Porto Velho (RO) segunda-feira, 17 de maio de 2021
×
Gente de Opinião

Política

Ciro cita Ivo Cassol e diz que Alckmin vai ter que respeitar Lula


Ilimar Franco - Agência O Globo BRASÍLIA - Escalado para tourear com os tucanos, o ex-ministro da Integração Nacional e deputado eleito Ciro Gomes (PSB-CE) distribuiu novas críticas à oposição ao sair na quinta-feira de encontro com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, no Palácio da Alvorada. Ciro afirmou que o candidato Geraldo Alckmin (PSDB) tem que ser tratado com respeito, mas cobrou que o mesmo tratamento seja dispensado ao presidente Lula. E acrescentou que, se isso não ocorrer, os adversários não ficarão sem resposta à altura. - Não vamos baixar o nível em nenhuma circunstância. O Alckmin é um homem respeitável, mas ele vai ter que respeitar o presidente Lula. Se não vai ouvir. Eu recomendo. Porque se vier de lá, vai vir de cá multiplicado por dez - disse Ciro Gomes. O aliado de Lula, dizendo que fala em nome pessoal, criticou o fato de Alckmin ter recebido os apoios do ex-governador do Rio Anthony Garotinho e do PFL da Bahia, liderado pelo senador Antonio Carlos Magalhães. Ele disse que quem posa de moralista não pode ter contradições no campo da ética. - Quem é moralista, quem quer se apresentar de vestal, quem quer se apresentar de anjo não pode ter contradições nessa área - disse Ciro. E acrescentou: - Como pode alguém imaginar que tudo o que diz respeito aos destinos superiores da nação se deve ao mau comportamento de meia dúzia de petistas aprendizes de mafiosos e depois se agarra com o casal Garotinho, se agarra com o PFL da Bahia, com o Ivo Cassol? Venha com outra. O Alckmin tem que explicar as 60 CPIs que ele impediu que fossem feitas pela Assembléia de São Paulo. Ciro, que tem feito reuniões diárias com o presidente Lula e vai viajar para alguns estados para apoiar a reeleição, afirmou que o candidato da oposição faz o discurso da ética para não ter que aprofundar suas propostas no campo da economia e do ajuste fiscal. Ciro também criticou a proposta do tucano de cortar as despesas correntes do governo federal. - O Alckmin disse aos plutocratas que vai reduzir os gastos correntes. Isso é música para os ouvidos dos barões brasileiros. Os gastos correntes são feitos com funcionários públicos, aposentados, custeio da saúde, custeio da educação, custeio da segurança e Bolsa Família - afirmou Ciro. Depois de ter chamado os petistas que se envolveram na compra do dossiê contra tucanos de "meia dúzia de aprendizes de mafiosos", Ciro criticou o delegado da Polícia Federal Edmilson Bruno, por ter passado à imprensa a foto com o dinheiro às vésperas do primeiro turno das eleições. - Um delegado de polícia ir lá e fotografar o dinheiro, e forçar a barra para entregar a jornalistas para sair a dois dias da eleição... Isso não é funcional, isso é politicagem - afirmou.

Mais Sobre Política

Dia Nacional de Conscientização das Doenças Cardiovasculares na Mulher

Dia Nacional de Conscientização das Doenças Cardiovasculares na Mulher

Um aumento alarmante nos casos de doenças cardiovasculares em mulheres chama atenção das sociedades médicas. Segundo a Sociedade Brasileira de Cardi

Em Vilhena, presidente Alex Redano participa do lançamento de programas do Governo

Em Vilhena, presidente Alex Redano participa do lançamento de programas do Governo

Vilhena é mais um município a receber o programa Tchau Poeira, do Governo do Estado, através de termo de cooperação com a prefeitura. O presidente d

Presidente Alex Redano participa do lançamento do Tchau Poeira em Pimenta Bueno

Presidente Alex Redano participa do lançamento do Tchau Poeira em Pimenta Bueno

O presidente da Assembleia Legislativa, Alex Redano (Republicanos) participou nesta quinta-feira (13), em Pimenta Bueno, da solenidade de lançamento

Câmara aprova proposta liderada por Mariana Carvalho sobre superendividamento dos consumidores

Câmara aprova proposta liderada por Mariana Carvalho sobre superendividamento dos consumidores

A Câmara dos Deputados aprovou a proposta que trata do superendividamento dos consumidores brasileiros. A tramitação do PL 3515/15 foi liderada pela