Porto Velho (RO) sexta-feira, 17 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Vale critica Funai e diz que respeita questão indígena


Agência O Globo RIO - O diretor-presidente da Companhia Vale do Rio Doce, Roger Agnelli, cobrou ontem uma política nacional para a questão indígena. Em nota divulgada à imprensa, Agnelli diz que a empresa respeita a questão indígena e critica a Funai.Na segunda-feira, o juiz federal Carlos Henrique Haddad, de Marabá (PA), concedeu liminar que obriga a companhia Vale do Rio Doce a voltar a fazer o repasse mensal de R$ 569.915,89 aos índios Xikrin.A ação contra a Vale foi impetrada pelo Ministério Público Federal e pela Funai. A Vale vinha argumentando que o repasse de recursos aos índios era apenas uma obrigação moral. A suspensão do pagamento ocorreu após a invasão das instalações da mineradora pelos índios em outubro. A seguir, a íntegra da nota do diretor-presidente da Vale:"A questão indígena é outra questão. É aquela coisa que todo muito respeita. Todo mundo tem que respeitar. Cada brasileiro, individualmente, tem que prestar atenção nisso. Cada brasileiro, como pessoa física, deveria estar preocupado com a questão indígena também. E a questão indígena não é questão de grana, não é questão de dinheiro. É política. O que se vai fazer? Para quem se dá o dinheiro? Quem administra o dinheiro?"Se você dá o dinheiro para o índio vem uma ONG e diz que o índio está morrendo de enfarte porque o dinheiro que você dá para ele, ele está comprando batata frita e o colesterol está subindo. Então, eu não posso dar o dinheiro para o índio. Muito bem. Então, para quem eu dou o dinheiro? A responsabilidade é da Funai. Cadê a política da Funai? O que nós da Vale do Rio Doce estamos aguardando é qual é a política da Funai, o que eles vão fazer. Eles têm a responsabilidade. Nós não temos nenhuma intenção, nenhuma intenção de virar as costas para a causa indígena. Nós respeitamos. Nós somos sensíveis a ela, absolutamente sensíveis a ela."Agora, sem política não dá. E digo mais: a Vale está fazendo o papel dela. A Vale tem feito o papel dela. A gente sustenta índio com recursos para alimentação. Nós temos um hospital destinado também a atender os índios; nós fazemos planos de desenvolvimento sustentável para os índios. Quando Carajás foi implantado, nós investimos na comunidade indígena lá 70 milhões de dólares, sob a responsabilidade da Vale. Isso então não é questão de dinheiro, não é. Nós ajudamos o índio a sobreviver. Agora, tem muita gente que sobrevive em função do índio. Isso é a realidade no Brasil hoje: tem muita gente que sobrevive em função do índio. Agora, nós ajudamos o índio a sobreviver. Nós ajudamos. E a gente desenvolve política para o índio."

Mais Sobre Política - Nacional

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

Engenharia do caos: 27 milhões sem trabalho

O jornalista e escritor Palmério Dória denuncia em seu Twitter o cinismo escancarado do Grupo Globo em omitir o que ele chama de 'engenharia do caos';

 Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

Moro age como se fosse autoridade superior, diz Favreto no CNJ

O desembargador do TRF-4 Rogério Fraveto, que em 8 de julho determinou a soltura do ex-presidente Lula, decisão que não foi cumprida, disse, em sua de

Grupo Abril pede recuperação judicial

Grupo Abril pede recuperação judicial

O grupo Abril entrou com um pedido recuperação judicial nesta quarta-feira (15); plano de recuperação judicial será mostrado aos credores em até 60 di

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...