Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

JOGO DE CARTAS MARCADAS


Eleições do SINDEPROF descumpriu Liminar,
desrespeitou o estatuto e impediu filiados de votarem

As eleições do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Porto Velho (SINDEPROF), realizadas na última sexta-feira, foram consideradas pela Chapa 2 e pela Central Única dos Trabalhadores um jogo de cartas marcadas, pois a vontade da maioria não foi respeitada. Descumprindo uma liminar da 3ª Vara do Trabalho, desrespeitando vários artigos do estatuto que garantem o direito e a facilidade para se votar, a Comissão Eleitoral teria lançado mão de vários expedientes reprováveis para garantir a "vitória" da chapa 1. Segundo informações da chapa 2, os três principais mecanismos de manipulação empregados foram a não instalação de urnas, atrasos ou agilidade na votação de acordo com a conveniência da chapa 1 e o golpe sobre o chamado "voto em separado".

Em várias secretarias, fundação, instituto e na Câmara Municipal não foram instaladas urnas fixas, descumprindo uma Liminar da Justiça que garantia urnas em 22 locais de trabalho, sendo que houve apenas 15 urnas fixas. O levantamento apresentado pela chapa 2 mostra situações verdadeiramente absurdas, como de três secretarias, SEMFAZ, SEMTRAN e SEMAGRIC, que juntas totalizam  206 eleitores, que não tiveram urnas fixas e nem foram visitados por urnas itinerantes, em seus locais de trabalho; enquanto que em outras três, SEMA, SEMES e SEMPLA, que totalizam juntas apenas 57 votantes, contaram com urnas fixas, das 07h00 às 15h00. A denúncia da chapa 2 é a de que a Comissão Eleitoral e os mesários das urnas, todos indicados pelos 13 membros da atual diretoria que concorrem à reeleição, dificultaram ao máximo, até mesmo impediram, eleitores de vários locais favoráveis à oposição de votarem.

O expediente de atrasar ou agilizar a votação de acordo com a conveniência da chapa da situação, teve com exemplo mais chocante a situação ocorrida SEMUSA, base favorável à oposição, quando comparada com a SEMUSP que é pró-situação. Enquanto que na SEMUSA, que têm 885 filiados e tinha apenas uma urna fixa, igual a SEMES que teve apenas 16 votantes, a votação começou com duas horas de atraso; na SEMUSP a votação começou pontualmente às 7h00 horas da manhã, além disso, teria contado com uma "mãozinha" do secretário Jair Ramires, parceiro de longa data da atual diretoria do SINDEPROF. O resultado dessa manobra foi decisivo, pois, enquanto na SEMUSA houve apenas 34% de comparecimento, na SEMUSP 80% dos servidores eleitores compareceram. O resultado final é que a Comissão Eleitoral só permitiu o voto de 42% dos associados, ou seja, dos 3.104 eleitores apenas 1.309 votaram.

Na situação do voto em separado, considerado um golpe baixo, a Comissão Eleitoral tenta ludibriar, ao mesmo tempo, o Ministério Público do Trabalho (MPT), a Chapa 2 e a Central Única dos Trabalhadores. A manobra teria sido arquitetada para driblar um acordo feito às vésperas da eleição, intermediado pelo MPT, quando foi adotado de consenso um mecanismo para dificultar o voto duplo, que consistia em permitir o voto apenas no local de trabalho do filiado. A Comissão, em conluio com a chapa da situação teria, na última hora, mudado vários eleitores de listagem, das bases mais favoráveis à chapa 2, e quando estes chegaram para votar, em seus locais de trabalho, o seu nome já não constava mais na lista de votantes, nem tão pouco os mesários sabiam informar a onde ele deveria votar. Como tinha sido restringido o voto em separado, esses servidores simplesmente não puderam exercer seu direito de voto. Várias reclamações foram protocoladas nas mesas coletoras e ocorrências foram registradas em delegacias de polícia.

Fonte: Adercio Dias

Mais Sobre Política

Polícia Federal deflagrou a Operação Grand Bazaar, que  investiga fraude em fundos de pensão

Polícia Federal deflagrou a Operação Grand Bazaar, que investiga fraude em fundos de pensão

Por determinação do Supremo Tribunal Federal, a Polícia Federal (PF) deflagrou hoje (21) a Operação Grand Bazaar, visando desarticular um “esquema cri

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Ministério Público realiza reunião sobre os bairros Conceição e Flamboyant após intervenção de Cristiane Lopes

Após a vereadora Cristiane Lopes (PP) ir até o Ministério Público Estadual (MP/RO), para relatar os problemas das obras de pavimentação dos bairros Fl

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mais de 1700 parlamentares e parceiros da ONU e da sociedade civil de todo o mundo estão reunidos em Belgrado, na Sérvia, onde acontece a 141ª Assembl

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

A Comissão de Educação e Cultura (CEC), da Assembleia Legislativa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (16), para deliberar projetos e voltou a di