Segunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

×
Gente de Opinião

Política - Nacional

STF determinou que limite de pensões é 80% do salário do contribuinte


Carolina Brígido - Agência O Globo BRASÍLIA - O Supremo Tribunal Federal (STF) determinou que o valor das pensões por morte concedidas antes de 1995 só pode ser de até 80% do salário do contribuinte. A partir de 1995, o INSS passou a pagar esse benefício de maneira integral devido ao reajuste concedido pela Lei 9.032. No entanto, quem já recebia a pensão antes da edição da lei começou a entrar com ações na Justiça pedindo o mesmo reajuste. Como quase todos conquistavam o direito, o governo federal recorreu ao STF para reverter a situação. Saiu vitorioso. A decisão do STF livrou o Tesouro de arcar com um prejuízo imediato da ordem de R$ 10 bilhões. A longo prazo, o impacto poderia chegar a R$ 40 bilhões, de acordo com os cálculos do INSS. Esse valor incluiria outros benefícios concedidos pelo INSS que sofreram reajustes por leis editadas nos últimos anos. Se o governo perdesse a ação em relação à pensão por morte, provavelmente perderia também em outros casos similares. O ministro da Previdência, Nelson Machado, que acompanhou a sessão, comemorou o resultado do julgamento: - Nos tira uma grande preocupação com este possível esqueleto que vinha rondando as contas da Previdência. A posição do STF sobre o tema foi firmada no julgamento de dois recursos apresentados pelo INSS contra decisões de instâncias inferiores favoráveis a dois pensionistas. Tramitam no tribunal outras 4.907 ações idênticas. Na sessão de sexta-feira, os ministros devem estender o mesmo resultado a esses casos. Também será discutida a possibilidade de se editar uma súmula vinculante sobre o tema. Se a idéia for aprovada por pelo menos oito integrantes da corte, os tribunais de instâncias inferiores ficarão obrigados a decidir a questão da mesma forma. - A súmula vinculante evita que haja essa repetição de processos no âmbito do STF e no âmbito da Justiça em geral. A nossa expectativa é que haja uma racionalização do trabalho do STF e das demais cortes, evitando que o tribunal tenha que se pronunciar repetidas vezes sobre os mesmos temas - explicou o ministro Gilmar Mendes. Segundo a Advocacia Geral da União (AGU), existem cerca de 100 mil ações de pensionistas ajuizadas em todo o país sobre esse assunto. Dessas, apenas algumas centenas já tinham conseguido decisões de caráter definitivo autorizando o início do pagamento de fato do benefício integral. Para derrubar essas decisões, a União terá de recorrer judicialmente contra cada uma delas.

Gente de OpiniãoSegunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)

VOCÊ PODE GOSTAR

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

STF tem maioria para determinar recálculo de cadeiras na Câmara dos Deputados

O Supremo Tribunal Federal (STF) formou nesta sexta-feira (25) maioria de votos para determinar que a Câmara dos Deputados faça a redistribuição do

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

Governo Federal se compromete a incluir plano de carreira da ANM na LOA 2024

O Sindicato Nacional dos Servidores das Agências Nacionais de Regulação (SInagências) conseguiu uma solução direta do governo após intensa articulaç

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

Deputado estadual Pedro Fernandes será o relator da CPI das Reservas em Rondônia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Reservas foi instaurada em Rondônia para investigar possíveis irregularidades nos processos de criação

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Ministro Paulo Pimenta trata sobre parceria entre Rede IFES de Comunicação Pública, Educativa e de Divulgação científica com a EBC e o Governo Federal

Na tarde dessa segunda-feira (06), o ministro-chefe da Secretaria de Comunicação Social da Presidência da República (SECOM), Paulo Pimenta, esteve r

Gente de Opinião Segunda-feira, 15 de julho de 2024 | Porto Velho (RO)