Porto Velho (RO) terça-feira, 26 de março de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Sai relação final dos inscritos no Fies


Agência O GloboBRASÍLIA - Das 134.755 inscrições recebidas pelo Fies (Fundo de Financiamento ao Estudante do Ensino Superior), cerca de 107 mil foram confirmadas pela Caixa Econômica Federal (CEF). Os estudantes já podem consultar o site do Fies para verificar se estão inscritos. Até quarta-feira, os alunos ainda podiam entrar com recurso. O resultado dos convocados para as entrevistas sai em 18 de dezembro.O programa financia 50% da mensalidade em instituições privadas de ensino superior e está disponível também para bolsistas parciais do Programa Universidade para Todos (ProUni) que têm direito a 25% do benefício.A seleção visa privilegiar estudantes carentes, com família numerosa, sem casa própria e com ensino superior incompleto. Casos de doenças crônicas na família e de parentes matriculados em universidades pagas também podem beneficiar os interessados.Os aprovados serão convocados para uma entrevista com o comitê de avaliação em que será verificada a veracidade das informações fornecidas no ato do cadastramento. Caso os interessados não consigam comprovar a veracidade de todas as informações, eles serão automaticamente desclassificados.Além disto, todos os candidatos deverão contar com, no mínimo, um avalista idôneo e com renda igual ou superior a duas vezes o valor da mensalidade do curso informada pela instituição, sendo que o cônjuge não pode ser avalista.Todos os alunos financiados terão de ter o aproveitamento acadêmico superior a 75% das disciplinas.Mudanças no programaA principal novidade do Fies neste ano é a redução dos juros. A taxa caiu de 9% para 6,5% ao ano. A redução dos juros faz parte de um pacote de medidas para melhoria da educação anunciado no mês de outubro, que também prevê patrocínio de estudos acadêmicos pela iniciativa privada e compra de 75.800 computadores e 7.580 impressoras para escolas de ensino médio.Para os alunos que cursam licenciaturas, pedagogia, normal superior ou cursos tecnológicos registrados no cadastro do MEC a taxa é de 3,5%, o que significa juro real zero, pois equivale à inflação. O benefício vale também para os cerca de 80 mil estudantes destas áreas que já usam o Fies, quando forem renovar o financiamento.Desde sua criação, em 1999, o Fies já financiou os estudos de cerca de 390 mil alunos, com investimentos acumulados de R$ 4 bilhões, segundo o MEC.A redução dos juros do Financiamento Estudantil é uma das medidas adotadas pelo Ministério da Educação para incentivar o ensino superior. Outras são a criação do ProUni, que dá bolsa em universidades privadas sem exigir devolução do dinheiro, e a expansão universitária, que promoveu a criação e consolidação de universidades e campi.

Mais Sobre Política - Nacional

AROEIRA: RELAÇÃO ENTRE JAIR BOLSONARO E RODRIGO MAIA É DE AMOR E ÓDIO

AROEIRA: RELAÇÃO ENTRE JAIR BOLSONARO E RODRIGO MAIA É DE AMOR E ÓDIO

O chargista Aroeira, do Jornalistas pela Democracia, divulgou nesta segunda-feira (25) nova charge em que retrata a crise política protagonizada pelo

Presidente Jair Bolsonaro autoriza celebração do 31 de março de 1964

Presidente Jair Bolsonaro autoriza celebração do 31 de março de 1964

O presidente Jair Bolsonaro aprovou a mensagem que será lida em quarteis e guarnições militares no próximo dia 31 de março, em alusão à mesma data no

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

Câmara dos Deputados: CCJC aprova projeto de política nacional de prevenção ao suicídio

A deputada federal Mariana Carvalho (PSDB-RO), informou que Câmara dos Deputados, por meio da Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJC)

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Vídeo: Mariana Carvalho comemora a aprovação do seu projeto em que o agressor terá de ressarcir SUS por custos com vítima de violência doméstica

Projeto da deputada Mariana Carvalho (PSDB-RO) e do deputado Rafael Motta (PSB-RN) é aprovado no Senado Federal. O projeto determina que o agressor