Porto Velho (RO) quarta-feira, 16 de janeiro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

Lider estudantil vê Usinas do Madeira como oportunidade para jovens


A realidade do jovem em Porto Velho é preocupante. Sem perspectivas de emprego, sem acesso à Educação de qualidade e sem acesso à cultura e áreas de lazer,  resta muito pouco para nós. Avaliação é do diretor da União Nacional de Estudantes Rondônia / Acre, Ozanir Silva de Almeida, acadêmico do 8° período do curso de Geografia da Universidade Federal de Rondônia. Para ele, as hidrelétricas do Rio Madeira podem ser ajudar a mudar a realidade de muitas pessoas para melhor, "mas com responsabilidade e com o esclarecimento das dúvidas que a sociedade levanta".

Ozanir disse que, por falta de oportunidades, de acesso ao ensino, à cultura e ao lazer, resta ao jovem da [periferia a violência. "Eu me sinto privilegiado por ter acesso à Educação, eu tenho acesso a alguns meios que aquele jovem que está na periferia não tem e na periferia, a realidade desses jovens, você vai ver que no bairro em que ele mora não tem uma praça, não tem uma área de lazer, uma área de entretenimento. O que o bairro de periferia oferece para ele são as drogas, a bebida, as brigas de gangue, o roubo. São estas coisas que a nossa realidade atual oferece e esta visão é clara e todo mundo sabe disso.

No quesito Violência, nosso Estado é o segundo ou o primeiro mais violento do país e isso indiretamente está no jovem, nasce no jovem, porque o jovem não tem esporte, não tem uma base educacional, não tem, mesmo, uma base familiar, para poder se esquivar desta realidade tão cruel".

O líder estudantil – que participou sábado da Audiência Pública sobre as Usinas do Rio Madeira – disse que  ser favorável ao desenvolvimento. "Sou favorável à construção das hidrelétricas, mas a gente tem que ressaltar que Furnas deve responder as questões que a sociedade pergunta. Nos ciclos de debates, nas audiências públicas, que é o espaço aberto para que as pessoas dialoguem, como que vão se restes impactos, o que pode acontecer, o que não pode. Partindo deste princípio que Furnas mostre com clareza o projeto, da melhor forma possível, a gente não tem muito que ficar contestando, além disso, porque o nosso estado realmente precisa de transformações, precisa de novas perspectivas, de novos investimentos. Eu acredito que as pessoas que estão por trás deste empreendimento tão relevante tenham este compromisso. Partindo daí, esclarecendo para a sociedade, para o jovem, para os poderes públicos, que participam também destes debates para saber o que pode acontecer e em que eles podem contribuir. Eu tenho certeza que vai mudar a nossa realidade para muito melhor".

Fonte: José Carlos Sá

Mais Sobre Política

ACRE: Eleições da Fieac é marcada por batalhas jurídicas entre candidatos na Justiça do Trabalho

ACRE: Eleições da Fieac é marcada por batalhas jurídicas entre candidatos na Justiça do Trabalho

O processo eleitoral na Federação das Indústrias do Estado do Acre (Fieac), cujo pleito ocorreu nesta segunda-feira (14), foi e está sendo marcado pel

Servidor e Deputado Federal Criticam o Fim do Ministério do Trabalho

Servidor e Deputado Federal Criticam o Fim do Ministério do Trabalho

O Fim do Ministério do Trabalho é Retrocesso, afirma o servidor público Brunno Oliveira.Criado pelo então Presidente Getúlio Vargas em 1930 chega a

Ouvidoria/TCE-RO recebe visita técnica do ouvidor-geral do Estado

Ouvidoria/TCE-RO recebe visita técnica do ouvidor-geral do Estado

Explanação sobre ações desenvolvidas pela Ouvidoria do Tribunal de Contas (TCE-RO) e a possibilidade da oferta de capacitação e orientação ao corpo fu

Deputada Marinha Raupp anuncia implantação do campus avançado do IFRO no Vale do Guaporé

Deputada Marinha Raupp anuncia implantação do campus avançado do IFRO no Vale do Guaporé

Decreto publicado pelo Ministério da Educação autoriza o funcionamento do Campus em São Miguel do Guaporé Cumprindo compromisso firmado com a deputada