Porto Velho (RO) segunda-feira, 18 de junho de 2018
×
Gente de Opinião

Política

FOLLADOR PRESTAR HOMENAGEM AO SANTA MARCELINA NOS SEUS 63 ANOS



Criada em 1954 com o nome de Colônia Jaime Abem Athar, como última instância para pessoas portadoras de hanseníase (lepra), doença incurável na época e que dizimou famílias inteiras, a comunidade dirigida pelas Irmãs Marcelinas, hoje Hospital Santa Marcelina completa neste 13 de setembro 63 de atuação em Rondônia.

Para lembrar e comemorar a data o deputado Adelino (DEM), que é um dos principais parceiros da instituição, propôs para segunda-feira (18), a realização de uma Sessão Solene para homenagear o Hospital que há 42 anos é administrado pelas Irmãs Marcelinas, com indispensáveis e importantes serviços prestados a Rondônia, seu povo, e a outros Estados também.

A Colônia Jaime Abem Athar, hoje Hospital Santa Marcelina, é um legado do então governador do Território Federal do Guaporé, Joaquim de Araújo Lima. Foi construído no mesmo lugar que funciona atualmente, no km 17 da BR-364, como um leprosário, que tinha por finalidade segregar os portadores da doença, eis que, até então, incurável. O local passou a ser naquela época um centro de assistência à saúde, social, educacional e também espiritual aos portadores de hanseníase, constituindo-se em um novo lar para essas pessoas.

Com 100 leitos, dois laboratórios, seis salas de cirurgias, centro auditivo, centro oftalmológico e oficina ortopédica, atendendo mais de 800 pessoas por dia em 25 especialidades médicas, o Hospital Santa Marcelina hoje é referência regional em qualidade do atendimento ao usuário do SUS, em saúde auditiva, visual e no tratamento de hanseníase, além de contribuir com a capacitação técnica de cerca de 350 estagiários das áreas de medicina, enfermagem, nutrição, serviço social e psicologia.

Aos 63 anos, a ex-colônia, hoje Hospital Santa Marcelina, está localizada numa área de 300 hectares no meio da floresta amazônica, onde tornou-se referência no tratamento da hanseníase, na confecção de órteses – aparelho ortopédico para o corpo, tipo colete de apoio para coluna cervical – e próteses, saúde auditiva e visual, num projeto de apoio à vida que oferece atendimento não apenas à população de Rondônia, mas também do sul do Amazonas e parte do Estado do Acre.

Exemplo de amor à causa humanitária, aos pequenos, idosos e aos mais necessitados, as Irmãs Marcelinas diversificaram a área de sua atuação para atender milhares de crianças em suas quatro escolas da Rede de Educação Marcelina, com creche e educação básica, que tem feito diferença na vida de milhares de famílias e tornou-se referência em educação pública, com mais de sete mil alunos matriculados em suas escolas - Escola Santa Marcelina (Embratel), Escola Marcello Candia (BR 364, Km 17), Escola Marcelo Candia – Sub sede I e Escola Santa Marcelina de Alto Paraíso – no Estado de Rondônia.

Fonte: Ascom.
 

Mais Sobre Política

Campanha “Pedalando Pela Vida” vai até dia 23 com doação de sangue na Fhemeron

Campanha “Pedalando Pela Vida” vai até dia 23 com doação de sangue na Fhemeron

A campanha será realizada durante toda a semana, se estendendo até dia 23 com a realização de um passeio ciclístico

Garçon cobra asfalto para atender hospitais Santa Marcelina e de Câncer

Lindomar Garçon cobra asfalto para atender necessidades dos hospitais Santa Marcelina e de Câncer

Porto Cai N’Água é reinaugurado pela prefeitura de PVH

Porto Cai N’Água é reinaugurado pela prefeitura de PVH

Terminal hidroviário foi reformado e já está em pleno funcionamento

Programa de Aposentadoria Incentivada é prorrogado por mais 30 dias

Podem aderir ao programa os servidores estatutários que não respondem a processo disciplinar e processo judicial