Porto Velho (RO) quarta-feira, 15 de agosto de 2018
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Um ano depois, acusados pela CPI dos Correios sem julgamento


Agência O GloboBRASÍLIA - Há exatamente um ano, o deputado Osmar Serraglio (PMDB-PR) apresentava seu relatório final na CPI dos Correios, que recomendava o indiciamento de 124 pessoas acusadas de envolvimento no esquema operado pelo empresário Marcos Valério de Souza, o chamado valerioduto. Até agora, ninguém foi preso e nenhum dos 40 denunciados pela Procuradoria-Geral da República, que classificou o grupo como uma "sofisticada organização criminosa", foi condenado pela Justiça. Um dos poucos que sofreram algum tipo punição foi o ex-ministro da Casa Civil José Dirceu, acusado de chefiar o esquema. Ele continua inelegível, mas trabalha por uma anistia.Quando recebeu a denúncia do procurador-geral, Antonio Fernando de Souza, o relator do processo no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Joaquim Barbosa, alertara para as dificuldades que teria pela frente. Segundo ele, seriam necessários pelo menos dois anos para apreciar a denúncia, sem contar as medidas protelatórias que poderiam ser apresentadas pelos envolvidos. O relator admitiu que o caso poderia acabar em prescrição dos crimes, sustentando que o STF não tem estrutura para investigar todos os denunciados em um prazo razoável.- Não vamos terminar esse processo antes que se conheça uma prescrição - protestou na época o ministro Cezar Peluso, concordando com o colega em sessão do plenário do STF.No relatório, Serragalio reconhecia o pagamento de mesada a parlamentares em troca de voto nos projetos de interesse do governo e pedia o indiciamento de importantes dirigentes do PT, como José Genoino, Luiz Gushiken, Delúbio Soares e Silvio Pereira. Genoino, que se afastou da presidência do PT em meio ao escândalo, foi reeleito na eleição passada. O ex-deputado José Janene (PP-PR), também envolvido, agora é tesoureiro do partido.A Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) chegou a propor o impeachment do presidente Luiz Inácio Lula da Silva por suposto envolvimento no esquema, mas os conselheiros da Ordem recuaram e optaram por uma notícia-crime ao Ministério Público pedindo o aprofundamento das investigações. Na época, a maioria dos conselheiros entendeu que havia elementos que indicavam o envolvimento do presidente em ilícitos penais praticados dentro do escândalo do mensalão. A notícia-crime foi anexada ao processo que tramita no Supremo.

Mais Sobre Política - Nacional

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Sonegação de R$ 26 bi do Itaú vai a julgamento. É a maior da história

Está revogada a decisão do Carf que havia livrado o banco de pagamento de multa de R$ 26 bilhões por sonegação de impostos; é a maior da história...

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários se manifestam em Brasília em defesa de bancos públicos

Bancários protestam contra as resoluções da Comissão Interministerial de Governança Corporativa e de Administração de Participações Societárias da Uni

Trabalhadores de todas as idades já podem sacar cotas do Pis/Pasep

Trabalhadores de todas as idades já podem sacar cotas do Pis/Pasep

Trabalhadores de todas as idades que tiverem direito a cotas dos fundos dos programas de Integração Social (PIS) e de Formação do Patrimônio do Servid

Herança de Temer continua em 'construção': 79,5 mil moradias populares são canceladas

Herança de Temer continua em 'construção': 79,5 mil moradias populares são canceladas

Em reunião ocorrida no Ministério do Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG), em Brasília (DF), lideranças dos movimentos populares foram informadas q