Porto Velho (RO) sexta-feira, 10 de julho de 2020
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Situação volta ao normal no aeroporto de Brasília


Ailton de Freitas e Luiz Cláudio de Cast - Agência O Globo BRASÍLIA - A movimentação no Aeroporto Internacional de Brasília nesta sexta-feira é bem menor do que ontem, e há poucas pessoas nos guichês para fazer o check-in. Doze vôos foram cancelados, mas a Infraero informou que os cancelamentos não têm relação com a crise nos aeroportos, e são normais nos dias seguintes a feriados, quando a procura cai. Estão sendo registrados pequenos atrasos nas decolagens e aterrissagens, também considerados dentro da normalidade. Não há registro de incidentes nem tumultos, como vinha ocorrendo nos últimos dias nos saguões e balcões das empresas. Às 10h40m, havia 24 aeronaves estacionadas no pátio do aeroporto, 19 da TAM, 3 da Gol, uma da BRA e uma da Ocean Air. As aterrissagens estão ocorrendo em intervalos próximos a dois minutos. Uma aeronave aterrisou às 10h44m e outra às 10h46m. Às 10h45m, foi autorizada uma decolagem, e outra quatro minutos depois, tempo considerado normal. No meio da crise, os intervalos entre as decolagens chegou a ultrapassar 10 minutos. Na madrugada de quinta-feira, a Aeronáutica interviu na operação-padrão dos controladores, que haviam aumentado significativamente o intervalo entre as decolagens. O comandante da Aeronáutica, brigadeiro Luiz Carlos Bueno, determinou a convocação de 149 controladores de vôo em Brasília para desafogar o tráfego aéreo, que segundo ele estava "completamente paralisado". Os controladores foram ameaçados de punição, incluindo prisão, se não atendessem ao chamado da Aeronáutica. Depois de uma teleconferência com o ministro da Defesa, Waldir Pires, o diretor-técnico do Sindicato Nacional dos Trabalhadores da Proteção ao Vôo, Ernandes Pereira, garantiu que a operação-padrão seria suspensa e que a situação voltaria à normalidade. Segundo ele, o governo criará um grupo de trabalho para atender às reivindicações da categoria, como a contratação de pessoal e a desmilitarização do sistema de controle do tráfego aéreo. Em outra medida para enfrentar o colapso no sistema, o Diário Oficial da União publica nesta sexta-feira a medida provisória que autoriza o Ministério da Defesa a contratar temporariamente "pessoal imprescindível ao controle do tráfego aéreo". A contratação será de no máximo 60 pessoas, não poderá passar de 31 de dezembro de 2007 e será feita por meio de processo seletivo simplificado. Caso a urgência impeça a realização de processo seletivo, a contratação poderá ser feita por meio de análise de currículo, desde que comprovada "notória capacidade técnica profissional", de acordo a MP. O Diário Oficial também traz resolução da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) que autoriza a ampliação em três horas e meia do horário de funcionamento do Aeroporto Internacioanl de Congonhas (SP), que ficará aberto até 1h30m da madrugada até 1º de dezembro. O aeroporto é responsável por 16% do movimento de usuários da aviação civil brasileira.

Mais Sobre Política - Nacional

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

Mariana Carvalho defende novas medidas aprovadas pelo Congresso no enfrentamento à Covid-19

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO) defendeu nesta quinta-feira (2) as medidas que estão sendo aprovadas pela Câmara e pelo Senado no

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

Relator revisor da MP 924 - Coronavírus, Dep Lucio Mosquini destaca liberação de 5 Bilhões para enfrentamento da crise na saúde

O deputado federal Lucio Mosquini é o relator revisor da MP 924/2020, conhecida como MP do Enfrentamento do coronavírus. O Senador Eduardo Gomes també

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Deputados federais apresentam no STF pedido de impeachment do ministro Weintraub

Rede Brasil Atual - Deputados da oposição anunciaram hoje (5) que vão apresentar denúncia no Supremo Tribunal Federal (STF) contra o ministro da Edu