Porto Velho (RO) terça-feira, 22 de junho de 2021
×
Gente de Opinião

Política

Ivo Cassol participa de debate entre candidatos


O candidato à reeleição ao Governo de Rondônia, Ivo Cassol participou, na noite da última terça-feira (05), em Porto Velho, do debate entre candidatos, realizado pela Rede TV. Cassol falou com firmeza e transparência, explicando metas e ações de sua administração. Participaram do encontro, cinco dos seis candidatos. Cassol, ainda fez e respondeu perguntas de outros candidatos e de um jornalista convidado.

Na abertura do encontro, Cassol falou do resgate da dignidade do servidor público feito pela sua gestão. “Embora seja uma obrigação, não aconteceu no passado”. O candidato afirmou ainda que continuará dando condições para o Estado crescer, ampliando a trabalho com as estradas. “Pegamos um DER sucateado, com meia dúzia de máquinas em cima de cepos e nem um palmo de asfalto feito. Hoje, Rondônia está dando certo e não pode parar”.

Cassol respondeu perguntas sobre meio ambiente, inclusão digital na educação e recursos federais. Sobre a questão ambiental Cassol explicou que Rondônia tem 50 áreas de conservação, cuidadas pelo Estado, mas sem nem uma ajuda do governo federal. “A Suframa tem mais de 500 milhões para incentivar projetos, que não agridem a natureza, na região Norte, mas infelizmente estão usando esse dinheiro para pagar juros para banqueiros internacionais”. Em resposta ao jornalista Paulo Andreoli do site rondoniaovivo, o candidato disse que na sua próxima gestão, por considerar fundamental, irá ampliar o número de escolas com computadores e acesso a internet.

No bloco do debate em que eram sorteados os candidatos para fazem perguntas entre si, Ivo Cassol questionou o candidato e ex-prefeito da Capital, Camurça, como ele iria administrar o Estado, se quando prefeito nunca ia até os distritos. Na réplica, Cassol destacou, “a população não pode aceitar que um representante eleito para administrar fique trancado em seu gabinete. O verdadeiro administrador conhece de perto todos os setores e áreas, esse contato direto é essencial para se conhecer a realidade de cada lugar e priorizar investimentos” declarou Cassol.

A solução não está no partido, mas nos homens - Cassol ainda perguntou a Senadora Fátima se a ela era conivente com o mensalão, pois em nenhum de seus 74 discursos, no Senado, se referiu ao caso. O candidato do PPS também respondeu questões sobre afinidades entre a bancada federal e o governo do Estado e sobre suas filiações partidárias. “Desde meu primeiro voto sempre dei valor as pessoas, pois existem pessoas boas em todos os Partidos. Quem vai à luta, trabalha, organiza é o cidadão. A solução não está no partido, mas nos homens” disse.

No último bloco, Ivo Cassol destacou a importância da realização de debates e a participação dos candidatos. “A população merece que venhamos aqui falar de nossos objetivos e propostas. É um momento essencial para os eleitores formarem suas opiniões sobre cada um dos postulantes. É a hora de analisar o trabalho e a competência dos concorrentes. Assim ninguém será iludido por apenas três meses de campanha”.

Mais Sobre Política

Presidente Alex Redano acompanha trabalho do Governo para a retomada das cirurgias eletivas

Presidente Alex Redano acompanha trabalho do Governo para a retomada das cirurgias eletivas

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), comemorou a retomada das cirurgias eletivas de menor risco, após o Governo acata

Presidente Alex Redano participa de encontro do setor de eventos com o chefe da Casa Civil do Governo

Presidente Alex Redano participa de encontro do setor de eventos com o chefe da Casa Civil do Governo

Um dos setores mais afetados com a pandemia do coronavírus é o setor de eventos e entretenimento. Há mais de um ano parado, o segmento enfrenta inúm

Cacoal: durante assembleia dos servidores da Câmara de Vereadores, presidente concede recomposição salarial de 8.36%

Cacoal: durante assembleia dos servidores da Câmara de Vereadores, presidente concede recomposição salarial de 8.36%

O presidente da Câmara, João Paulo Pichek (Republicanos), disse que desde abril estava dialogando com o Sindicato dos servidores públicos de Cacoal