residenciais do Minha Casa Minha Vida

Os residenciais, acima relacionados, comportam 9.453 famílias, fazem parte do Programa Federal “Minha Casa Minha Vida”, mas não contam com equipamento

Sala do Empreendedor consegue avanços com boas práticas

Sala do Empreendedor consegue avanços com boas práticas

Com apoio do Sebrae, atendentes são avaliados pelos empreendedores