Governador tenta enganar STF, diz Hermínio Coelho


Governador tenta enganar STF, diz Hermínio Coelho - Gente de Opinião“O governador Confúcio Moura mais uma vez demonstra publicamente o grau de periculosidade e de covardia de que é capaz, pois, após eu ter denunciado o recurso impetrado no Superior Tribunal Federal - STF contra os bombeiros e policiais militares, resolveu colocar toda a culpa na Procuradoria Geral do Estado”. A declaração é do presidente da Assembleia Legislativa de Rondônia, deputado Hermínio Coelho (PSD), assim que tomou conhecimento de que o governador havia ingressado com petição junto ao STF retirando a Ação Direta de Inconstitucionalidade.

De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa, deputado Hermínio Coelho, o governador ficou acuado, e diante da reprovação popular da roubalheira que ele quer praticar no salário dos bombeiros e policiais militares aposentados, resolveu reagir, e encaminhou a ministra Rosa Weber um recurso retirando a Adin e desmoralizando publicamente os advogados da Procuradoria Geral do Estado.

Mas para apresentar o recurso no STF, o governador mentiu categoricamente. Segundo Confúcio Moura, a Adin não foi assinada por ele, apesar de constar sua assinatura eletrônica, colocando desta forma sob forte suspeição a competência e/ou a correção dos atos praticados pelos procuradores estaduais. O recurso apresentado por Confúcio Moura foi seguramente produzido às pressas, e lá consta a data de 20 de janeiro de 2013 e não 2014.

No documento apresentado ao STF desmoralizando a Procuradoria Geral do Estado, o governador assim se manifesta: “A PGE/RO entretanto – indibitavelmente agindo de boa fé, suprimiu essa fase de submissão da minuta da inicial da Adin ao Governador do Estado, protocolando-a nesse Supremo Tribunal sem a formal chancela da autoridade constitucionalmente legitimada”.

A desmoralização da Procuradoria Geral do Estado continua. Já no sexto parágrafo, Confúcio Moura mais uma vez desmoraliza a PGE, ao destacar: “Na espécie, este governador não participou no ajuizamento da ação direta, tanto assim que não assinou sua inicial”. Na seqüência relata o governador: “Com efeito, verifico algumas impropriedades no texto minutado pela Procuradoria – e que veio a ser protocolizado nessa Corte, como por exemplo, a inserção de pedido de declaração de inconstitucionalidade do art. 1º caput  §§ 1º e 2º da lei 1063/2002, quando tais dispositivos não foram indicados no tópico reservado aos dispositivos das leis estaduais impugnados ou examinados nos fundamentos da inicial”.

Após analisar todo documento encaminhado ao STF, o presidente da ALE, deputado Hermínio Coelho disse que lamentavelmente a situação financeira precária do Governo, certamente está provocando a ingovernança do Estado, e a esculhambação toma conta da administração pública. 

Governador tenta enganar STF, diz Hermínio Coelho - Gente de Opinião

Fonte: Paulo Ayres

VOCÊ PODE GOSTAR

Assembleia realiza sessão plenária com votação de projetos e posse de deputado

Assembleia realiza sessão plenária com votação de projetos e posse de deputado

A Assembleia Legislativa de Rondônia realizou na tarde desta terça-feira, 16, a primeira sessão ordinária depois do recesso parlamentar do mês de ju

Mesa Diretora acata decisão judicial, cassa mandato de Geraldo da Rondônia e convoca suplente

Mesa Diretora acata decisão judicial, cassa mandato de Geraldo da Rondônia e convoca suplente

A Mesa Diretora da Assembleia Legislativa se reuniu no final da manhã desta terça-feira (16) e acatou a decisão judicial que mandava cassar o mandat

Presidente da Assembleia rejeita pedido da defesa e quer decisão judicial que manda cassar Geraldo da Rondônia acatada

Presidente da Assembleia rejeita pedido da defesa e quer decisão judicial que manda cassar Geraldo da Rondônia acatada

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos), disse que rejeitou pedido da defesa do deputado Geraldo da Rondônia, para susp

Escola do Legislativo abre cursos do segundo semestre

Escola do Legislativo abre cursos do segundo semestre

Após um breve período sem aulas, a Escola do Legislativo (EL), que pertence à Assembleia Legislativa (Ale), retomou suas atividades, oferecendo curs