Porto Velho (RO) segunda-feira, 16 de setembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Suspensão da titulação de terras quilombolas beneficia os interesses da bancada ruralista



Ricardo Koiti Koshimizu

Ao criticar a Instrução Normativa nº 49 do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra), que foi publicada recentemente e trata da titulação de terras quilombolas, o advogado Fernando Prioste disse que o efeito suspensivo, previsto nas situações em que há contestação da titulação, privilegia um conceito vinculado "aos interesses do agronegócio e da bancada ruralista".

O advogado fez essa afirmação na manhã desta segunda-feira (24), durante audiência pública realizada pela Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH).  O debate visava discutir temas como igualdade racial e a situação dos negros no Brasil.  Fernando Prioste representou, na ocasião, o Quilombo da Família Silva, localizado no Rio Grande do Sul.

Vários representantes de quilombos vêm criticando a instrução normativa do Incra, que, segundo eles, dificulta o processo de titulação - ao determinar o cumprimento de exigências burocráticas - e estaria em desacordo com normas como o artigo 68 do Ato das Disposições Constitucionais Transitórias, o Decreto nº 4.887 de 2003 e a Convenção 169 sobre Povos Indígenas e Tribais da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que garantiriam, de acordo com ele, a titulação de terras quilombolas.  A medida criticada por Fernando Prioste, prevista pela instrução, faz com que as contestações - que, segundo ele, serão feitas, entre outros, por latifundiários - levem, até que haja seu julgamento, à suspensão do processo de titulação.

O advogado protestou ainda contra o argumento de que as comunidades quilombolas não teriam identidade étnica - e, portanto, não poderiam ser beneficiadas pela Convenção 169 da OIT.  Segundo Fernando Prioste, esse raciocínio foi utilizado em uma ação judicial contra a titulação de um território quilombola no Paraná.

A Convenção 169 sobre Povos Indígenas e Tribais da OIT foi aprovada em 1989 e vigora no Brasil desde 2003.  Essa convenção internacional trata de diversas questões, incluindo a relacionada à propriedade da terra.

A audiência pública desta segunda-feira faz parte do ciclo de debates promovidos pela CDH neste mês de novembro - denominado de Mês da Consciência Negra, em homenagem à morte do líder negro Zumbi dos Palmares, que teria sido morto em 20 de novembro de 1695.

Participaram das discussões desta segunda-feira, entre outros, Elói Ferreira, secretário-adjunto da Secretaria Especial de Políticas de Promoção da Igualdade Racial (Seppir), da Presidência da República; Maurício Jorge Souza dos Reis, representante da Fundação Cultural Palmares, entidade vinculada ao Ministério da Cultura; Pedro Raposo, representante da etnia indígena macuxi; e Deborah Silva Santos, coordenadora do Núcleo de Promoção da Igualdade Racial da Universidade de Brasília.

Fonte: Amazônia.org.br com informações da Agência Senado

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç