Porto Velho (RO) sexta-feira, 18 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

Fátima Cleide acredita no envolvimento do governo de Rondônia em corrupção


A senadora Fátima Cleide (PT-RO) sustentou em discurso, nesta segunda-feira (7), "acreditar firmemente" no envolvimento do poder Executivo de Rondônia nos casos de corrupção que levaram a Polícia Federal, na última sexta-feira, a prender os presidentes da Assembléia Legislativa e do Tribunal de Justiça do estado, além de outras 21 pessoas.

- É da competência do Executivo liberar recursos do orçamento. Portanto, não seria possível destinar mais dinheiro, acima da Lei de Responsabilidade Fiscal, para saciar a ambiçãodos demais poderes sem a sua participação. É óbvio - disse.

A senadora lembrou que, em maio do ano passado, o governador Ivo Cassol divulgou pela TV Globo gravação que ele fizera sendo achacado por deputados estaduais. O curioso na história, continuou, é que as gravações haviam sido feitas dois anos antes. Ela indagou por que o governador não as divulgou antes e observou que, depois da divulgação das fitas, "a briga entre os poderes deixou de existir" e o governador nomeou novo chefe da Casa Civil, com a missão de negociar com os parlamentares.

- Esse assessor, agora candidato a vice-governador na chapa de reeleição do governador, é um dos 23 presos - realçou.

Fátima Cleide afirmou que o Judiciário de Rondônia é constituído, em sua quase totalidade, por juízes e desembargadores honestos, e pediu à Justiça que, além da prisão dos acusados, haja o ressarcimento de aproximadamente R$ 70 milhões que teriam sido desviados da Assembléia Legislativa. Lembrou já ter denunciado, no Senado, "uma banda podre no Poder Judiciário de Rondônia", tendo sido, à época, "duramente atacada e criticada por parte da imprensa local".

A senadora por Rondônia sugeriu que o Supremo Tribunal Federal suspenda a norma da Constituição estadual que trata da imunidade parlamentar dos deputados estaduais.

- Não se pode invocar a própria torpeza dos deputados estaduais para restringir o trabalho da polícia, do Ministério Público e do Poder Judiciário na investigação dos seus crime -disse.

Fátima Cleide citou ainda uma frase do ex-ministro do STF Célio Borja, em entrevista no final de semana, segundo o qual neste momento "a crise moral é das pessoas, não das instituições". O discurso da senadora foi apoiado pelos senadores Eduardo Suplicy (PT-SP) e Heráclito Fortes (PFL-PI). Heráclito só reclamou que, no discurso, a senadora tenhausado a frase "a Polícia Federal deste governo". Para ele, a Polícia Federal pertence à República, e não a governos.

Fonte: Eli Teixeira / Repórter da Agência Senado

Mais Sobre Política

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mariana Carvalho apresenta declaração sobre cobertura universal de saúde em assembleia da União Interparlamentar

Mais de 1700 parlamentares e parceiros da ONU e da sociedade civil de todo o mundo estão reunidos em Belgrado, na Sérvia, onde acontece a 141ª Assembl

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

Erro na tabela de vencimentos dos professores volta a ser discutido na Comissão de Educação

A Comissão de Educação e Cultura (CEC), da Assembleia Legislativa, se reuniu na manhã desta quarta-feira (16), para deliberar projetos e voltou a di

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

Liderança na produção do cacau depende da vontade política, aponta debate

A volta do protagonismo brasileiro na produção de cacau depende de mais investimentos em pesquisa e de ações como o fortalecimento da Comissão Executi

Projeto de Follador cria Passaporte Animal para trânsito em feiras e eventos

Projeto de Follador cria Passaporte Animal para trânsito em feiras e eventos

A exemplo da experiência de sucesso do Rio Grande do Sul, o deputado Adelino Follador apresentou nesta terça-feira (15) ao Plenário da Assembleia Le