Porto Velho (RO) sábado, 14 de dezembro de 2019
×
Gente de Opinião

Política - Nacional

Rússia suspende embargo à carne brasileira


Edla Lula
Agência Brasil

Brasília - O governo russo suspendeu o embargo à carne bovina e suína brasileira, informou hoje (23) o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes. A partir de 1º de dezembro, o país voltará a importar o produto do Brasil.

A Rússia tinha proibido a importação de carne brasileira em dezembro de 2005, logo após a identificação de focos de febre de aftosa no Mato Grosso do Sul e no Paraná.

Stephanes justificou a demora do governo russo em decidir pelo fim do embargo. "Tínhamos algumas fragilidades no nosso sistema de sanidade animal, mas temos trabalhado para melhorar e levamos quase dois anos para o saneamento de todas as questões", disse.

Na época da descoberta dos focos, uma comissão do governo russo veio ao Brasil e fez uma série de exigências para restabelecer as importações. A principal era que o país ficasse livre da aftosa. Os técnicos russos também recomendaram melhorias na fiscalização e nas condições de armazenamento da carne pelos frigoríficos.

Após várias inspeções, uma última missão veio ao Brasil em setembro para uma nova avaliação. O relatório final, divulgado hoje (23), dá sinal verde para novas compras.

O ministro garantiu que não haverá novos embargos russos. "O entendimento com a Rússia tem sido muito bom. Não vemos nenhuma possibilidade de retrocesso”, afirmou.

De acordo com o ministro, o Brasil hoje vende carne para 180 países, sendo a Rússia o maior comprador. Para lá, vão 15% das nossas exportações de carnes bovinas e 70% das de carne suína.

Com o desembargo, o ministro espera maior incremento no setor, cujas vendas têm crescido entre 18% e 20% ao ano. "Qualquer crescimento nas exportações para a Rússia é muito importante", disse. Stephanes avaliou também que outros países poderão ampliar as compras do Brasil ao serem informados do fim do embargo russo.

O aumento das exportações, afirmou Stephanes, não trará escassez de carne para o mercado interno. “A produção nacional está crescendo e tem condições de atender tanto o mercado interno quanto o externo”, assegurou.

O ministro, no entanto, admitiu que os preços das carnes podem aumentar, influenciados pelo mercado internacional. "O preço, de modo geral, está sendo ditado pelo mercado externo. Há uma demanda aquecida e os preços em nível internacional tem melhorado. Claro que isso tem reflexo também no mercado interno", explicou.
 

Mais Sobre Política - Nacional

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

Jaqueline Cassol cobra votação da MP que garante Revalida

A deputada federal Jaqueline Cassol (PP-RO) cobrou do presidente Rodrigo Maia (DEM-RJ) a votação, antes que encerre o prazo, da Medida Provisórias cri

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Supremo Tribunal Federal mantém decisão que proíbe gestantes em atividade insalubre

Por unanimidade e em ambiente virtual, o Supremo Tribunal Federal (STF) rejeitou recurso da Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve a decisão, tomada

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Boa notícia: Lula dará ao velho amigo 1ª entrevista fora da prisão

Neste ano e meio que ele está preso, não tive condições de viajar a Curitiba e fiquei esperando o amigo sair da prisão para poder falar com ele, certo

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

Para Marcos Rogério, Sínodo da Amazônia não pode ser uma reunião política e ideológica

O senador Marcos Rogério (DEM-RO) pediu nesta segunda-feira (14/10) cautela aos participantes do Sínodo da Amazônia, realizado no Vaticano. Para o p