Porto Velho (RO) segunda-feira, 14 de outubro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Sem contra-proposta do governo, PF mantém ameaça de paralisação


Agência O GloboBRASÍLIA - Não houve negociação nesta quarta-feira entre o Ministério do Planejamento e os funcionários da Polícia Federal (PF), que pedem 30% de aumento salarial. A contra-proposta não foi apresentada pelo governo, conforme o esperado pela categoria. O ministério não dá informações sobre a contra-proposta, mas adianta que não concederá o valor do reajuste pedido. O reajuste havia sido acertado entre PF e o então ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos.- É um novo governo, eleito com novas prioridades - avisa o secretário de Recursos Humanos do ministério, Sérgio Mendonça. - Pode ser o que eles não querem.Sem resposta do governo federal, a Associação Nacional dos Delegados de Polícia Federal (ADPF) mantém sua agenda de mobilização. Marcou uma paralisação de 24 horas em todo o país, no próximo dia 18. Também pretende organizar caminhadas em todo o país e uma assembléia geral em Brasília para pressionar o governo federal.Os representantes das associações de classe esperaram por quase duas horas o secretário. Se disseram humilhados e foram embora sem que a reunião fosse realizada.- Havia sido marcada para esta terça-feira e remarcada a pedido do ministério. O entendimento é de que realmente não querem nos receber - afirma o presidente da associação, Sandro Torres Avelar.Uma nova reunião com o ministério do Planejamento ainda não foi marcada.O governo explica que a demora se deu por conta do fechamento da contra-proposta que será apresentada. Segundo o secretário de Recursos Humanos, a proposta só foi fechada hoje após conversas entre os ministérios do Planejamento e Justiça. Ele lembra que os delegados já possuem os maiores salários do Poder Executivo, tendo remuneração mais alta que a dos ministros e do próprio presidente da República. Hoje, o salário base de um delegado é R$ 10.862,14 e o teto é de R$ 15.391,48. Porém, agentes federais e peritos também fazem parte das negociações.Por meio da Medida Provisória (MP) 305, de 11 de julho de 2005, foi concedido aumento de 60%, dividido em duas parcelas de 30%. Em fevereiro do ano passado, o então ministro Thomaz Bastos reiterou o compromisso perante a categoria. No documento, afirmava que o reajuste já havia sido "acertado com a equipe econômica" e que seria concedido ainda no exercício de 2006, o que não ocorreu. Em julho passado, os funcionários receberam a primeira parcela do acordo, mas a segunda, que deveria sair em dezembro não ocorreu.A forma de pagamento também foi alterada com a MP. Os direitos trabalhistas foram incorporados ao salário como forma de subsídios. O presidente da ADPD reclama que a mudança não foi boa.- Perdemos as nossas vantagens pessoais.Entre os direitos incorporados e não mais pagos separadamente, como um acréscimo no salário, estão os adicionais de periculosidade e noturno, por horas extras e plantões.

Mais Sobre Política - Nacional

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

Governo Federal retoma projeto para erguer hidrelétricas no Norte

 Há pelo menos seis anos, setores do governo brasileiro estudam construir quatro grandes hidrelétricas, duas delas na Região Norte, uma delas em Rondô

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

Violência doméstica e familiar: agressor será obrigado a pagar todos os custos de serviços de saúde

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta segunda-feira o PL 2438/19 de autoria da deputada Mariana Carvalho (RO) e do deputado Rafael Motta que

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Justiça partidária condena PT em Curitiba e blinda PSDB em São Paulo

Implacável para condenar lideranças do PT na República de Curitiba, a Justiça brasileira não mostra o mesmo furor para investigar e julgar os tucanões

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

FGTS: Anúncio sobre saques fica para a próxima semana, diz Onyx

O ministro-chefe da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, afirmou que o anúncio da liberação de saques das contas ativas do Fundo de Garantia do Tempo de Serviç