Porto Velho (RO) segunda-feira, 14 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política

Ambulanchas funcionam normalmente, garante Semusa



O Serviço de Urgência SAMU Fluvial, popularmente chamado de Ambulancha, presta assistência pré-hospitalar a pacientes que necessitam de atendimento de urgência e emergência clínica ou traumática ainda no local da ocorrência. O transporte das vítimas deve obedecer a critérios técnicos e seguros, recomendados pela Organização Mundial de Saúde (OMS), até que o paciente possa ser atendido por um serviço de saúde com mais recursos, dando continuidade à assistência. Esse procedimento diminui o risco e aumenta as chances de sobrevida da vítima.

Desde que começaram a funcionar, em abril deste ano, as ambulanchas colocadas à disposição dos distritos de São Carlos, Nazaré e Calama já atenderam milhares de pessoas entre as três localidades. As ambulanchas funcionam devidamente licenciadas pela marinha do Brasil, através da capitania dos portos de Porto Velho. Os pilotos foram capacitados também pela Marinha do Brasil.

Para São Carlos, a ambulancha veio de um Convênio com o Ministério da Saúde e atua como suporte básico, com os equipamentos normatizados para o atendimento de urgência e emergência. Em Nazaré e Calama – as ambulanchas vieram através de um termo de doação do Ministério da Saúde, em contrapartida a  adesão do município ao serviço de SAMU no Baixo Madeira. As ambulanchas avançadas (Calama e Nazaré) têm capacidade de atuar como atendimento avançado (UTI). No momento, elas estão atuando como suporte básico, com a mesma função da equipe da São Carlos.

As ambulanchas são equipadas e ficam à disposição da população 24 horas por dia. O atendimento é feito por uma equipe de técnicos de enfermagem com capacitação em atendimento em urgência e emergência, supervisionados por enfermeiros e médicos das Equipes de Saúde da Família que atuam nos distritos. Nos finais de semanas, os médicos que fazem parte do programa Saúde da Família também supervisionam o atendimento clínico e ambulatorial nas ambulanchas.

Os moradores que nunca tiveram atendimento médico, a não ser que viessem para a capital, têm muitas vantagens com o atendimento das ambulanchas. Além de dispensar o deslocamento, o usuário dispõe de um atendimento básico mais rápido e eficaz. Para os técnicos em enfermagem que fazem o atendimento na própria localidade é uma experiência nova e bastante gratificante.

O projeto SAMU fluvial ainda está em fase de implantação e nos próximos passos está a reforma do Barco Hospital que vai funcionar como Central de Atendimento de referência do SAMU em Nazaré, possibilitando a interligação da rede comunicação com o SAMU terrestre, realizando o atendimentos que estabilizam pacientes com quadros agudos  e oferecendo maior apoio diagnóstico, como RX e Eletrocardiograma aos pacientes.

Fonte: Nara Vargas
 

Mais Sobre Política

Adelino Follador participa de audiência pública que discutiu a instalação do IFRO em Buritis

Adelino Follador participa de audiência pública que discutiu a instalação do IFRO em Buritis

O deputado Adelino Follador (DEM) participou de audiência pública, na manhã da última sexta-feira (11), na Escola Estadual Buriti, em Buritis, onde fo

Deputado Ismael Crispin propõe debate sobre pesquisa cientifica e seu impacto

Deputado Ismael Crispin propõe debate sobre pesquisa cientifica e seu impacto

O deputado estadual Ismael Crispin (PSB) apresentou indicação à Mesa Diretora da Assembleia Legislativa, e teve aprovada a realização de audiência p

Comissão de Saúde distribui projetos e convoca titular da Sesau para prestar esclarecimentos sobre inúmeros problemas

Comissão de Saúde distribui projetos e convoca titular da Sesau para prestar esclarecimentos sobre inúmeros problemas

Na manhã desta terça-feira (8), a Comissão de Saúde, Previdência e Assistência Social da Assembleia Legislativa, presidida pelo deputado Adailton Fu

CPI da Energisa define convocações e convites para ouvir denúncias contra empresa

CPI da Energisa define convocações e convites para ouvir denúncias contra empresa

Em reunião extraordinária nesta quinta-feira (3), a CPI criada pela Assembleia Legislativa de Rondônia para investigar abusos praticados pela Empres