Porto Velho (RO) sábado, 28 de março de 2020
×
Gente de Opinião

Carlos Henrique

Andrey Cavalcante elogia equilíbrio de nova direção do Judiciário rondoniense


Andrey Cavalcante  elogia equilíbrio de nova direção do Judiciário rondoniense - Gente de Opinião
"O equilibrio é a virtude de saber relacionar-se com paixões e ações nas quais o excesso peca tanto quanto a carência". Artigo do ex-presidente e atual conselheiro federal da OAB Rondônia,  Andrey Cavalcante recorre a Aristóteles para avaliar as boas perspectivas de relacionamento entre a OAB e o judiciário de Rondônia. Ele visitou - e elogiou - as dependências do novo Forum geral de Porto Velho e resumiu em uma só palavra as razões de suas expectativas positivas: "equilíbrio". Aqui, a íntegra:
 
Nova Imagem do Judiciário
Andrey Cavalcante
 
É interessante observar que se, na física, o equilíbrio é a condição de um sistema em que as forças que atuam sobre ele se compensam e mutuamente se anulam, no campo do direito o equilíbrio apenas fortalece a todos, para promover estabilidade, sem oscilações ou desvios. Daí a imagem da balança da justiça, ou o tributo que lhe presta um filósofo tido na mais alta conta pelas cabeças pensantes do planeta. Aluno de Platão e professor de Alexandre, Aristóteles de Stagira consagra, em "Ética a Nicômaco", o equilíbrio, como a virtude de saber se relacionar com paixões e ações nas quais o excesso peca tanto quanto a carência.
 
Tais atrevimentos filosóficos justificam-se quando o propósito é reverenciar o equilíbrio que conduziu o judiciário rondoniense à conquista do selo "diamante", classificação de qualidade conferida pelo Conselho Nacional de Justiça a somente três outros tribunais estaduais do país. E outra distinção de semelhante quilate já deve estar a caminho, pela nova imagem da justiça rondoniense, inaugurada com as modernas instalações do novo Fórum Geral Desembargador César Montenegro - homenagem auto-justificada ao saudoso desembargador Francisco César Soares de Montenegro, cujos ideais de justiça dignificam os homenageantes. Tivemos a satisfação de conhecer detalhadamente as novas instalações ao acompanhar, como conselheiro federal, a visita institucional do presidente da OAB Rondônia, Elton Assis.
 
Fomos excepcionalmente bem recebidos pelo juiz diretor do fórum, Ilisir Bueno Rodrigues. As novas instalações, na avenida Pinheiro Machado, entre as ruas José Bonifácio e Gonçalves Dia,  colocam ponto final nas dificuldades enfrentadas pelos advogados, obrigados a percorrer e buscar por uma diversidade de endereços para atender seus clientes. Também o cidadão será agora amplamente beneficiado, com um só local para buscar seus interesses, o que atende ao objetivo comum do Judiciário e da OAB, de favorecer e facilitar o acesso à justiça. A advocacia será também beneficiada com a breve conclusão das obras do novo estacionamento rotativo da Ordem, com acesso pela na rua Benjamin Constant, instalado graças ao apoio da CAARO.
 
É claro que a iniciativa inovadora de construção pelo sistema "built to suite (BTS)", no qual os próprios construtores investem na execução da obra para depois alugar o prédio ao TJRO por um período renovável de dez anos, ainda vai demandar alguns ajustes, como uma espécie de afinação de funcionalidade, algo que se obtém no decorrer da operacionalização do trabalho. Exemplo disso é a necessidade, identificada pela OAB, de mais uma sala para instalação de outro escritório de apoio aos advogados, já que a unificação dos fóruns ampliou sobremodo a presença de advogados, mesma situação que deverá ocorrer no estacionamento da OAB. Mas isso é algo que se ajeita no percurso.
 
Fundamental mesmo é a manutenção do equilíbrio, da urbanidade, do espírito inovador e do respeito aos ideais democráticos, jurisdicionais e constitucionais que sempre pautaram a ação da cúpula administrativa do Tribunal de Justiça de Rondônia. O judiciário rondoniense é, felizmente, muito bem aquinhoado em recursos humanos para tanto. O espaço aberto pelo término do mandato da equipe coordenada pelo desembargador Walter Waltemberg estará naturalmente ocupado pela nova equipe, liderada pelo presidente Paulo Kiyochi Mori.

 

Ele irá contar com a reconhecida competência da vice-presidente, desembargadora Marialva Henriques Daldegan Bueno e do corregedor-geral, desembargador Valdeci Castellar Citon. Participam também da equipe o presidente e o vice da Escola da Magistratura - Emeron, desembargador Miguel Monico Neto e juiz Edenir Albuquerque, do Secretário Geral do Tribunal, Juiz Rinaldo Forti Silva e dos juízes auxiliares da Presidência, Álvaro Kálix Ferro, Guilherme Ribeiro Baldan e o já citado Ilisir Bueno Rodrigues, designado para a direção do Fórum.

* O conteúdo opinativo acima é de inteira responsabilidade do colaborador e titular desta coluna. O Portal Gente de Opinião não tem responsabilidade legal pela "OPINIÃO", que é exclusiva do autor.

Mais Sobre Carlos Henrique

Perícia técnica comprova fraude em denúncia contra o DNIT. PF não  investigou e enganou a justiça

Perícia técnica comprova fraude em denúncia contra o DNIT. PF não investigou e enganou a justiça

Não é a Brasília que o presidente da Assembleia, Laerte Gomes, deve encaminhar sua queixa contra o estado de conservação das rodovias federais em Ro

Fernando Máximo pode ter apoio de Marcos Rocha e Bolsonaro para ser candidato

Fernando Máximo pode ter apoio de Marcos Rocha e Bolsonaro para ser candidato

A considerar o que circula na imprensa, o secretário de Estado da Saúde, médico Fernando Máximo, está definitivamente contaminado pelo vírus da políti

Cheira mal: Sesau terá que explicar inoperância e custos exorbitantes da lavanderia do HB

Cheira mal: Sesau terá que explicar inoperância e custos exorbitantes da lavanderia do HB

Cheira a problemas o processamento de roupas hospitalares da rede pública no Hospital de Base. A julgar pela argumentação até agora apresentada, a Ses

Rondônia confia saúde pública aos cuidados da padroeira

Rondônia confia saúde pública aos cuidados da padroeira

O estado aposta todas as fichas na construção do novo hospital de urgência e emergência, comprovadamente indispensável, considerada a dramática incapa