Porto Velho (RO) terça-feira, 11 de agosto de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Henrique

Rondônia confia saúde pública aos cuidados da padroeira


Rondônia confia saúde pública aos cuidados da padroeira - Gente de Opinião

O estado aposta todas as fichas na construção do novo hospital de urgência e emergência, comprovadamente indispensável, considerada a dramática incapacidade do João Paulo II de atender à demanda sempre crescente, especialmente em função do número de acidentes com motoqueiros. Mas a principal vilã da saúde pública é, de longe, a falta de saneamento básico, maior responsável pelas internações hospitalares, principalmente de crianças, vítimas preferenciais da associação de fatores ambientais - poços domésticos e fossas - com desnutrição e ausência de cuidados básicos.

A obra, para a qual o governo do estado proclama já ter conseguido R$ 100 milhões do Ministério da Saúde, somada ao alívio trazido pelos resultados negativos dos dois casos suspeitos de infecção pelo coronavirus, pode robustecer, embora provisoriamente, as perspectivas eleitorais do secretário Fernando Rodrigues Máximo como candidato a prefeito da capital com o apoio do governador.  Mas alguns nós precisam ainda ser desatados, entre os quais a paquidérmica estrutura da lavanderia hospitalar instalada no Hospital de Base.

A precariedade do serviço, foco potencial de infecções hospitalares, é objeto de pedido de informações que deverá ser apresentado ao plenário pelo deputado Jair Montes, membro da Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social da Assembleia.  Está certo que Nossa Senhora de Nazaré tem operado milagres no setor, mas é preciso dar alguma ajuda ao trabalho da santa.

Vale lembrar que a capital rondoniense escapou milagrosamente da epidemia de cólera que aportou no Cai Nágua no início dos anos 90, para encontrar aqui o ambiente ideal para propagação. Somente a intervenção da padroeira pode explicar.  O mesmo aconteceu na enchente de 2014, quando novos casos de cólera chegaram a ser registrados, mas ficou apenas nisso.

Mas a população, em especial as crianças de até cinco anos  - 53% das internações hospitalares do país, graças a fatores ambientais, segundo a OMS - não está, de forma alguma, imune à incidência quase pandêmica de inúmeras doenças que já estão até incorporadas ao cotidiano de uma cidade que ostenta o título de pior capital brasileira no quesito saneamento. São assustadoras as estatísticas da malaria, dengue, chikungunya, leptospirose e leishmaniose. Além das diarreias, estão presentes a febre tifóide, febre paratifóide, shigeloses, hepatite  A, amebíase, giardíase, poliomelite, ancilostomíase (amarelão), ascaridíase (lombriga), teníase, cisticercose, filariose (elefantíase) e esquistossomose.,

A verdade é que, embora de custo elevado, o saneamento básico tem reflexo direto na economia em saúde pública. Cidades bem atendidas em água e esgoto economizam recursos com saúde e seus cidadãos são mais saudáveis, sobretudo as crianças. Enquanto isso, Porto Velho gasta muito em internações e condena os cidadãos ao convívio com toda aquela diversidade de doenças.

 É muito trabalho para Nossa Senhora de Nazaré, proclamada padroeira de Rondônia por Aluizio Ferreira, segundo a igreja católica, e agraciada com dia comemorativo no segundo domingo de setembro, conforme lei aprovada pela Assembleia e sancionada pelo governador Marcos Rocha em agosto de 2019. Embora "terrivelmente evangélico", o governador rondoniense prefere aparentemente depositar suas preces aos pés da santa dos jesuítas. 

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Henrique

Perícia técnica comprova fraude em denúncia contra o DNIT. PF não  investigou e enganou a justiça

Perícia técnica comprova fraude em denúncia contra o DNIT. PF não investigou e enganou a justiça

Não é a Brasília que o presidente da Assembleia, Laerte Gomes, deve encaminhar sua queixa contra o estado de conservação das rodovias federais em Ro

Fernando Máximo pode ter apoio de Marcos Rocha e Bolsonaro para ser candidato

Fernando Máximo pode ter apoio de Marcos Rocha e Bolsonaro para ser candidato

A considerar o que circula na imprensa, o secretário de Estado da Saúde, médico Fernando Máximo, está definitivamente contaminado pelo vírus da políti

Cheira mal: Sesau terá que explicar inoperância e custos exorbitantes da lavanderia do HB

Cheira mal: Sesau terá que explicar inoperância e custos exorbitantes da lavanderia do HB

Cheira a problemas o processamento de roupas hospitalares da rede pública no Hospital de Base. A julgar pela argumentação até agora apresentada, a Ses

Lavanderia do HB: coronavirus gera pânico com risco de contaminação na rede pública de saúde

Lavanderia do HB: coronavirus gera pânico com risco de contaminação na rede pública de saúde

O deputado Jair Montes espera apenas a abertura do ano legislativo para levar a plenário um pedido de informações à Sesau sobre a lavanderia instalada